Postado em: Ações, Avançado, EconomiaPor:
28 de fevereiro de 2020 Ultima atualização: 28 de fevereiro de 2020

Coronavírus derruba Ibovespa e “surpreende” investidores

Esse é aquele "inesperado" que acontece de vez em quando. Veja o que fazer com seus investimentos.

28 de fevereiro de 2020

Nos últimos dias, temos visto todas as principais bolsas de valores do mundo sofrerem quedas expressivas em decorrência do pânico com a epidemia do novo coronavírus. No Brasil não foi diferente, e a queda do Índice Bovespa foi agravada pela confirmação da chegada do vírus ao Brasil, em São Paulo.

Esse tipo de acontecimento é aquele “inesperado” que acontece de vez em quando. Todo mundo que investe em renda variável sabe que está exposto aos acontecimentos inesperados ou imprevisíveis, que afetam a bolsa de valores.

Foi assim com a bolha das ponto-com em 2002, a crise do subprime em 2008, o Joesley Day em 2017, a greve dos caminheiros em 2018, etc. Às vezes, basta uma declaração infeliz de um ministro ou do Presidente. No caso do novo coronavírus, o evento nem era tão imprevisível assim, era mais uma questão de QUANDO o vírus chegaria ao Brasil.

Impacto sobre o mercado financeiro e a economia

A primeira reação do mercado financeiro é que TODO MUNDO quer fazer uma previsão do que vai acontecer.

A nossa bolsa de valores já começou a sentir o impacto, assim como diversas outras bolsas pelo mundo. Sofremos uma desvalorização de 7% em um único dia e mais 2% no dia seguinte. Isso acontece porque espera-se que essa epidemia tenha impacto sobre a atividade econômica.

Geralmente, em cenários de incerteza, o capital especulativo disponível no mercado adota uma postura de proteção, que é sair de países considerados mais frágeis e migrar para economias consideradas mais fortes. Esse movimento derruba nossa bolsa de valores e desvaloriza o Real frente ao Dólar, fazendo a cotação da moeda americana subir.

Porém, a verdade é que NINGUÉM sabe ao certo qual será o tamanho do estrago na economia, portanto ninguém pode ter uma previsão segura de até onde os preços devem cair no mercado financeiro e nem quanto tempo vai demorar para que se recuperem. Todas as previsões são apostas.

O que o investidor deve fazer?

Se você é Amigo do Ueslei (cliente da Vérios), temos respostas específicas pra você no final deste artigo. 

Aos demais investidores: Alguns especialistas estão dizendo que essa baixa é oportunidade para comprar agora e outros estão dizendo para ter cautela pois essa queda pode ser duradoura e é melhor aguardar mais uns meses. Para os investidores individuais, a decisão depende totalmente da estratégia de investimento e situação financeira de cada um.

Só existe uma única recomendação que nenhum especialista deu até agora: vender suas posições em bolsa de valores.

É provável que ainda haverá mais instabilidade nos preços por algum tempo, mas a nossa estratégia na Vérios não muda. Já parou para pensar que, para cada investidor que está vendendo, existe outro que está comprando? É só assim que sai negócio na bolsa.

Para quem é ESPECULADOR, o momento é de uma decisão difícil. Especuladora é aquela pessoa que vai apostar seu dinheiro tentando prever se a bolsa sobe ou desce nos próximos dias. No cenário atual, essa é uma aposta arriscada, devido ao elevado grau de incerteza sobre os próximos acontecimentos.

Para quem é POUPADOR e faz depósitos todo mês, seguindo uma estratégia de alocação com foco no longo prazo, a vida segue normalmente. Na conversa com os Amigos do Ueslei, a gente tem lembrado o seguinte: a gente sempre soube que a bolsa sobe e desce, e que passaríamos por momentos como esse, não é verdade? Então, vamos passar mais um. Para que isso seja possível, a nossa orientação aos clientes sempre teve três elementos importantes de lembrar nessa fase:

  1. A diversificação (que inclui renda variável) deve ser feita somente nos investimentos de médio a longo prazo.
  2. Antes de diversificar, você deve ter um dinheiro guardado, chamado Reserva de Segurança. Essa reserva deve estar numa renda fixa de alta liquidez, sem risco. Aumentar a rentabilidade não é prioridade nessa reserva.
  3. Você deve fazer aportes regulares na carteira diversificada. Se possível, todo mês.

Para quem está seguindo essa cartilha, nada muda.

Primeiro, porque a desvalorização da bolsa não afetou sua Reserva de Segurança. Se você precisar de algum dinheiro extra nos próximos meses, é de lá que fará os saques, sem sofrer nenhum prejuízo.

Segundo, porque a queda nos preços derrubou sua carteira diversificada, mas esse dinheiro é de longo prazo e tem tempo de sobra para se recuperar. A baixa da bolsa é apenas uma oportunidade de fazer compras enquanto os ativos estão mais baratos, aumentando a rentabilidade. 

Se você tiver um dinheiro que seguramente não vai precisar nos próximos 12 a 18 meses, faça um aporte extra. Mas não faça isso com o dinheiro da Reserva de Segurança!!! A Reserva serve para “proteger” sua carteira caso você tenha um imprevisto e precise do dinheiro antes do mercado financeiro se recuperar.

Mesmo assim, para quem faz aportes todos os meses, o preço de uma única compra isolada tem pouco impacto sobre os resultados acumulados no longo prazo. Por isso, você não precisa se sentir na obrigação de depositar. 

Respire fundo e siga seu plano. Continua depositando normalmente, não mude seus planos, o cenário ainda pode piorar, mas no longo prazo vai se recuperar. Foi assim no Joesley Day, que foi uma queda profunda porém rápida, foi assim na greve dos caminhoneiros, que foi uma queda pequena, porém duradoura. O que elas têm em comum? Duas coisas: elas causam incômodo, mas elas passam com o tempo e ficam pra trás.

Sou cliente Vérios. Devo fazer novos aportes? O Ueslei vai comprar mais ETFs?

Se você já iria enviar um aporte de qualquer jeito, os preços de hoje estão mais atrativos que os da semana passada, e é possível que o Ueslei compre mais renda variável (via ETFs) caso essas classes de ativos estejam sub-representadas na sua carteira. Mas essa compra não é garantida. 

A compra de Bolsa Brasil e/ou Bolsa EUA ocorre somente se elas estiverem suficientemente abaixo da alocação-alvo para o seu perfil de risco. Lembre-se que os preços andaram subindo muito nos últimos meses, e talvez essa queda ainda não tenha sido suficiente para deixar as bolsas de valores sub-representadas na sua carteira.

Nós não vamos forçar o Ueslei a realizar compras de ETF se eles já estiverem bem representados na sua carteira, porque o Ueslei não faz compras especulativas. Isso deixaria sua carteira exposta a um risco maior do que o escolhido por você. 

Imagine se a gente fizesse essa compra forçada, e depois a bolsa de valores continuasse caindo pelos próximos 2 meses. Como você se sentiria? De quem seria a responsabilidade?

Sou cliente Vérios. Devo mudar meu perfil de risco? 

O importante agora é manter a calma e não tomar decisões precipitadas. O resgate ou a troca para um perfil mais conservador causariam a venda dos ativos de renda variável, algo que deve ser evitado durante esse momento de preços baixos. 

O importante agora é manter a calma e não tomar decisões precipitadas

Por enquanto, os preços estão apenas oscilando. Se você fizer uma venda, aí sim você estará realizando os prejuízos e colocando essa perda no seu bolso.

Aqui na Vérios, a gente sempre reforça que o perfil do investidor não deve ser alterado por movimentos de mercado ou expectativa de alta ou baixa da bolsa. O perfil é algo pessoal, baseado em quanto você pode e deseja tomar de risco. Isso está relacionado à sua idade, seus objetivos para esse dinheiro, por quanto tempo você pretende deixá-lo investido, e quanto você tem ou não estômago para passar por oscilações no curto prazo, sem perder a tranquilidade.

As carteiras inteligentes são diversificadas justamente para passar por crises assim sem gerar pânico; e tendem a se recuperar com tranquilidade. No longo prazo, essas oscilações ficam pequenas no gráfico da rentabilidade acumulada. Vamos aguardar e monitorar os acontecimentos das próximas semanas sem pânico.

Sou cliente Vérios. Com a queda da Taxa Selic, eu aumentei meu nível de risco e agora estou desconfortável com a rentabilidade negativa

No ano passado, a Taxa Selic foi sendo reduzida para patamares inéditos: ela nunca esteve tão baixa. Isso fez com que vários “especialistas” e veículos de mídia decretassem “a morte da renda fixa” ou afirmassem que era a hora de ir para a renda variável. Eles disseram que, com a Taxa Selic em 6% ou 5% ou 4% ao ano, não faz sentido manter investimentos em renda fixa.

Nosso time de atendimento, a Equipe UAAU, teve que lidar com uma chuva de mensagens de gente que queria tirar o Tesouro Selic da carteira, aumentar o perfil de risco, migrar todo o dinheiro para a bolsa, etc.

A todos, respondemos primeiro tentando dissuadi-los da troca e testando a sua convicção. Explicamos que o perfil de risco é algo pessoal e não deve ser alterado por movimentos de mercado ou expectativas. Reforçamos que a renda fixa (no nosso caso, o Tesouro Selic) possui uma função específica nas carteiras, que é controlar o risco. Aliás, publicamos tudo isso também no nosso blog, nesse artigo: Queda da Taxa Selic: como a redução dos juros afeta seus investimentos.

Agora, muitas dessas mesmas pessoas estão desconfortáveis com a queda da bolsa de valores. É um claro sinal de que o nível de risco de suas carteiras não deveria ter sido aumentado. 

Mesmo com a carteira diversificada, essas mudanças de perfil de risco devido ao noticiário são formas de operar o “market timing“, ou momento de mercado. É uma estratégia especulativa, que não é adequada para todas as pessoas ou mesmo para todas as reservas financeiras de uma pessoa. 

Especular é uma estratégia válida, mas deve ser feita apenas com uma parcela pequena do seu patrimônio. E só depois que você já tiver outras reservas. Primeiro, a reserva de segurança: investida em renda fixa, com segurança e liquidez, sem muita preocupação com a rentabilidade. Depois, o patrimônio de longo prazo: investido de forma diversificada, com eficiente controle de risco. É nesse que somos especialistas. Depois, se você quiser, pode ter um capital reservado para as apostas especulativas

Pense nisso antes da sua próxima troca de investimentos. E lembre-se sempre da máxima que eu vivo repetindo: dinheiro guardado é pra trazer tranquilidade. Se o seu dinheiro está te deixando nervoso, você está investindo errado, desrespeitando o seu próprio perfil de investidor.

Keep calm e bons investimentos!

Este artigo foi útil para você?
Coronavírus derruba Ibovespa e “surpreende” investidores
4.8 (96.59%) 82 votes

Compartilhe:
28 de fevereiro de 2020
Ultima atualização: 28 de fevereiro de 2020

Você pode gostar também…

5745647 min de leitura

Queda da Taxa Selic: como a redução dos juros afeta seus investimentos

A meta da Selic atingiu um patamar histórico. Mais uma vez, os "influenciadores" fazem alarde e as pessoas ficam inseguras: preciso mudar minha carteira? Faz sentido investir em Tesouro Selic, se as perspectivas são de queda?

Continue lendo
4690136 min de leitura

Rentabilidade da Vérios no Terceiro Trimestre de 2019

O terceiro trimestre deu continuidade ao desfile de ótimos resultados.

Continue lendo
3205616 min de leitura

Entenda a Crise da Argentina e veja qual foi o impacto sobre as carteiras inteligentes da Vérios

Com uma revisão da história recente da Argentina, explicamos o que aconteceu em agosto e como isso impactou os investimentos de milhares de brasileiros.

Continue lendo

Autores

CEO da Vérios, a fintech que te ajuda a fazer investimentos inteligentes, de forma fácil, rentável e segura. Pode confiar. Felipe conta com mais de 12 anos de atuação no mercado financeiro, e em 2011 cofundou o site Comparação de Fundos, primeiro a dar transparência a mais de 15 mil fundos de investimento. É advogado pela USP e pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA.

Comentários