Postado em: Destaques, Títulos públicosPor:
28 de junho de 2018 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Taxa de custódia do Tesouro Direto: o que é? Como funciona?

28 de junho de 2018

Talvez você já tenha visto propagandas de corretoras dizendo que é possível investir no Tesouro Direto com taxa zero. Então você se pergunta: aplicar em títulos públicos não tem nenhum custo? Não é bem assim! Há um custo que as corretoras não podem eliminar, e, para sua própria segurança, é importante pagar. É a taxa de custódia do Tesouro Direto. Neste artigo, vamos falar tudo sobre ela!

O que é a taxa de custódia do Tesouro Direto?

É a taxa cobrada para custodiar os títulos públicos em que você investe pelo sistema do Tesouro Direto, mantendo a aplicação vinculada ao seu CPF.

Ela remunera a B3 (antiga BM&F Bovespa) pelos serviços de guarda dos títulos, manutenção do sistema e envio de extratos mensais aos investidores.

Portanto, não importa por qual corretora você invista no Tesouro Direto, sempre terá a taxa de custódia da B3.

Leia também: Tesouro Direto: o que é? Como investir?

Mas o que a bolsa de valores tem a ver com o Tesouro Direto?

A B3 é parceira operacional do Tesouro Nacional. Graças a ela é possível oferecer títulos públicos para pessoas físicas por meio do programa Tesouro Direto. Como vimos acima, é a B3 que cuida de tudo para que seu dinheiro esteja protegido e registrado em seu nome e CPF. E por isso existe a taxa de custódia quando você investe no Tesouro Direto. 

Quanto custa a taxa de custódia do Tesouro Direto?

A taxa é de 0,30% ao ano sobre o valor que você aplicou. Por exemplo, caso tenha investido R$ 1.000 em títulos do Tesouro Direto, você irá pagar R$ 3 por ano de taxa de custódia.

Quando é cobrada a taxa de custódia?

A taxa de custódia dos títulos do Tesouro Direto é calculada diariamente e cobrada semestralmente, no primeiro dia útil de janeiro e de julho, ou proporcionalmente ao período decorrido desde o investimento, na ocorrência de um evento como:

  • Recebimento de juros semestrais
  • Resgate antecipado
  • Vencimento do título

Saiba mais no site da B3.

Como é cobrada a taxa?

A taxa de custódia é debitada automaticamente da sua conta na corretora. Por isso, é importante ter recursos em caixa para que o débito seja feito. Alguns dias antes de cobrar a taxa, o Tesouro Nacional envia um e-mail avisando qual valor será cobrado.

Então de qual taxa as corretoras falam quando dizem “taxa zero”?

A taxa zero se refere à taxa de administração cobrada pela corretora, não pela B3. Para saber quanto cada corretora cobra e quais zeraram esse custo, consulte as instituições financeiras habilitadas no site do Tesouro Direto. 

Como funciona para quem investe em Tesouro Direto com a Vérios?

Para quem investe com a Vérios é muito mais fácil, pois cuidamos de tudo!

Estamos atentos ao calendário de cobrança, fazemos os cálculos do valor devido e providenciamos que ele esteja disponível em sua conta na corretora no dia em que for feito o débito da taxa.

Se necessário, fazemos uma pequena venda (resgate) de investimentos em sua carteira para que haja recursos suficientes para o pagamento da taxa de custódia. E o melhor é que você não precisa se preocupar com nada!

Leia também: Em que momentos são cobrados os custos de investir com a Vérios?

28 de junho de 2018
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018