Duas únicas formas de ganhar dinheiro: alfa e beta (parte 1)

Existem duas formas de se ganhar dinheiro no mercado financeiro: tomando risco sistemático (beta) ou tirando dinheiro de outros participantes do mercado (alfa). Para melhor avaliar os gestores dos fundos de investimento, é essencial que você aprenda a diferenciar essas duas formas de gerar retorno.

O beta, ou risco sistemático, é o risco geral de um determinado mercado. Ele explica as diferenças entre as expectativas de retornos das diversas classes de ativos disponíveis no mercado financeiro. Ou seja, em qualquer momento no tempo os ativos podem estar caros ou baratos. No entanto, independente de seus preços, no longo prazo, a expectativa de retorno de classes de ativos consideradas arriscadas será superior ao retorno das classes de ativos com menos risco.

É importante que você saiba diferenciar os gestores que geram alfa daqueles cujo retorno é gerado apenas por assumir mais risco com o seu dinheiro

Exemplos:

  • ações possuem maior expectativa de retorno que títulos públicos;
  • debêntures e outros títulos privados tendem a gerar maior retorno que os títulos públicos;
  • títulos emitidos por países em desenvolvimento geram maior retorno que títulos de países desenvolvidos.

 O retorno gerado de maneira generalizada por uma classe de ativos é resultado do beta daquela classe. Em tese, você pode obter maiores retornos simplesmente posicionando seus investimentos em classes de ativos mais arriscadas, aproveitando o beta daquela classe.

Assim, é possível capturar o retorno decorrente do beta com estratégias simples ou facilmente replicáveis. Além disso, apesar do retorno de longo prazo decorrente do risco sistemático ser positivo, ele costuma ser baixo e muito volátil.

A outra forma de se ganhar dinheiro no mercado financeiro é tirando de outros participantes do mercado. Isto é denominado “alfa”. Gerar “alfa” é o principal objetivo dos gestores de fundos de investimento e implica no chamado “jogo de soma zero”.

Visto que em qualquer operação no mercado financeiro existe um comprador e um vendedor, haverá nestas operações sempre um ganhador e um perdedor, sendo que o retorno que o ganhador obtiver coincidirá com o prejuízo que o perdedor vai sofrer.

Por exemplo, se o Investidor A comprou ações de uma companhia aberta por R$ 10 mil, certamente na outra ponta há um ou vários outros investidores que venderam essas ações por esse mesmo preço. Se as ações agora valem R$ 12 mil, o Investidor A ganhou R$ 2 mil e os vendedores deixaram de ganhar esse mesmo valor.

Como exemplo de estratégias que geram alfa é possível citar estratégias do tipo market timing (que buscam identificar os momentos certos de comprar e vender ativos) e de seleção de ativos (que buscam comprar ativos com distorção de preço ou que tenham uma performance ainda não percebida pelo mercado).

Apesar de controvertida no meio acadêmico, a existência de gestores excepcionais, tanto no mercado internacional quanto no local, capazes de gerar retornos consistentes por diversas décadas parece demonstrar a viabilidade da geração de alfa.

Presumindo que ela exista, essa habilidade para gerar alfa é certamente rara. Assim, seria justificável o preço alto que os gestores capazes de obtê-lo cobram por seus serviços. O maior problema é que existem muitos outros gestores cobrando o mesmo preço, sem possuir a habilidade de gerar alfa para seus cotistas. E é uma tarefa difícil diferenciar os gestores que geram alfa daqueles cujo retorno é obtido apenas por assumir mais risco com o seu dinheiro.

Leia a segunda parte deste artigo.

Duas únicas formas de ganhar dinheiro: alfa e beta (parte 1)
5 (100%) 3 votos

Categorias: Plano de investimento, Economia