Você está buscando um lugar para almoçar e encontra dois restaurantes. O primeiro tem uma fila de pessoas que se estende até a calçada. O segundo não tem fila e, espiando pela janela, você vê mesas vazias. Supondo que os cardápios de ambos os restaurantes atendam aos seus desejos gastronômicos, qual deles você escolheria para almoçar?

Se você pensa como a maior parte das pessoas -- e tinha tempo sobrando para almoçar --  provavelmente escolheu o restaurante com fila, acreditando que deve ter a comida mais saborosa, ser mais barato ou as duas coisas ao mesmo tempo! Esse é um atalho mental que usamos para facilitar nossa decisão. Ao investir seu dinheiro você seguiria esta mesma lógica? Será que os investimentos mais populares são os melhores? Depende!

Para quem gosta de fundos de investimento, trouxemos informações de um levantamento feito pela consultoria Economática com dados da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) e da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima).

No topo do ranking, fundos da Caixa, BB e Bradesco

Em 2017, os fundos ganharam 1,5 milhão de novos cotistas, que é como são chamadas as pessoas que investem em fundos, pois elas o fazem a partir da compra de cotas1. Os cinco fundos que mais cresceram são oferecidos pela Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e Bradesco.

Rentabilidade dos 5 fundos que mais ganharam cotistas em 2017

Gráfico com a rentabilidade dos maiores fundos de investimento

Fonte: Comparação de Fundos

Juntos, os fundos ganharam aproximadamente 462 mil novos cotistas2. Em 31/12/2017, os fundos totalizavam cerca de R$ 30 bilhões investidos.

Será que esses fundos de investimento que mais receberam novos cotistas são boas opções para aplicar o seu dinheiro? Confira abaixo e deixe sua opinião nos comentários.

1º lugar: FI Caixa Renda Fixa Simples Longo Prazo

Administrador do fundo: Caixa Econômica Federal
Número de cotistas em 31/12/2017: 340.705 (58% de crescimento no ano)
Patrimônio do fundo em 31/12/2017: R$ 4,5 bilhões
Aplicação mínima inicial: R$ 50
Saldo médio por cotista: R$ 13.183
Taxa de administração: 1,5% ao ano
Liquidez (prazo de resgate): No mesmo dia

Em 2017, o fundo teve rentabilidade de 8,43%, equivalente a 84,98% do CDI.

De acordo com a Lâmina de Informações Essenciais disponível no site da Caixa, a política de investimento do fundo é “manter 100% do seu patrimônio líquido aplicado em ativos financeiros que possuam classificação de risco, no mínimo, equivalente ao risco atribuído aos títulos da dívida pública federal, com até 50% de crédito privado”.

2º lugar: BB Renda Fixa 500 FIC FI

Administrador do fundo: BB DTVM S.A.
Número de cotistas em 31/12/2017: 482.901 (26% de crescimento no ano)
Patrimônio do fundo em 31/12/2017: R$ 16 bilhões
Aplicação mínima inicial: R$ 500
Saldo médio por cotista: R$ 33.174
Taxa de administração: 2% ao ano
Liquidez (prazo de resgate): No mesmo dia

Em 2017, o fundo teve rentabilidade de 7,92%, equivalente a 79,84% do CDI.

De acordo com a Lâmina de Informações Essenciais disponível no site do Banco do Brasil, a política de investimento do fundo é manter no mínimo 80% do patrimônio líquido em títulos públicos federais ou ativos com baixo risco de crédito.

3º lugar: BB Renda Fixa Simples FI

Administrador do fundo: BB DTVM S.A.
Número de cotistas em 31/12/2017: 222.793 (77% de crescimento no ano)
Patrimônio do fundo em 31/12/2017: R$ 5,7 bilhões
Aplicação mínima inicial: R$ 50
Saldo médio por cotista: R$ 25.496
Taxa de administração: 1,95% ao ano
Liquidez (prazo de resgate): No mesmo dia

Em 2017, o fundo teve rentabilidade de 7,85%, equivalente a 79,07% do CDI.

De acordo com a Lâmina de Informações Essenciais disponível no site do Banco do Brasil, a política de investimento do fundo é “manter, no mínimo, 95% de seu patrimônio líquido representado por: títulos públicos federais; títulos de renda fixa de emissão ou coobrigação de instituições financeiras que possuam classificação de risco atribuída pelo gestor, no mínimo, equivalente àqueles atribuídos aos títulos da dívida pública federal; operações compromissadas lastreadas em títulos da dívida pública federal ou em instituições autorizadas a funcionar pelo Banco Central do Brasil; e derivativos para proteção da carteira”.

4º lugar: Bradesco FIC FI Renda Fixa Simples Ônix

Administrador do fundo: BRAM - Bradesco Asset Management S.A. DTVM
Número de cotistas em 31/12/2017: 91.638 (2.600% de crescimento no ano)
Patrimônio do fundo em 31/12/2017: R$ 849 milhões
Aplicação mínima inicial: R$ 50
Saldo médio por cotista: R$ 9.268
Taxa de administração: 2% ao ano
Liquidez (prazo de resgate): No mesmo dia

Em 2017, o fundo teve rentabilidade de 7,81%, equivalente a 78,70% do CDI.

De acordo com a Lâmina de Informações Essenciais disponível no site do Bradesco, a política de investimento do fundo é investir no mínimo 95% do patrimônio em cotas de fundos da classe renda fixa.

5º lugar: Bradesco FIC FI Renda Fixa Referenciado DI Hiperfundo

Administrador do fundo: BRAM - Bradesco Asset Management S.A. DTVM
Número de cotistas em 31/12/2017: 310.246 (21% de crescimento no ano)
Patrimônio do fundo em 31/12/2017: R$ 3 bilhões
Aplicação mínima inicial: R$ 100
Saldo médio por cotista: R$ 9.788
Taxa de administração: 3,9% ao ano
Liquidez (prazo de resgate): No mesmo dia

Em 2017, o fundo teve rentabilidade de 5,79%, equivalente a 58,31% do CDI.

De acordo com a Lâmina de Informações Essenciais disponível no site do Bradesco, a política de investimento do fundo é investir no mínimo 95% em cotas de fundos referenciados DI.

Vale o quanto cobra?

Em comum, os cinco fundos investem em renda fixa, têm baixo risco, valor de aplicação inicial acessível e a vantagem de liberar resgates no mesmo dia da solicitação. São ótimas características, mas é preciso analisar se a taxa de administração compensa.

Com taxas entre 1,5% e 3,9% ao ano, a rentabilidade acaba prejudicada. Vale a comparação com o Tesouro Selic, por exemplo, que tem custo de 0,30% ao ano.

Aliás, alguns dos fundos acima investem justamente em títulos públicos. Escolher o Tesouro Direto em vez do fundo do banco é como comprar do revendedor, podendo ir direto na fábrica (mas, nesse caso, não é necessário sair de casa!).

O Tesouro Direto, com a mesma segurança desses fundos, consegue uma rentabilidade muito superior, só pela redução das taxas de administração que os cotistas dos fundos estão largando nas mãos dos bancos.

Em 2017, a caderneta de poupança rendeu 6,93%. Será que faz sentido aplicar o dinheiro em um fundo cujo rendimento é mais baixo, e ainda tem incidência de Imposto de Renda?

Muitas pessoas aceitam a recomendação do gerente do banco por não ter essa visão. Esse é um dos principais fatores de crescimento desses fundos. Ajude-nos compartilhando este artigo com uma pessoa que você sabe que deixa todo o dinheiro aplicado no banco. Quem sabe ela não é uma das 462 mil cotistas que investiram nesses fundos em 2017?

 

1 Para noções básicas do funcionamento dos fundos de investimento, leia o artigo sobre fundos da série Como funciona.

2 A título de comparação, o Tesouro Direto tem pouco mais 572 mil investidores ativos, de acordo com o Balanço do Tesouro Direto de janeiro de 2018.


Este texto foi útil para você?

5 fundos de investimento que mais ganharam investidores em 2017
4.4 (88.67%) 30 votes

Categorias: Tipos de investimentos>Fundos de investimento