Compare e entenda: nova regra da poupança e fundos DI

Com a recente queda da taxa de juros, chegamos a um ponto em que a poupança começaria a render mais que o CDI. Para impedir que isso acontecesse, o governo foi obrigado a mexer nas regras da poupança.

A poupança sempre teve rentabilidade inferior aos investimentos atrelados ao CDI (fundos DI, títulos públicos e tesouro direto). Porém, ela oferece maior segurança, pois conta com a garantia do FGC (Fundo Garantidor de Crédito).

Para evitar uma inversão dessa realidade e uma grande migração de recursos para a poupança, o governo mudou as regras, causando um pouco de confusão entre os poupadores.

A nova regra faz com que a rentabilidade do CDI continue sempre acima da poupança, mesmo após o pagamento do imposto de renda. Para ilustrar, criamos um gráfico que mostra o que vai acontecer com a rentabilidade da poupança e do CDI, conforme a Selic for reduzida nos próximos anos.

Comparação da rentabilidade da poupança e CDI em um cenário de queda da Selic
Comparação da rentabilidade da poupança e CDI em um cenário de queda da Selic

Taxa de administração dos fundos DI

Fizemos um cálculo de quanto deve ser a taxa de administração máxima que um fundo DI poderia cobrar para que ele continue rendendo acima da poupança. Com a Selic em 8,5%, a taxa de administração máxima que esses fundos poderiam cobrar é 1,28% ao ano.

Veja no gráfico abaixo quais seriam as taxas máximas para outros cenários de taxa Selic.

Taxa de administração máxima aceitável para que um fundo DI seja mais rentável que a poupança

Fique de olho! Se o seu fundo de renda fixa cobra mais que a taxa máxima aceitável, é melhor você mudar para a poupança ou procurar outro fundo mais barato.

Seja o primeiro a avaliar!

Categorias: Compare e entenda, Fundos referenciados, Fundos de investimento, Poupança