Blog

Artigos na categoria: Tipos de investimentos

Quer dicas sobre os tipos de investimento existentes no mercado? Leia os nossos conteúdos com foco nos tipos de investimento para fazer o dinheiro render mais.

Bovespa em alta! Quais os motivos?

Economia em 5 minutos

Ótima notícia para os leitores da Vérios que gostam de economia. Estamos retomando a série Economia em 5 minutos, que traz comentários periódicos sobre o cenário recente. Dessa vez, a série será encabeçada pelos nossos amigos do Terraço Econômico, que está mudando a forma de falar de Economia no Brasil. Os economistas do Terraço usam uma linguagem mais jovem e mais próxima da realidade do público, menos fechada no mundinho do financês.

Então, vamos ao texto deles. E usem os comentários para nos dizer se gostaram, além de tirar suas dúvidas. Boa leitura!

– – –

A bolsa de valores voltou à moda no Brasil, ou melhor dizendo, o índice IBOVESPA voltou a fazer manchete nos jornais de algumas semanas para cá, muito explicado pela valorização acumulada no ano de aproximadamente de 25%. Mas antes de qualquer euforia e corrida para investir, você consegue entender o motivo?

Categorias: Intermediário, Avançado, Economia em 5 minutos, Ações

Qual é o robô de investimento com a pior performance?

Robô Quebrado

Recentemente, uma agência independente de pesquisa em inovação no setor financeiro publicou um artigo com o título Qual é o robô de investimento com a pior performance?” (no original: Who is the Worst Performing Roboadvisor?). O artigo, bem curto, avalia os dados divulgados por outra pesquisa independente, mas a conclusão do analista chama mais atenção que os dados em si. Veja o que você acha.

Categorias: Avançado, Serviço de investimento automatizado, Planejamento pessoal, Por dentro da Vérios

Poupança ou Tesouro Direto? Onde investir para o curto prazo?

Poupança ou Tesouro Direto? Onde investir?

Você tem um dinheirinho para investir mas pode precisar dele de volta em breve. O destino natural para esse dinheiro seria a conta poupança, mas todos falam que é mau negócio. Principalmente agora que a taxa Selic está abaixo de 8,5%, o que faz com que o rendimento da poupança seja ainda menor.

Ao mesmo tempo, você tem pensado em investir no Tesouro Direto, mas o programa de distribuição de títulos públicos parece confuso. São muitas letrinhas e nomes complicados. Será que algum dos títulos seria um bom substituto para a poupança?

Neste artigo vamos comparar a caderneta de poupança com o Tesouro Selic, o título “feijão com arroz” do Tesouro Direto, para ajudar você a decidir onde aplicar os recursos da sua reserva de oportunidades (também conhecida como reserva de emergências).

Categorias: Iniciante, Compare e entenda, Poupança, Títulos públicos

Vérios no Valor: “Consultor-robô passa pelos primeiros testes no Brasil”

Vérios no jornal Valor Econômico

Nosso serviço de gestão automatizada de investimentos recebeu destaque em reportagem do jornal Valor Econômico publicada no dia 22 de agosto de 2017. A jornalista Adriana Cotias fez um balanço da atuação dos chamados “consultores-robôs” (do inglês robo-advisors) no Brasil.

O Ueslei, como chamamos nosso robô, foi mencionado diversas vezes na reportagem, o que nos encheu de orgulho! De acordo com o jornal, os consultores-robôs estão sendo procurados por investidores que buscam um melhor desempenho para suas carteiras, sem ter que passar pelo dilema “Qual a melhor opção?”.

Categorias: Vérios na mídia, Iniciante, Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Serviço de investimento automatizado

Debêntures: o que são e como funcionam

Investir em debêntures: rendimento, riscos etc

O nome não é lá muito amistoso, é verdade. Mas não há motivo para se assustar com elas. As debêntures nada mais são que títulos de dívida de empresas privadas. Quem investe em uma debênture se torna um credor da companhia que emitiu o título, financiando suas operações em troca do pagamento de juros.

Neste artigo você vai conhecer o essencial sobre investir em debêntures. Vamos lá?

Categorias: Iniciante, Intermediário, Debêntures

Vale a pena resgatar minha previdência privada? Caso 1: VGBL

Previdência privada VGBL: vale a pena resgatar?

Quase todos os dias recebemos perguntas de pessoas que já investem em previdência privada. Apesar de desconfiarem de que o plano não é muito vantajoso, elas se sentem aprisionadas a ele. E então questionam: será que vale a pena sair da minha previdência privada para investir com a Vérios? Quanto dinheiro vou perder ao resgatar?

Faz um tempinho que planejamos iniciar esta série de artigos sobre quando faz sentido (e quando não faz) resgatar a previdência privada, mas sempre esbarramos nas peculiaridades de cada plano. São muitos os detalhes envolvidos, o que dificulta criar uma fórmula “universal” para essa análise.

Na prática, cada caso é um caso! O plano pode ser VGBL ou PGBL; pode cobrar ou não taxa de saída; o regime de tributação pode ser regressivo ou progressivo; o tempo de contribuição pode ser de um, dois, cinco, 10 anos… Todos esses fatores influenciam na decisão.

Neste artigo explicamos o que você deve levar em conta nessa avaliação caso seu plano de previdência privada seja do tipo VGBL. Fazemos também uma análise a partir de um caso real, comparando o desempenho de um fundo de previdência com a carteira inteligente da Vérios.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Aposentadoria, Fundos de investimento

Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 3: Tesouro IPCA+

Preço do Tesouro IPCA+ (NTNB)

Agora que já discutimos a formação dos preços do Tesouro Selic e do Tesouro Prefixado, vamos para o caso mais elaborado: a precificação dos títulos do tipo Tesouro IPCA+.

Os títulos Tesouro IPCA garantem um retorno real, ou seja, acima da inflação, desde que os títulos sejam mantidos até o seu vencimento.

Veja também:
Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 1: Tesouro Selic
Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 2: Tesouro Prefixado

Categorias: Intermediário, Avançado, Títulos públicos

Fundos que cobram preço de churrascaria para entregar um prato feito

Estudo sobre os 10 maiores fundos de investimento

Em que investem os maiores fundos de investimento brasileiros? Para responder a essa pergunta, fizemos um estudo da composição dos 10 fundos com maior patrimônio líquido, ou seja, aqueles com mais dinheiro aplicado. O resultado é frustrante. Se você aplica em fundos oferecidos pelo seu banco, a leitura é obrigatória.

Categorias: Planejamento pessoal, Fundos referenciados, Fundos de investimento

O mercado de bitcoin hoje: está na hora de investir?

O mercado de bitcoin hoje

O planejador financeiro Carl Richards, que tem no The New York Times uma coluna de aconselhamento financeiro chamada “The Sketch Guy”, anunciou recentemente a sua nova série de artigos: Ask the Sketch Guy, que tem como propósito responder perguntas enviadas diretamente por seus leitores.

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Bitcoin

Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 2: Tesouro Prefixado

Há três tipos de títulos no Tesouro Direto: Tesouro Selic, Tesouro Prefixado e Tesouro IPCA+1. No artigo anterior sobre precificação de títulos públicos explicamos como se determina o preço de um título do tipo Tesouro Selic. Neste artigo, nosso foco será a precificação do segundo tipo, o Tesouro Prefixado, que em termos de complexidade é intermediário entre o Tesouro Selic e o mais complicado dos três, o Tesouro IPCA+ (que será o próximo e último da série de artigos).

Precificação do Tesouro Prefixado

Um título prefixado tem um comportamento muito diferente se comparado a um título pós-fixado, caso do Tesouro Selic. Um prefixado paga na sua data de vencimento um valor nominal predeterminado — daí o nome da classe — ao seu detentor. Por exemplo, se hoje você comprar uma unidade do título Tesouro Prefixado 2019, então você terá direito a receber exatamente R$ 1.000 na data do seu vencimento, o dia 01/01/2019.

Veja também:
Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 1: Tesouro Selic
Como são definidos os preços do Tesouro Direto? Parte 3: Tesouro IPCA+

Categorias: Intermediário, Avançado, Títulos públicos