Postado em: Cansou de ler sobre investimentos?Por:
25 de Abril de 2014 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

A formação dos presidentes ajuda a explicar o Brasil

25 de Abril de 2014

Há exatos 30 anos, no dia 25 de abril de 1984, a Proposta de Emenda Constitucional nº 5 de 1983, conhecida como Emenda Dante de Oliveira foi rejeitada pela Câmara dos Deputados. Apesar da rejeição, emenda foi parte de uma mudança que levou à quebra de um padrão curioso na Presidência do Brasil.

A Emenda Dante de Oliveira, pretendia restabelecer as eleições presidenciais diretas, tradição democrática interrompida pelo golpe militar de 1964. A população foi às ruas demonstrar seu apoio à emenda, no movimento que ficou conhecido como “Diretas Já!”. As manifestações da época foram as maiores já vista no Brasil até hoje.

O movimento “Diretas Já!” levou muito mais gente às ruas que as manifestações de 2013

O movimento não conseguiu estabelecer as eleições diretas a tempo para o pleito de 1985, mas em 1989 foi eleito Fernando Collor de Mello, em eleições presidenciais diretas. Repare que a chegada de Collor quebrou um padrão que persistia desde o início da República Velha, no tocante ao perfil profissional de nossos Presidentes.

MandatoPresidenteFormação
1889 a 1891Deodoro da FonsecaMilitar
1891 a 1894Floriano PeixotoMilitar
1894 a 1898Prudente de MoraisDireito
1898 a 1902Campos SallesDireito
1902 a 1906Rodrigues AlvesDireito
1906 a 1909Affonso PennaDireito
1909 a 1910Nilo PeçanhaDireito
1910 a 1914Hermes da FonsecaMilitar
1914 a 1918Wenceslau BrázDireito
1918 a 1919Delfim Moreira (Interino)Direito
1919 a 1922Epitácio PessoaDireito
1922 a 1926Arthur BernardesDireito
1926 a 1930Washington LuísDireito
1930 a 1945Getúlio VargasDireito
1945 a 1946José Linhares (Interino)Direito
1946 a 1951Eurico Gaspar DutraMilitar
1951 a 1954Getúlio VargasDireito
1954 a 1955Café FilhoDireito
1955Carlos Luz (Interino)Direito
1955 a 1956Nereu Ramos (Interino)Direito
1956 a 1961Juscelino KubitschekMedicina
1961Jânio QuadrosDireito
1961Ranieri Mazzilli (Interino)Direito
1961 a 1964João GoulartDireito
1961Ranieri Mazzilli (Interino)Direito
1964 a 1967Humberto Castello BrancoMilitar
1967 a 1969Artur da Costa e SilvaMilitar
1969 a 1974Emílio Garrastazu MédiciMilitar
1974 a 1979Ernesto GeiselMilitar
1979 a 1985João FigueiredoMilitar
1985 a 1990José SarneyDireito
1990 a 1992Fernando CollorJornalismo/Economia
1992 a 1995Itamar FrancoEngenharia Civil
1995 a 2003Fernando Henrique CardosoCiências Sociais
2003 a 2011Luiz Inácio Lula da SilvaMetalúrgico
2011 aos dias atuaisDilma RousseffEconomia

Durante 100 anos de nossa história, apenas um Presidente fugiu ao padrão (Juscelino Kubitschek, médico). Todos os demais possuíam formação jurídica ou militar. De certa forma, isso significa que durante todo esse tempo, crítico para a formação do Estado Brasileiro, o país foi estruturado sob apenas duas óticas, duas formas de enxergar a sociedade.

Apenas a partir de 1990, outras áreas do conhecimento passaram a influenciar a formação do nosso Estado pela figura do Presidente. Independentemente de avaliações sobre a qualidade de cada governo, nos parece que a multiplicidade de perfis faz mais sentido para a construção do país para uma sociedade complexa e plural.

A multiplicidade de pontos de vista faz sentido para a construção do país para uma sociedade complexa e plural

Collor é jornalista; Itamar, engenheiro; FHC, sociólogo; Lula, metalúrgico; e Dilma, economista. Finalmente, novas visões de mundo passaram a ocupar a posição de liderança no Palácio do Planalto.

Nas próximas eleições, provavelmente elegeremos para Presidente da República um economista, carreira seguida pelos três principais candidatos. E, apesar de saber que não há nenhuma garantia nesse sentido, esperamos que essa bagagem ajude nosso próximo Presidente a tomar decisões saudáveis para a economia do país.

Este artigo foi útil para você?
A formação dos presidentes ajuda a explicar o Brasil
4.5 (90%) 2 votes

Compartilhe:
25 de Abril de 2014
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

165N/A5 min de leitura

Como fraudar uma eleição legalmente

Estamos em pleno período eleitoral no Brasil. Daqui a alguns dias, os brasileiros retornarão às urnas no segundo turno para eleger aqueles que irão governar o país p...

Continue lendo

Autores

Um dos cofundadores da Vérios, Resende é gestor de recursos credenciado pela CVM e especialista em Data Science

CEO da Vérios, a fintech que te ajuda a fazer investimentos inteligentes, de forma fácil, rentável e segura. Pode confiar. Felipe conta com mais de 10 anos de atuação no mercado financeiro, e em 2011 cofundou o site Comparação de Fundos, primeiro a dar transparência a mais de 15 mil fundos de investimento. É advogado pela USP e pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA.

Comentários