Fechamento de fundos da Apex e da Plural

Interromper a captação de recursos pode parecer estranho para uma empresa em expansão, mas no mercado de investimentos esta é uma decisão acertada e corajosa sob o ponto de vista do gestor que zela pela qualidade da estratégia.

Via de regra, quando um gestor anuncia o fechamento de um fundo os investidores não deveriam perder a oportunidade de investir na pequena janela de oportunidade criada entre o anúncio e o fechamento efetivo, e os fundos Apex Ações e Plural Capital Equity Hedge acabam de abrir essa janela.

Apex Ações

O fundo Apex Ações anunciou que irá fechar para captação no dia 31 de agosto ou quando alcançar o patrimônio de R$ 100 milhões. Atualmente com R$ 83 milhões, o fundo segue em ritmo acelerado de captação, rendendo 16,84% em 2012 contra -1,16% do Ibovespa.

Comandada por Fábio Spinola Vianna, gestor de renda variável, a Apex Capital já teve o Fundo Apex Equity Hedge fechado, por ter alcançado o volume de R$ 450 milhões. Este foi o patrimônio máximo definido pela empresa para garantir o melhor retorno para os clientes.

No fim de 2012, Fábio deixou a empresa em que era responsável pela área de renda variável, a Quest Investimentos, comandada pelo ex-ministro das Comunicações, ex-presidente do BNDES e ex-diretor do Banco Central, Luiz Carlos Mendonça de Barros. Junto com ele foram também o analista de ações Paulo Weickert e o também gestor, José Rocha.

Nos mais de cinco anos na Quest, a equipe construiu um histórico positivo de desempenho nos fundos Quest Small Caps, Quest Ações e Quest Equity Hedge. Hoje, este histórico de boa gestão continua na Apex Capital.

Plural Capital Equity Hedge

O fundo Plural Capital Equity Hedge também anunciou que vai fechar quando alcançar R$ 500 milhões. Atualmente, o fundo está com patrimônio de R$ 380 milhões, e em ritmo acelerado de captação. Nos últimos três meses entraram mais de R$ 200 milhões, o que mostra que o fechamento deve acontecer em breve, e os interessados em investir não podem perder tempo. Este fundo possui uma liquidez de D+15 (quando um resgate é solicitado, o pagamento é feito em 15 dias).

A Plural irá abrir um novo fundo, com a mesma estratégia, mas com um liquidez menor, de D+30.

Este fundo apresenta rentabilidade histórica superior a 160% do CDI, com volatilidade abaixo de 3%. A relação risco/retorno (Sharpe) é de 2,66, o que o coloca entre pares como o fundo Advis Delta, CSHG Verde, Dynamo Cougar, Advis Enduro, Nest Arb, que também estão na lista dos fundos que já não recebem mais recursos.

Nas estratégias multimercado, tem ficado cada vez mais difícil encontrar valor no trabalho dos gestores e os investidores mais atentos têm migrado dos investimentos convencionais em renda fixa para estratégias mais rentáveis, como essas.

As pessoas envolvidas nos processos de decisão são o grande ativo dos clientes. Seja pela forma como operam o patrimônio, seja pelo acerto na decisão em fechar o fundo, ainda que um patrimônio maior gerasse mais receitas para o gestor no curto prazo, elas preferem uma estratégia sustentável no longo prazo.

 

Seja o primeiro a avaliar!

Categorias: Fundos de ações, Fundos de investimento, Outros fundos
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Ávila é cofundador da Vérios e consultor de investimentos com a certificação CFP®