Entenda os tipos de fundos de investimento

Renda fixa, multimercados, ações… Você sabe como os fundos de investimento são classificados? 

Os fundos são divididos em tipos pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM), de acordo com a composição de sua carteira. Os nomes dos fundos devem indicar sua classificação, para facilitar a identificação da política de investimento pelo investidor.

banner-blog-lancamentoPor isso, o nome de um fundo multimercado como o ARX Extra é seguido pelas letrinhas FIM, que significa Fundo de Investimento Multimercado. Já o nome completo do fundo Guepardo I, por exemplo, vem acompanhado de FIA, ou seja, Fundo de Investimentos em ações. Assim, fica mais rápido e fácil entender as características e riscos envolvidos.

As classificações são definidas a partir do principal fator de risco associado à carteira do fundo, que pode ser o índice de preço, a taxa de juros, o índice de ações ou o preço do ativo, cuja variação pode produzir maiores efeitos sobre o valor da sua aplicação no fundo. Entenda cada uma das classificações adotadas pela CVM para os fundos de investimento.

Classificação da CVM

  • Curto prazo
  • Referenciados
  • Renda fixa
  • Ações
  • Cambiais
  • Dívida externa
  • Multimercado 

Curto prazo

Aplicam seus recursos exclusivamente em títulos públicos federais ou privados pré-fixados ou indexados a CDI/Selic ou a outros índices. Esses títulos podem ser indexados a taxas de juros ou inflação, com prazo máximo a decorrer de 375 dias, e prazo médio da carteira do fundo inferior a 60 dias. É permitida a utilização de derivativos apenas para hedge (proteção da carteira) e a realização de operações compromissadas lastreadas em títulos públicos federais.

Referenciados

Investem, no mínimo, 95% de sua carteira em títulos ou operações que buscam acompanhar a variação do indicador de desempenho escolhido (benchmark). Podem ser indexados a índices de juros (como o CDI), inflação (como IGPM, IPCA), moedas estrangeiras e outros. O nome do fundo deve indicar o índice de referência, por exemplo: Brasil Plural Yield Fundo de Investimento Referenciado DI.

Renda fixa

Devem possuir, no mínimo, 80% da carteira em ativos relacionados à variação da taxa de juros ou à um índice de inflação. A vinculação ao índice de renda fixa pode ser direta ou sintetizada (via derivativos). Excluem-se estratégias que impliquem exposição de moeda estrangeira ou de renda variável.

Ações

Devem manter, no mínimo, 67% da carteira investida em ações negociadas em bolsa de valores ou em mercado de balcão organizado.

Cambiais

Devem possuir, no mínimo, 80% da carteira em ativos relacionados à variação de preços de moeda estrangeira ou à variação do cupom cambial. Além de estarem sujeitos à variação cambial, os ativos podem ter outros tipos de risco, como títulos de dívida com risco de crédito. O montante não aplicado em ativos relacionados a moedas estrangeiras deve ser aplicado somente em títulos e operações de renda fixa.banner-ebook-fundos

Dívida externa

Aplicam, no mínimo, 80% de seu patrimônio em títulos representativos da dívida externa de responsabilidade da União, sendo permitida a aplicação do restante em outros títulos de créditos transacionados no mercado internacional.

Multimercados

As políticas de investimento dos fundos multimercados envolvem várias modalidades de investimento. Fundos multimercados podem ter características como performance, risco e liquidez muito diferentes uns dos outros, dependendo da estratégia de cada fundo.

Entenda os tipos de fundos de investimento
4.56 (91.11%) 18 votos

Categorias: Fundos de ações, Fundos de curto prazo, Fundos multimercados, Fundos referenciados, Fundos de investimento, Outros fundos