Postado em: Avançado, Cansou de ler sobre investimentos?, Economia>Economia comportamental, Iniciante, Intermediário, Planejamento pessoalPor:
9 de Março de 2017 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Finanças para mulheres? Finanças são pra todos!

9 de Março de 2017

Em 2006 li um livro, entre tantos outros. Era “o” livro, meu primeiro sobre educação financeira. E ele era direcionado para mulheres.

Além de acreditar que o mestre chega quando o aluno está pronto (no caso, meu mestre foi o livro chegando no momento exato em que eu estava pronta para recebê-lo), acredito também que o mestre chega com linguagem familiar aos nossos ouvidos.

O livro falava comigo. Entendia minhas aflições e apoiava meus sonhos. Era como uma melhor amiga que conhecia meus mais secretos desejos e ainda me mostrava o caminho a seguir.

Nunca até aquele momento, quando tinha meus 20 anos, eu havia me interessado por assuntos de finanças, economia e tudo mais. Reportagens na TV e jornais jamais tinham feito o papel de “minha melhor amiga” quando o assunto era dinheiro. A linguagem desse universo, até pouco tempo, era feita para poucos, excluindo um grande número de pessoas. Entre elas, muitas mulheres.

Não podemos negar que, até um passado recente, nossa cultura colocava de forma muito clara as mulheres em lugares definidos pela sociedade, que eram: em casa cuidando dos filhos, da casa e do conforto do marido. Já aconteceram muitas mudanças, mas falo de tempos que, como ondas do mar, ainda batem na nossa “poupança” (no sentido da anatomia do nosso corpo, se é que você me entende).

No último dia 24 de fevereiro completaram-se 85 anos desde que nós brasileiras ganhamos o direito de votar. Apenas 85 anos.

Por mais que busquemos a igualdade, eu, como mulher, tenho total consciência de que nunca seremos iguais. Queremos direitos iguais aos dos homens porque sabemos que temos tanta capacidade quanto eles em diversas situações. Porém, seremos sempre homens e mulheres, com as diferenças que isso implica. E não há como mudar.

Ainda seremos nós a engravidar, a carregar um bebê numa gestação por meses, a passar pelo parto e tudo que isso envolve

Ainda teremos TPM e vários conflitos emocionais desencadeados pelos hormônios. Ainda seremos nós a manter um ciclo menstrual mensal. Ainda seremos nós a engravidar, a carregar um bebê numa gestação por meses, a passar pelo parto e tudo que isso envolve; ainda amamentaremos, ficaremos afastadas do trabalho por um período onde nos dedicaremos quase que integralmente ao filho, lidando novamente com uma enxurrada de hormônios. Enfim… certas coisas nunca vão mudar.

Isso tudo nos leva a assumir certas particularidades de comportamentos e situações que cada gênero enfrenta. Homens e mulheres possuem relações de consumo diferentes.

Por isso acredito que é possível falar de finanças só para mulheres, mesmo sendo um assunto que, na verdade, é do interesse de todos. Isso inclui tornar a linguagem mais acessível a partir de uma comunicação direcionada, vinda de quem tem empatia, como dicas e experiências para ajudar muitas mulheres a enfrentar determinadas situações nais quais um homem naturalmente agiria de uma outra maneira.

E que fique bem claro: são apenas maneiras diferentes de encarar o assunto. Não é uma questão de fazer certo ou errado, é uma questão de fazer diferente.

Em meu site foco em finanças para mulheres, mas acabo atingindo um público muito maior, com muitos homens que têm o mesmo anseio por consumir uma forma diferente de aprendizado financeiro, tirando tanto proveito quanto as mulheres.

Minha comunicação não representa preconceito, não é para excluir nem ofender, pelo contrário. É para abraçar o diferente e fazer com que todos tenham o mesmo acesso à informação.

Não dá pra falar de um assunto geral utilizando uma mesma linguagem se a gente quer tocar as pessoas de verdade

É uma questão de aceitar que as diferenças existem, e de respeitá-las. Elas existem em todos os momentos e em todos os grupos. Não dá pra falar de um assunto geral utilizando uma mesma linguagem se a gente quer tocar as pessoas de verdade. Estamos aqui pra isso, para facilitar a vida de um grupo que tem sede por pertencer.

Este é meu trabalho: traduzir um conhecimento antes exclusivo de um grupo de privilegiados para mulheres que desejam conquistar sua própria riqueza e muitos outros simpatizantes que anseiam por essas informações descomplicadas.

Viva a educação financeira, vivam as diferenças e bora enricar!

Este artigo foi útil para você?
Finanças para mulheres? Finanças são pra todos!
5 (100%) 12 votes

Compartilhe:
9 de Março de 2017
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

203183 min de leitura

Apenas 18% das pessoas que investem com a Vérios são mulheres. Ajude-nos a mudar isso!

Sempre soubemos que a proporção entre clientes homens e mulheres não era nada equilibrada. A maior parte das pessoas que entram em contato conosco todos os dias são h...

Continue lendo
279155 min de leitura

“O mercado financeiro é masculinizado”: confira a entrevista com Itali Collini

Pelas nossas estimativas, cerca de 75% dos leitores do blog da Vérios são homens. Então existe uma grande probabilidade de você ser um deles — e ficamos muito ...

Continue lendo
342113 min de leitura

Saber investir pode empoderar uma mulher

Para muitas mulheres, existe alguém (um homem, no geral) que cuida do dinheiro delas. Um pai, um marido, um irmão. O problema é que esta situação acaba gerando uma dependência enorme. Como tomar uma decisão importante na sua vida, se você não sabe se tem dinheiro para aquilo ou não? Saiba mais sobre investimento para mulheres!

Continue lendo

Autores

Fundadora do site de educação financeira A Rica Simplicidade, Maiara é coach certificada pela Abracoaching, com especialização em psicologia econômica e tem a missão de empoderar as mulheres através da independência financeira

Comentários