5 dicas para cuidar melhor do seu dinheiro em 2015

5dicas

Matrícula na academia? Check!
Frequentar a academia com regularidade? Ops… check, vai. (Prometo ser mais disciplinado em 2015.)
Passar mais tempo com a família? Check!
Fazer aquela viagem que estava planejando há tempos? Check!
Investir melhor o meu dinheiro? Ih, fica pra 2015.

O ano passou voando. Você fez bastante coisa em 2014. Mas não deu para planejar melhor o seu patrimônio financeiro? Tudo bem, você não deve se sentir culpado ou culpada por isso.

Se você está passando muito tempo tentando entender seus investimentos, saber como eles estão alocados, se têm bom desempenho… Algo está errado. Veja abaixo cinco dicas práticas para começar 2015 com a sensação de missão cumprida.

1. Na poupança, talvez a reserva de emergências

Poupar não é investir. Poupar é abrir mão de um possível consumo presente, preparando-se para uma adversidade futura. Com os juros subindo e a inflação também elevada, deixar o dinheiro na poupança é perder um pouquinho a cada dia. Por isso, deixe na poupança apenas o suficiente para uma reserva de emergência (seis meses de suas despesas mensais). Existem outros produtos de renda fixa com liquidez que, desde que tenham custo baixo, podem ser mais vantajosos que a poupança para a reserva de curto prazo.

2. Confira se o fundo de investimento que seu banco indicou é um bom negócio

O gerente insistiu tanto que você aceitou fazer a aplicação naquele fundo do banco. Mas você sabe se ele está tendo um bom desempenho? Um rendimento abaixo do CDI (que representa aproximadamente a taxa de juros, hoje em 11,75% ao ano) significa que seu dinheiro poderia estar melhor investido. Acesse a Comparação de Fundos para conferir. Você só precisa saber o nome do fundo. E não se esqueça. Muitas vezes a sua isenção de taxas pode custar muito caro. Um fundo de renda fixa com rentabilidade de 90% do CDI e R$ 100 mil investidos, significa que sua isenção de tarifa custa mais de R$ 1.000 por ano.

3. Descubra se seu plano de previdência está dando prejuízo

Antes tarde do que nunca! Recentemente, um cliente nos disse que estava se sentindo “enganado” pelo banco, pois seu plano de previdência tinha rendimento muito abaixo do CDI. E, para tirar o dinheiro de lá, a mordida era grande, porque havia uma taxa sobre o valor resgatado. Cuidado: os fundos de previdência só valem a pena dentro de certas condições muito específicas, como a contribuição compartilhada entre a empresa e o colaborador ou com objetivos como planejamento sucessório e diferimento tributário. Além disso, PGBL e VGBL têm diferenças importantes.

4. Monitore seus investimentos sem perder tempo

Mesmo que o seu dinheiro esteja dividido entre diversos bancos e gestores, você pode usar uma ferramenta única para monitorar online seu patrimônio. Chega de passar horas atualizando planilhas, use o tempo para sua família e amigos. Comece a usar a Carteira Online.

Atualizado em março de 2015: Suspendemos temporariamente a criação de novas contas. A Carteira Online continua funcionando, exclusivamente para as contas já existentes.

5. Questione o gerente do banco

É bem provável que você conheça mais de investimentos que o seu gerente, mesmo não trabalhando na área financeira. O acesso à informação nivelou o conhecimento. Não culpe seu gerente por não conhecer algumas informações sobre economia e mercado ou por não ter produtos adequados para você. A especialidade dele é cuidar de pagamentos, empréstimos, cartões. Além disso, ele só pode oferecer os produtos da instituição que ele representa. Mas questione sobre custos, riscos e peça opções que sejam melhores para você. E compare de novo.

Categorias: Planejamento pessoal, Plano de investimento