Postado em: Destaques, Por dentro da VériosPor:
16 de maio de 2019 Ultima atualização: 23 de julho de 2019

Rentabilidade da Vérios no Primeiro Trimestre de 2019

O ano de 2019 começou com muita força! Sua rentabilidade agradece.

16 de maio de 2019

“Se você olhar com cuidado, quase todos os segredos do mercado podem ser atribuídos a uma única fonte: uma perspectiva de longo prazo”
– Bill Bonner, economista e escritor

Chegamos ao fim do primeiro trimestre de 2019. O ano, até o encerramento do mês de março, vem sendo marcado pelo otimismo no mercado financeiro, tanto no mercado nacional, quanto no internacional. Isso contribuiu para um resultado excepcional nas carteiras inteligentes. É válido comemorar, mas sem se distrair: precisamos ficar de olho e continuar controlando o risco.

De acordo com um ditado antigo, o mercado financeiro tem o comportamento de um paciente bipolar, com momentos intercalados de pessimismo e otimismo exagerados. Apesar de acompanharmos diariamente os principais movimentos desse “paciente”, não deixamos o humor do dia influenciar na gestão das carteiras.

As carteiras inteligentes foram construídas para suportar essas oscilações, de forma balanceada, focando sempre no longo prazo e na proteção do patrimônio investido. Essa filosofia, que se mostrou vitoriosa mesmo num ano difícil como o de 2018, nos libera tempo para focar em novos estudos, estratégias e no melhor atendimento aos clientes.

As carteiras inteligentes da Vérios foram construídas para navegar com tranquilidade, mesmo quando o mercado financeiro se comporta como um paciente bipolar

Dito isso, vamos à rentabilidade. As carteiras da Vérios estão aproveitando uma boa fase, especialmente aquelas que apresentam diversificação completa, com presença das cinco classes de ativos:

  • juros pós-fixados
  • juros prefixados
  • juros reais (acima da inflação)
  • bolsa de valores brasileira e
  • bolsa de valores americana em dólares

Rentabilidade até Março/2019

A rentabilidade nos últimos 12 meses foi excepcional. O Portfólio Médio das carteiras de nível 5 atingiu retorno de 180% do CDI no ano compreendido entre Abril de 2018 e Março de 2019.

 

Vérios: Rentabilidade Líquida 12 meses até 03/2019
Cada barra representa um nível de risco diferente, numerado de 1 a 5. As linhas pontilhadas representam o CDI, o Tesouro Selic, a Poupança e a Inflação do período. Inflação medida pelo IPCA.

 

O resultado desse período de 12 meses contou com forte contribuição do primeiro trimestre de 2019. Veja como foram os resultados desses três meses isoladamente:

 

 

Movimentos do mercado financeiro

O resultado das carteiras totalmente diversificadas é explicado em parte pela boa performance do índice IBrX-50 (Bolsa Brasil) desde meados do ano passado. O mercado brasileiro vem se destacando com o otimismo da nova agenda de reformas, programas de privatização, recuperação do crescimento econômico e estabilidade de juros/inflação. Com esse contexto, o ETF PIBB11 apresentou valorização de 8,2% no trimestre.

Na mesma linha, outro componente que vem ajudando na rentabilidade é o índice S&P 500 (Bolsa EUA). Após um dezembro caótico no mercado americano, a bolsa de valores do Tio Sam voltou a superar a máxima histórica neste ano (altos e baixos, nosso paciente bipolar). O risco de recessão econômica que existia se dissipou e o Banco Central Americano (FED) encerrou, por enquanto, seu ciclo de altas de juros, favorecendo a bolsa de valores americana e o fortalecimento do dólar. Nesse contexto, o ETF IVVB11 se valorizou 15,0% no trimestre.

A parcela de renda fixa também contribuiu positivamente para a performance das carteiras. Foram especialmente beneficiadas as posições detidas em papéis de vencimento médio a longo, como a NTN-B 2035 ou a LTN 2025. Como comentamos, existe uma expectativa de reformas fiscais e controle da dívida pública que, se concretizadas, pode levar à queda das taxas de juros de longo prazo do Brasil, favorecendo a valorização de papéis mais longos. No trimestre, a NTN-B 2035 rendeu 7,7% e a LTN 2025 rendeu 4,6%.

 

Vérios: Rentabilidade do Primeiro Trimestre de 2019

 

O que esperar da Vérios

Antes de concluir esse artigo; vale lembrar que, independentemente dos excelentes resultados apresentados aqui, a metodologia de gestão das carteiras inteligentes da Vérios foi pensada para controlar rigorosamente o risco assumido, aumentando a segurança do investimento e, dentro de cada patamar de risco escolhido, obter o melhor retorno possível.

Os modelos de alocação seguem uma metodologia clara e renomada no meio acadêmico e no mercado financeiro, com um foco no horizonte de médio e longo prazo. A prioridade é a preservação de capital, por meio do controle de risco e balanceamento dos portfólios.

Explore esses dois links para saber mais sobre diversificação de investimentos e como escolhemos os ativos que compõem a carteira:

Até a próxima!

 

16 de maio de 2019
Ultima atualização: 23 de julho de 2019