Como se aposentar com R$ 1 milhão

Como se aposentar com 1 milhão de reais

Aposentar é o desejo de muita gente. Principalmente para quem sempre trabalhou duro para conseguir o que quer e construir um futuro sólido. Mas, sempre nesse momento, uma dúvida paira pelo ar: como se aposentar?

Essa dúvida tem se acentuado ainda mais recentemente, com atuais reformas na previdência social. A dificuldade para obter esse benefício e o baixo valor de pagamento mensal são os maiores fatores negativos. Por isso, muitos estão deixando de visar unicamente o INSS para essa finalidade.

Ou seja, a necessidade de construir a própria aposentadoria sem contar com o governo é uma preocupação que vem aparecendo cada vez mais cedo. A questão agora se torna: qual é o caminho para se aposentar com boa qualidade de vida?

Como se aposentar com boa qualidade de vida?

Temos que ser mais realistas ao planejar nosso futuro. Por mais que muitos possam dizer que imaginar o pior é ser pessimista, deixar de imaginar um cenário ruim é ingenuidade.

O fato é que, de agora em diante, a situação de quem planeja como se aposentar pode piorar cada vez mais. E para isso, temos que garantir nosso descanso e nosso futuro tranquilo de outras formas, além de depender do governo.

Por isso, o ideal é começar a se planejar cedo. Mas quão cedo? A resposta é o mais cedo possível. Mas não entenda mal. O sentido de começar a planejar a aposentadoria cedo é que quanto mais cedo você se planeja, melhor você se aposenta.

Agora falando de valores, eu diria que o mínimo ideal para se aposentar com certa qualidade de vida é R$ 1 milhão. Provavelmente algumas pessoas pensarão “nossa, está falando de R$ 1 milhão como se fosse fácil juntar ou como se fosse pouca coisa”.

Quanto mais cedo você se planeja, melhor você se aposenta

E de fato R$ 1 milhão é pouca coisa e razoavelmente fácil de juntar. Basta pensar grande, ter muita paciência, força de vontade e um bom planejamento financeiro! Até, como muitos bem sucedidos dizem, juntar o primeiro milhão sempre é o mais difícil.

E, acredite se quiser, mas se aposentar com R$ 1 milhão não significa “fracionar o valor durante certo tempo”. Quer dizer viver de renda de forma vitalícia e com independência financeira.

Quer melhor qualidade de vida do que poder pagar todas as despesas da casa e ainda ter dinheiro para fazer qualquer coisa que desejar, sem ter que trabalhar mais por isso?

Como juntar o primeiro milhão de reais, então?

Esse será seu maior desafio. Sabe por quê? Porque para juntar esse valor, seu maior inimigo será o tempo. Por isso que a dica que foi dita antes sobre começar o mais cedo possível é muito válida.

Quanto mais cedo você começa, menor é o valor que você precisa economizar mensalmente para obter esse resultado. Imagine que você está pensando em se aposentar com 60 anos, mas agora você já chegou aos 50 e ainda não se planejou para isso.

Será bem difícil conseguir R$ 1 milhão em 10 anos, não acha? Portanto, comece a planejar sua aposentadoria assim que começar a trabalhar. Mesmo que você seja ainda um estagiário ou trainee.

Atenção! Só não confunda “planejar a aposentadoria” com “deixar de viver experiências boas no presente”. Uma boa estratégia para investimentos é a divisão para finalidades diferentes. Existem várias maneiras de fazer isso, como essa aqui, por exemploPortanto, não deixe de viajar ou sair aos finais de semana com uma paranoia de aposentadoria. Também é fundamental se divertir e se entreter. Mas para não fugirmos do foco, vamos deixar essa conversa para outro artigo, tudo bem?

Vamos a um exemplo prático. Para juntar R$ 1 milhão aos 52 anos de idade, um dos caminhos seria o seguinte:

  • Começar aos 18 anos de idade
  • Guardar R$ 1 mil por mês durante o período de 34 anos
  • Sem aplicação inicial

Pode ser que no começo esse valor seja bem difícil de guardar, já que muitos dos primeiros empregos ou estágios pagam próximo ao salário mínimo.

Mas com o passar do tempo, ao adquirir experiência e uma boa bagagem na carreira, o salário também irá crescer e talvez guardar R$ 1 mil todos os meses não seja tão difícil assim.

Tem como se aposentar ainda mais cedo, então? Sim! Essa estratégia de aposentadoria é apenas uma de várias. Caso você queira ter ainda mais que R$ 1 milhão ou se aposentar mais cedo, basta poupar ainda mais. Tudo depende do quanto você pode economizar e em quanto tempo.

Como isso é possível?

Se você calcular R$ 1 mil por mês, por 12 meses e multiplicar por 34 anos, não daria R$ 1 milhão, não é mesmo? Mas não pense que somos loucos, pois existe algo que vai nos ajudar ainda mais nesse processo. Os juros compostos que nada mais são do que os juros que incidem sobre os juros nos investimentos. Isso cria uma bola de neve positiva, que te faz receber um rendimento cada vez maior.

Considerando uma taxa de remuneração sobre os investimentos de apenas 5% ao ano, você já conseguirá seu primeiro milhão aos 52 anos nas condições que indicamos, poupando R$ 1 mil por mês e nada mais. Ah, e pense nessa taxa de 5% como uma taxa real. Isso quer dizer que é a taxa de básica de juros menos a taxa de inflação e ainda descontando o Imposto de Renda (IR).

Para ser mais exato ainda, o valor nominal de R$ 1 milhão seria obtido em apenas 22 anos, se ignorássemos a inflação e o IR. Em 34 anos então, você teria na conta muito mais que R$ 1 milhão. Seriam na verdade R$ 4,6 milhões.

Mas como não podemos ignorar esses dados importantes pois eles diminuem o valor do seu dinheiro, vamos manter o período de poupança de 34 anos com R$ 1 mil ao mês e taxa real de juros de 5%. Tá bem?

Os juros compostos criam uma bola de neve positiva, que te faz receber um rendimento cada vez maior

Sendo assim, vimos que é possível se aposentar aos 52 anos, tendo uma renda mensal vitalícia e mais tempo para realizar seus sonhos e estimular seus hobbies, por exemplo.

Quanto isso pode te render por mês?

Agora vamos mudar apenas a forma de cálculo para saber quanto seria nosso salário vitalício no exemplo que criamos. Dividindo a taxa de juros real de 5% ao ano por 12, teríamos uma rentabilidade de aproximadamente 0,41% ao mês.

Pensando que R$ 1 mil de aplicação mensal por 34 anos em um investimento de rentabilidade real de 0,41% ao mês nos totalizaria exatos R$ 1.020.803,50, com o mesmo rendimento de 0,41% ao mês receberíamos de volta R$ 4.185,30 de renda mensal. Isso é só o rendimento, sem tocar no pouco mais de R$ 1 milhão que você teria acumulado.

E se por acaso você achar que 5% de taxa real pode ser um exagero, pense que a taxa de juros atualmente está em 13% ao ano e o IPCA (índice que mede a inflação) está em 6,29% ao ano. Subtraindo a inflação da taxa de juros, teremos o resultado de 6,7% ao ano, e se tirarmos o Imposto de Renda também (com a alíquota de 15%) teríamos um rendimento real e líquido de 5,7% ao ano. Portanto, fique tranquilo(a). É claro que esse cenário pode mudar no longo prazo. Isso é mais um motivo para você começar já.

Agora vamos entender alguns dos investimentos que podem ser utilizados para atingirmos esse objetivo (existem vários outros). Atente para o fato que você não deve deixar todos os ovos em uma cesta só. Diversifique suas aplicações para proteger seu dinheiro.

Onde investir para chegar ao primeiro milhão?

ETFs

ETFs são uma forma simplificada de investir em ações. Eles não são a opção de investimento mais adequada para deixar a maior parte da sua aposentadoria depois que você se aposentar, pois há uma oscilação razoável nos preços. Entretanto, ETFs são um ótimo meio para alcançar a aposentadoria, pois os movimentos de valorização vão dar um gás no crescimento do seu patrimônio no longo prazo. Isso ajuda também quem se atrasou um pouco para planejar a aposentadoria.

Como existem vários tipos distintos de ETFs, é possível achar alguma opção que seja de risco moderado. Isso evita correr grandes riscos como na compra direta de ações.

Tesouro IPCA+

O título público Tesouro IPCA+, oferecido via Tesouro Direto, é um investimento importante para quem tem planos de poupar para se aposentar. Ele consegue te fornecer um rendimento que, além de corrigir pela taxa de inflação (IPCA), também rende uma porcentagem a mais (juros reais).

Portanto, se você deseja conforto e segurança junto com uma boa rentabilidade, sem perder o poder de compra no futuro, já sabe que esse título não pode faltar na sua carteira de investimentos. Sem contar a boa acessibilidade desse título, que permite investir a partir de apenas R$ 100 por mês, um incentivo a mais para quem está começando agora.

Previdência privada

Se você está pensando em investir sua aposentadoria naqueles planos de previdência que seu gerente do banco te mostrou, já tire isso da cabeça. Esses planos de previdência privada são as piores do mercado.

As taxas cobradas (e às vezes escondidas) são muito altas, o que significa que sua aplicação não vai render quase nada. Sem contar o conflito de interesses, já que seu gerente possui metas para bater. Isso gera dúvidas sobre a confiabilidade do produto que estão te oferecendo.

Tirando esses maus produtos, existem opções muito boas no mercado, fora dos bancos. O interessante para quem opta pela previdência é que há a obrigatoriedade de poupar todos os meses e também alguns benefícios fiscais em alguns casos.

E tem a Vérios também

O rendimento mensal pode ser ainda melhor se você tiver ajuda para administrar seus investimentos. A Vérios utiliza o robô Ueslei para trabalhar justamente para isso: identificar os investimentos com a melhor relação entre risco e retorno e fazer a gestão eficiente de custos e impostos, mesclando títulos do Tesouro Direto com ETFs. 

Portanto, se você pretende montar uma carteira de investimentos para o longo prazo, segura, rentável e de forma totalmente automatizada para você ficar tão tranquilo agora quanto um “aposentado”, é só se cadastrar na Vérios e deixar que eles façam o trabalho duro por você.

Como se aposentar com R$ 1 milhão
4.64 (92.73%) 11 votos

Categorias: Iniciante, Aposentadoria, Planejamento pessoal