Fundos de investimento do Itaú valem a pena?

Os fundos de investimento estão entre as aplicações financeiras mais conhecidas dos brasileiros e só perdem em popularidade para a caderneta de poupança. A facilidade na hora de aplicar diretamente pelo banco faz com que os investidores optem por essas duas modalidades, embora nem sempre sejam as opções mais baratas e com melhor rendimento. 

Não é à toa que a indústria de fundos tem cerca de R$ 3,3 trilhões de patrimônio líquido sob gestão, segundo dados da Associação Nacional das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima)1.

Os cinco grandes bancos – Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, Itaú Unibanco e Santander – ajudam a garantir a visibilidade do setor, com uma farta prateleira de fundos de todas as categorias (renda fixa, multimercados, ações e cambiais).

Saiba mais como funcionam os fundos de investimento.

Maior banco privado do país, o Itaú oferece desde carteiras mais simples até fundos mais arrojados. Para ajudar você em sua avaliação sobre os fundos de investimento do Itaú, apresentamos abaixo diversas informações e comparações.

Selecionamos alguns dos principais fundos disponíveis aos clientes do banco Itaú e comparamos a performance deles com o desempenho da carteira inteligente da Vérios. Para facilitar, dividimos a lista entre fundos mais conservadores, compostos basicamente por ativos de renda fixa, e carteiras que aplicam em ativos de renda variável, como ações negociadas na bolsa.

Renda fixa

Ao abrir a página de fundos de investimentos no site do Itaú, algumas opções podem saltar aos olhos por permitirem pequenas aplicações. É o caso do Itaú Renda Fixa Simples, que possibilita aportes de apenas R$ 50.

Para investir nesse fundo, você terá de arcar com uma taxa de administração de 2,20% ao ano. Sem contar outros custos que às vezes passam despercebidos (entenda todos os custos dos investimentos). O fundo tem 95% da carteira aplicada em títulos públicos e/ou papéis de renda fixa de baixo risco de crédito.

Detalhe: a Vérios cobra 0,95% ao ano sobre o valor investido para gerenciar uma carteira composta por uma parcela de títulos públicos e um pouquinho de ações. Isso inclui todos os custos da carteira. Ou seja, uma cestbanner-blog-lancamentoa mais barata e diversificada, com a dose de risco ajustada de acordo com o seu paladar.

Agora vamos observar outros exemplos de fundos de investimento Itaú.

Também direcionados a investidores de perfil conservador, o fundos Itaú Uniclass Renda Fixa e Itaú Uniclass Renda Fixa Referenciado DI possuem liquidez diária e possibilitam aplicações mínimas de R$ 500. As carteiras compostas por, no mínimo, 80% de títulos públicos e ativos com baixo risco de crédito têm taxa de administração de 2% anuais.

Existem fundos de renda fixa com taxa de administração menor, mas que ainda assim apresentam rentabilidade inferior em comparação com as carteiras da Vérios. Um deles é o Itaú Uniclass Premium Renda Fixa Referenciado DI, que cobra 1,40% ao ano de taxa – o investimento mínimo é de R$ 100 mil. Assim como os outros, trata-se de um fundo que busca acompanhar a variação do Certificado de Depósito Interfinanceiro (CDI), referencial de aplicações conservadoras.

Observe como o retorno do fundo fica bem abaixo do desempenho das cinco carteiras oferecidas pela Vérios:

comparacao-itau-uniclass

Veja também o caso do Itaú Personnalité Renda Fixa Mix Crédito Privado Longo Prazo, direcionado a clientes de alta renda e disponível para aplicações a partir de R$ 300 mil.

Apesar de ter uma taxa de administração menor se comparado aos demais (0,60% ao ano), o fundo cobra a chamada taxa de performance quando a rentabilidade ultrapassa o desempenho do indicador (benchmark). Ou seja, sempre que a carteira tiver retorno acima de 100% do CDI, o investidor paga 20% sobre esse excedente.

Note a diferença entre a rentabilidade desse fundo e das nossas carteiras nos últimos anos.

comparacao-itaupersonnalite

Outras carteiras de baixo risco, como o Itaú Personnalité Excellence Referenciado DI, o Itaú Personnalité Renda Fixa Referenciado DI Premium, o Itaú Uniclass Renda Fixa Master ou o Itaú Personnalité Renda Fixa Referenciado DI Maxime, também apresentam rentabilidade acumulada inferior às carteiras da Vérios.

Os quatro fundos de investimento do Itaú procuram seguir o CDI, embora as taxas de administração variem de 0,50% (no caso do Excellence) a 1% (Maxime), com aplicações mínimas que vão de R$ 50 mil a R$ 500 mil.

Dica: consulte o desempenho de todos esses fundos gratuitamente no Comparação de Fundos.

Renda variável

Na categoria de renda variável, o fundo Itaú Ações Blue é um fundo de investimento em ações, cujo objetivo é atingir retorno superior ao do Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores brasileira. Com perfil mais agressivo, a carteira permite aporte mínimo de R$ 200 e cobra taxa de administração de 4% ao ano. O fundo talvez não esteja mais sendo vendido pelos gerentes do banco, pois o número de cotistas parou de crescer há alguns anos, mas ainda tem mais de 673 mil investidores, de acordo com dados da CVM.

Como dá para notar no gráfico abaixo, o fundo tem patinado desde 2008, acompanhando a trajetória negativa do seu referencial, o Ibovespa. As carteiras montadas pela Vérios, por sua vez, exibem retorno maior por conta da diversificação de ativos, com papéis de renda fixa do Tesouro Direto (títulos públicos pós-fixados, prefixados ou atrelados à inflação) que ajudam a reduzir os riscos do investimento em bolsa, por exemplo.

comparacao-itauacoes

Outro exemplo é o Itaú Ações IBrX Ativo, que procura ganhar, em rentabilidade, do IBrX 100, seleção das 100 maiores empresas listadas na BM&FBovespa. Para conseguir atingir esse objetivo, o fundo cobra também 4% de taxa de administração ao ano, permitindo aplicações a partir de R$ 1 mil.

Para se ter uma ideia, é possível garantir exposição ao mercado de ações com baixo custo por meio do investimento em fundos de índice (os chamados ETFs). A Vérios escolheu o ETF PIBB11, que acompanha o índice IBrX 50 – composto pelas 50 maiores empresas listadas na bolsa. O curioso é que esse ETF também é do Itaú, administrado e gerido pelo banco, e cobra uma taxa de apenas 0,059% ao ano. É uma forma muito mais barata de obter exposição ao mercado de ações.

Vale lembrar que, ao investir pela carteira inteligente, você só paga 0,95% ao ano e ainda não precisa se preocupar com administração dos seus investimentos. A taxa de administração do ETF já está inclusa nesse total, junto com todos os outros custos e também com a remuneração da Vérios. Nós fazemos a gestão de todo o portfólio, com acompanhamento e rebalanceamento constantes, e você acompanha facilmente pelo computador ou pelo celular.

Que tal, então, fazer uma simulação para descobrir a alocação diversificada que indicamos para o seu perfil de risco? É rápido e fácil.

banner-ebook-fundos

1Dados referentes a agosto de 2016.

Fundos de investimento do Itaú valem a pena?
4.57 (91.43%) 7 votos

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Fundos de investimento
  • Fernando Luiz

    VCs deveriam entrar no assunto de impacto da taxa de administração na rentabilidade dos fundos. Somente falar de taxa alta é incompleto para o investidor, pois ele pensa que se o fundo estiver rendendo, ok cobrar muito. A questão é que a taxa come uma boa parte da rentabilidade deste tipo de ufndo e desvia riqueza pro adminstrador. Riqueza que deveria estar indo para o investidor.

    • Oi, Fernando. Nós temos um estudo muito legal sobre o impacto das altas taxas, principalmente nos fundos de renda fixa dos grandes bancos. Esse nosso estudo virou matéria no Valor Econômico, Rádio CBN e GloboNews. Dá uma olhada: https://verios.com.br/blog/fundos-que-ganham-mais-que-seus-clientes/

      • Fernando Luiz

        OK vou ler. Este estudo deveria estar junto com o post. Falta contexto para o post fechar a discussão. E o impacto das taxas na rentabilidade dá este contexto. Foi isto que quis dizer. Obrigado pela resposta Felipe.

        • Por nada, Fernando! A gente nem sempre fecha as discussões. Algumas vezes a gente chega até as conclusões finais, mas em outras vezes a gente só traz alguns números e questionamentos, pra provocar uma reflexão, fazer os leitores pensarem junto com a gente. 🙂

          • Fernando Luiz

            O que faz com quem vcs nunca estejam errados, incompletos ou misleaded … ok, conveniente.

  • Fritz

    A asset do Itau, por ser generalista e querer atender a todos os públicos, não é boa em nada. Apesar de ter uma porrada de fundos, a grande maioria dos produtos são medíocres.
    Na verdade, pode perceber que qualquer produto de bancão é porcaria e vem para atender as massas.