Incluir seus investimentos na Declaração do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física pode parecer confuso à primeira vista, mas fique tranquilo. Escrevemos este passo a passo para ajudar você com isso!

No caso do investimento em Tesouro Direto, a cobrança de Imposto de Renda incide apenas quando você faz um resgate, quando os títulos vencem ou quando ocorre o pagamento de cupom (juros semestrais).

Como o imposto é retido na fonte, é a corretora por onde você realizou a aplicação que disponibilizará as informações necessárias do período de referência para que você possa incluir o investimento na declaração anual de IR. Para ter acesso, é só solicitar o Informe de Rendimentos (a maior parte das corretoras disponibiliza o documento automaticamente na conta do cliente).

A declaração possui duas etapas. Na primeira, você informa a o saldo do seu investimento em 31/12/2016 e em 31/12/2017. na segunda,você informa os ganhos apurados. Criamos um passo a passo bem prático para ajudar você.

Lembrete: O prazo para enviar a declaração de 2016 à Receita Federal é até 30/04/2018.

Declaração do saldo no Tesouro Direto

Aqui, você vai incluir quanto tinha investido em Tesouro Direto até 31/12/2017. É o valor que foi aplicado (valor de custo), e não o quanto está valendo hoje.

Você encontrará o saldo no Informe de Rendimentos da corretora, no item Rendimentos sujeitos a tributação exclusiva.

  1. Acesse Bens e Direitos no menu principal do programa da Receita;
  2. Clique em “Novo” - ou, se você já tiver o mesmo título salvo do ano anterior, basta selecioná-lo;
  3. Selecione o código "45 - Aplicação de renda fixa (CDB, RDB e outros)";
  4. Na discriminação, escreva "Aplicações em títulos do Tesouro Direto"1;
  5. Insira o CNPJ da corretora por onde você fez a aplicação (também fica disponível no Informe de Rendimentos);
  6. Inclua o saldo informado pela corretora no Informe, nos dois campos:  “Situação em 31/12/2016” e “Situação em 31/12/2017”.


Declaração dos ganhos no Tesouro Direto

Nessa parte, você informa os rendimentos líquidos que realizou com seus investimentos até 31/12/2017. Mas lembre-se que não são os rendimentos totais, são apenas os rendimentos sobre os valores já resgatados.

Você encontrará essa informação no Informe de Rendimentos da corretora, no item Rendimentos sujeitos a tributação exclusiva/Definitiva.

  1. Acesse Rendimentos Sujeitos à Tributação Exclusiva/Definitiva no menu principal do programa da Receita;
  2. Selecione o item "6 - Rendimentos de aplicações financeiras";
  3. Clique em “Novo”;
  4. Em “Tipo de beneficiário”, selecione “Titular”;
  5. A "Fonte Pagadora" é a própria corretora. Preencha o CNPJ e o nome da corretora;
  6. Inclua o valor informado pela corretora no campo “Rendimentos líquidos”. Neste campo, você deve somar todos os rendimentos recebidos no Tesouro Direto (mesmo se a corretora apresentar os títulos de forma fragmentada no Informe).

Declaração de títulos resgatados ou que venceram

Se seus títulos venceram em 2017 ou houve um resgate total, você deve informar na seção Bens e Direitos, seguindo o mesmo passo a passo para a declaração do saldo que vimos acima. Só que o valor do título deverá ser R$ 0,00 no campo “Situação em 31/12/2017”. Fique tranquilo, pois a corretora apresentará no informe o valor final que deve ser lançado na sua declaração, você não precisa fazer as contas.

Pronto. (Ufa!)

Leia também: Como declarar no IR seus investimentos em ETFs

Para quem investe em Tesouro Direto com a Vérios, preparamos um vídeo que explica passo a passo como funciona a declaração dos títulos públicos. Confira:

***

Que tal investir no Tesouro Direto por meio da Vérios? Nós fazemos a gestão automatizada da sua carteira e cuidamos de tudo para que você não precise se preocupar. Incorporamos os investimentos que você já possui no Tesouro Direto. Não é preciso resgatá-los! Invista de forma simples e inteligente: simule seu investimento agora mesmo.

1Tem aplicações em dois ou mais títulos distintos? Se quiser, você pode discriminar título por título, mas não é necessário. Até porque a corretora geralmente envia o valor somado de todos os títulos. A melhor prática é copiar exatamente os valores que a corretora lhe envia: se for tudo junto, declare tudo junto; se for separado, declare separado.


Este texto foi útil para você?

Como declarar no IR seus investimentos no Tesouro Direto
5 (99.17%) 48 votes

Categorias: Planejamento pessoal, Tipos de investimentos>Títulos públicos