A construção do Comparação de Fundos (parte 1)

O desafio de tornar grandes massas de informações utilizáveis pelo público em geral tem sido enfrentado por grandes empresas e governos por todo o mundo. Os resultados variam bastante, mas o processo é sempre interessante de ser analisado e este desafio vai estar cada vez mais presente em várias áreas da vida moderna.

Neste texto nós pretendemos compartilhar com vocês as motivações que nos levaram a construir o comparacaodefundos.com.

Uma legislação a nosso favor

O mercado de fundos de investimento no Brasil tem uma regulação muito boa. Há várias regras pensadas para proteger os cotistas. Uma delas foi o que fez com que os sócios da Endowments do Brasil, a empresa que patrocina o desenvolvimento do comparacaodefundos.com, tivesse a iniciativa da criar a ferramenta.

Todos os administradores de fundos são obrigados a informar ao órgão regulador, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), as rentabilidades, aplicações e resgates dia a dia, além de informações cadastrais, como CNPJ, nome do administrador, data da criação do fundo, etc.

A CVM, também atendendo a regulações do setor, é obrigada a disponibilizar estas informações ao público em geral. No site da entidade, estes dados estão disponíveis para consulta de qualquer interessado.

Públicos, sim. Utilizáveis, talvez…

Apesar de os dados de todos os fundos estarem disponíveis no site da CVM, os investimento dos clientes da Endowments do Brasil exigiam que esses dados fossem processados internamente, para que se pudesse extrair deles informações relevantes.

Para que vocês tenham uma ideia, vejam o que era necessário fazer para obtermos a rentabilidade de um fundo num determinado período. Quando se investe num fundo, o que se faz na prática é comprar uma quantidade de cotas deste produto. Essas cotas tem um valor no momento do investimento e, a cada dia, de acordo com a gestão do dinheiro, o valor muda.

Para descobrir quanto um valor investido num fundo rendeu num período é preciso pegar o valor da cota no dia inicial e no dia final desse período e calcular a variação do valor da cota.

Apurar a rentabilidade de um fundo num período, digamos, de cinco dias, é relativamente simples usando os dados do site da CVM. Cada tela de consulta entrega valores de cotas de um mês inteiro. Se o período for maior do que trinta dias, já é preciso consultar duas telas para pegar os valores de cotas para o cálculo.

Além disso, a visualização gráfica da rentabilidade de um fundo exige colocar os dados de cotas numa planilha para que seja possível gerar o gráfico. Se a necessidade for ver a rentabilidade numa período grande, digamos de 5 anos, é preciso entrar em cada um dos 60 meses do período, copiar e colar os dados numa planilha, e só então é possível gerar o gráfico.

Esse processo, trabalhoso e demorado, só te permite ver dados de um fundo. Para comparar dados de mais de um fundo, o trabalho cresce proporcionalmente.

Foi essa necessidades que fez com que Daniel Resende, um dos sócios da Endowments do Brasil, tivesse a ideia que foi o embrião do comparacaodefundos.com. “E se esses dados fossem apresentados de maneira que se pudesse comparar os fundos mais facilmente, ajudando a Endowments do Brasil e outros investidores a tomar suas decisões de maneira mais fácil e embasada?”.

No próximo post da série você conhecerá o caminho, que durou 12 meses, entre este insight do Resende e a estreia do comparacaodefundos.com.

Seja o primeiro a avaliar!

Categorias: Por dentro da Vérios