Postado em: Planejamento pessoal>Aposentadoria, Planejamento pessoal>Plano de investimento Por:
2 de Abril de 2015 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

A única forma garantida de aumentar a sua rentabilidade

2 de Abril de 2015

Repare numa coisa: em geral, quanto mais pagamos por um produto ou serviço, melhor qualidade obtemos. Costuma ser assim ao comprar um carro, reservar um hotel, um restaurante ou decidir onde nossos filhos vão estudar, certo? É como o mercado de consumo funciona. Mas existem produtos e serviços que funcionam de forma oposta: vão lhe entregar mais valor se você pagar menos por eles. É o caso dos investimentos.

Todo mundo se preocupa em investir em produtos com boa rentabilidade, mas a melhor maneira de obter esse resultado pode ser cortando custos. Vou explicar melhor neste artigo, e você vai entender por que precisa estar atento às taxas – de administração, performance, corretagem, carregamento, entre outras – que incidem sobre seus investimentos.

Por que os custos importam

Você provavelmente tem o hábito de pesquisar e comparar preços quando vai comprar um carro ou um par de sapatos. Ao investir, você faz o mesmo?

Muitas vezes, não percebemos que estamos consumindo produtos e serviços financeiros. Investir é uma necessidade importante, não é algo supérfluo. Por isso, se estamos bem atendidos, tendemos a nos preocupar menos com custos. Porém, pagar mais caro pelos serviços de investimento não é garantia de que você terá um melhor resultado. Cada real que você paga em taxas é um real a menos na rentabilidade que você obtém.

Cada real que você paga em taxas é um real a menos na rentabilidade que você obtém

Vamos supor que você invista em fundos de investimento do banco onde é correntista. Você sente que seu dinheiro está seguro lá, o banco tem sua credibilidade, o gerente talvez seja simpático. Você pode até suspeitar que as taxas que você paga são altas. Mas então o banco “isenta” você da tarifa mensal de serviços. Você acha que está fazendo um bom negócio, mas na verdade você não tem dimensão de quanto pode estar deixando de ganhar no longo prazo. E, ao dar a isenção de taxas, o banco não revela exatamente quanto está cobrando na outra ponta.

Reduzir custos ajuda a aumentar seu retorno financeiro

Há duas formas de aumentar a rentabilidade dos seus investimentos. A primeira delas é encontrar um gestor ou estratégia de investimento que supere de forma consistente o mercado. Se você gosta de um ranking e vive de olho nas rentabilidades passadas, provavelmente está tentando seguir esse caminho.

O problema é que encontrar a estratégia que sempre supera o mercado é uma ilusão. A expectativa de retorno dos seus investimentos é algo futuro e incerto, não está sob seu controle.

A experiência nos mostra que apenas poucos profissionais são realmente capazes de gerar uma performance acima da média durante o longo tempo que você precisa para construir seu patrimônio. E o que é mais crítico: não é possível saber com antecedência qual deles vai superar o mercado – você precisa dar um tiro no escuro e torcer para não ficar no prejuízo.

Para quem não quer contar com a sorte, a forma mais eficiente de ampliar o retorno dos investimentos no longo prazo é reduzir os custos

Os gestores dos fundos Dynamo Cougar e Verde são bons exemplos de profissionais consagrados no mercado. É provável que eles continuem a acertar, mas não é possível garantir. E como já construíram uma reputação sólida, o acesso a esses fundos é fechado ou muito restrito.

Para quem não quer contar com a sorte, a forma mais eficiente de ampliar o retorno dos investimentos no longo prazo é reduzir os custos. Esse é um fator que está em suas mãos. Você não precisará de bola de cristal, apenas de um pouco de bom senso.

O impacto dos custos no tempo

Investir é transferir o seu dinheiro do presente para o futuro. Logo, investimentos é um tema que o acompanhará por décadas. Talvez pagar um custo de 2% a.a. durante um ano não tenha um impacto tão relevante no seu patrimônio. Mas os mesmos 2% a.a. ao longo de 30 anos podem mudar o seu padrão de vida. Sim, cortar custos pode ser a diferença entre ter uma aposentadoria apertada ou confortável.

Veja a simulação abaixo. Comparamos como os diferentes custos afetam a construção do patrimônio no longo prazo. Consideramos um patrimônio inicial de R$ 100 mil e uma rentabilidade esperada de 12% a.a.

Gráfico do impacto dos custos nos investimentos. A uma taxa de 1%, o resultado em 30 anos é R$ 2,99 milhões. À taxa de 3%, R$ 1,24 milhão.

É claro, investir a 0% de custo é impossível – afinal, é preciso remunerar quem está prestando o serviço. Mas perceba a impressionante diferença entre investir com taxas de 1% a.a. e de 2% a.a.

Quer mais um exemplo? Veja a comparação entre esses três fundos referenciados ao CDI. Eles têm exatamente o mesmo objetivo e estratégia de investimento: acompanhar a taxa DI. Mas as rentabilidades são diferentes – é o impacto dos custos. O fundo com melhor performance tem taxa de administração de 1% a.a. O fundo do meio, 1,4% a.a., e o fundo com menor retorno cobra taxa de 2% a.a.

Os bancos de varejo costumam adotar a estratégia de oferecer taxas menores para clientes com maior patrimônio, mas ainda assim, neste exemplo, a menor taxa (1%) ainda é alta para um único produto de investimento, principalmente um produto de gestão passiva, que busca apenas seguir a taxa de juros, sem diversificação. Esse investimento que custa 1% ao ano poderia ser facilmente substituído por um Tesouro Selic, cujo custo ficaria em 0,4% ao ano. Pronto, sem mágica e sem risco, a rentabilidade aumentaria 0,6% ao ano.

Risco de não superar sequer a inflação

Considerando que vivemos um período de inflação elevada, a atenção às taxas precisa ser redobrada. Investir pagando caro pode expor você à perda do poder de compra do capital investido.

Se o seu objetivo é de longo prazo, não deixe de fazer contas. O IPCA de 2014 foi de 6,41% e a expectativa do mercado para 2015 é que termine acima de 7%. Quem está na poupança, com resultados entre 6 e 7% ao ano, já está desprotegido contra a inflação. Produtos de investimento com taxas altas podem colocá-lo em condições próximas ao investimento em poupança.

O que você pode fazer?

Ficou claro como os custos trabalham contra a sua construção de patrimônio? Cada real que você paga hoje não volta mais, e você deixa de aproveitar os efeitos cumulativos dos juros compostos sobre esse valor ao longo do tempo. É por isso que eu digo que pagar caro por seus investimentos é um dos 6 comportamentos financeiros que você deveria abandonar.

Cada real que você paga hoje não volta mais, e você deixa de aproveitar os efeitos cumulativos dos juros compostos sobre esse valor ao longo do tempo

O melhor conselho que posso dar para que você construa seu patrimônio no longo prazo é buscar uma carteira diversificada e de baixo custo. Esteja exposto aos diferentes riscos e retornos do mercado e não perca seu tempo tentando acertar quem será o próximo grande gestor ou tentando surfar a onda do próximo investimento da moda. Você pode acabar se afogando.

Lembre-se: não podemos controlar o mercado, mas podemos controlar o quanto pagamos para investir. Quanto menores forem seus custos, maior será a parte que fica pra você no retorno dos seus investimentos. E isto tem um impacto enorme no longo prazo.

Este artigo foi útil para você?
A única forma garantida de aumentar a sua rentabilidade
4.9 (97.39%) 23 votes

Compartilhe:
2 de Abril de 2015
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

1048 45 8 min de leitura

Diversificação de investimentos: o que você precisa saber

“Tenha uma carteira de investimentos diversificada.” Esse é um mantra muito utilizado por profissionais sérios do mercado financeiro. Afinal, a diversificação de ...

Continue lendo
1172 43 14 min de leitura

Taxa de administração e outros custos ao investir: tire suas dúvidas

Investir é transferir o seu dinheiro do presente para o futuro, e existem diversas maneiras de fazer isso. Todas elas, porém, têm um ponto em comum: custos. Afinal, n...

Continue lendo
245 12 4 min de leitura

Vale a pena investir no banco em troca da isenção da tarifa mensal?

“Só existe uma coisa mais cara do que pagar taxas: não pagar taxas”, já dizia o Irineu, pai do cofundador da Vérios Daniel Resende. Essa frase pode parecer confus...

Continue lendo

Autores

Ávila é cofundador da Vérios e consultor de investimentos com a certificação CFP®

CEO da Vérios, a fintech que te ajuda a fazer investimentos inteligentes, de forma fácil, rentável e segura. Pode confiar. Felipe conta com mais de 10 anos de atuação no mercado financeiro, e em 2011 cofundou o site Comparação de Fundos, primeiro a dar transparência a mais de 15 mil fundos de investimento. É advogado pela USP e pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA.

Comentários