Blog

Artigos na categoria: Indicadores econômicos

Selic atinge o menor patamar histórico: 7% ao ano. O que isso significa?

Economia em 5 minutos

No dia 6 de dezembro de 2017, o Comitê de Política Monetária (Copom) decidiu conduzir a economia brasileira ao menor patamar histórico dos juros. A taxa Selic firmada em 7% ao ano significa que estamos nos movimentando, como diria o poeta Camões, por mares nunca dantes navegados.

Assim, a taxa básica nominal de juros da economia brasileira caminha para patamares mais próximos aos dos países desenvolvidos. Porém, quando analisamos sob a ótica dos juros reais (descontando a inflação), o Brasil caiu apenas uma posição no ranking de países com as maiores taxas de juros no mundo. Estamos em quarto lugar, atrás da Turquia, Rússia e Argentina.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Economia em 5 minutos, Indicadores econômicos, Economia

O governo pode dar um calote no Tesouro Direto? Quais as chances de isso acontecer?

O governo pode dar um calote no Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é o programa do governo para a distribuição de títulos públicos diretamente a pessoas que, como você e eu, pretendem investir dinheiro. Ao comprar um título público oferecido pelo programa, você empresta uma quantia ao Tesouro Nacional com a garantia de que, na data de vencimento do título, receberá de volta o valor aplicado acrescido dos juros ofertados1 no momento em que a aplicação foi feita. Quem investe no Tesouro Direto é, portanto, credor do governo.

Nos últimos anos o volume de recursos captados pelo Tesouro Nacional via Tesouro Direto cresceu bastante. Entre 2015 e 2017, o chamado “estoque” de títulos nas mãos da população praticamente dobrou, aumentando de cerca de R$ 26 bilhões para quase R$ 48 bilhões.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Sem categoria, Indicadores econômicos, Economia

Deflação: entenda o que é e saiba se ela afeta seus investimentos

Deflação: gráfico da inflação medida pelo IPCA de 2006 a 2017 nos meses de junho

O Brasil tem um histórico de inflação bem peculiar. Basta voltar algumas décadas no tempo para relembrar da chamada “hiperinflação”, ocorrida entre os anos 1980 e 1990. Nesse período, a inflação chegou a ultrapassar (pasmem!) os 80% ao mês, o que significa dizer que um produto poderia quase dobrar de preço de um mês para o outro. Era aquela época em que as etiquetas dos produtos nos supermercados sofriam trocas a todo instante tamanha a instabilidade.

Na prática, a hiperinflação representa uma alta generalizada e contínua dos preços, corroendo o poder de compra dos consumidores. Para se ter uma ideia, entre 1980 e 1989, a inflação média no Brasil bateu 233,5% ao ano. Já na década seguinte, o índice saltou para 499,2% anuais.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Indicadores econômicos, Economia

O que é o IPCA? Conheça o principal indicador da inflação

Conheça o IPCA, o principal índice de inflação

O IPCA, Índice de Preços ao Consumidor Amplo, é o indicador oficial de inflação do Brasil.  É a referência usada pelo governo para definir a meta de inflação do país — que atualmente está em 4,5% ao ano.

O índice é calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e tem o objetivo de informar quanto aumentaram ou diminuíram os preços dos produtos consumidos pelos brasileiros em um determinado período.

Por exemplo, quando se diz que o IPCA subiu 6,29% em 2016, significa que ao longo daquele ano os bens e serviços normalmente consumidos pelo brasileiros tiveram um aumento médio de preços em 6,29%.

Categorias: Iniciante, Indicadores econômicos, Economia

O que é o CDI?

Explicamos o que é o CDI e a taxa DI!

Quem pesquisa sobre investimentos topa com essa bendita sigla o tempo todo! Mas você já parou para pensar sobre o que é o CDI?

CDI significa Certificado de Depósito Interbancário e nada mais é que a taxa de juros pela qual os bancos e demais instituições financeiras emprestam dinheiro uns aos outros. O CDI é definido diariamente e está sempre bem próximo da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia.

Categorias: Iniciante, Indicadores econômicos, CDB, LCI e LCA

Como as medidas do governo Temer impactam seu bolso

Medidas econômicas do governo Temer

O governo federal vem anunciando diversas medidas com o objetivo de retomar o crescimento da economia brasileira. Algumas delas são1:

– A recuperação da demanda interna, por meio da liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para além das regras atuais, visando dar o primeiro “empurrão” para tirar os mercados da paralisia. O calendário para saque dos valores contidos nas contas inativas do FGTS será divulgado em fevereiro.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Planejamento pessoal, Indicadores econômicos, Economia

Como a queda dos juros afeta seus investimentos

Pela terceira vez consecutiva, o Banco Central reduziu os juros da economia brasileira. A meta para a taxa básica de juros, a Selic, chegou ao patamar de 14,25% ao ano em 2015, e permaneceu nesse nível por 15 meses. Em outubro de 2016, a taxa começou a baixar gradualmente e hoje encontra-se em 13% ao ano, com previsão de encerrar o ano na casa dos 10%.

Muitas pessoas nos perguntam por que investir grande parte do patrimônio em juros pós-fixados, atrelados à taxa Selic, se as perspectivas são que ela caia mais e mais.

Vamos responder em duas partes. Primeiro discutiremos as razões e os impactos da queda sobre o mercado em geral. Depois explicaremos como a carteira inteligente da Vérios reage a essa mudança no ambiente econômico.

Categorias: Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Indicadores econômicos, Economia

A alta dos juros pode fazer você perder dinheiro na renda fixa

Torre de blocos: o problema do crédito privado

Quando comecei a escrever esse artigo há alguns minutos, ele tinha o título A alta dos juros e a deterioração do crédito privado, mas achei que, com esse título chato, você não ia se interessar a ponto de ler. Sem ler, jamais saberia o risco que hoje ameaça os seus investimentos de renda fixa.

Sim, os de renda fixa. Aqueles que você acha que estão seguros.

Categorias: Intermediário, Indicadores econômicos, Plano de investimento, CDB, Fundos de investimento, LCI e LCA

Será que o preço baixo já compensa o risco?

Economia em 5 minutos

Agosto foi um mês ruim para a economia brasileira. Entre outros indicadores, podemos destacar que o real sofreu forte desvalorização frente ao dólar e a nossa bolsa de valores teve o pior mês de 2015. Juntos, porém, esses dois fatores criam um cenário inusitado: medindo seu preço em dólares, o Índice Bovespa atingiu em agosto um patamar inferior àquele do auge da crise financeira mundial de 2008. O que isso pode significar?

Categorias: Economia em 5 minutos, Indicadores econômicos, Economia

Alta dos juros: os dois lados da moeda

Economia em 5 minutos

Na primeira semana de junho, o o Comitê de Política Monetária do Banco Central (Copom) fixou a meta da taxa básica de juros da economia, a Selic, em 13,75%. É o maior patamar desde janeiro de 2009. Se por um lado essa alta pode ter resultado em maior rentabilidade em seus investimentos, por outro, há riscos invisíveis que precisam ser observados.

Categorias: Economia em 5 minutos, Indicadores econômicos, CDB, Economia, Fundos de investimento, Outros fundos, LCI e LCA