Imposto de Renda e investimentos: entenda como funciona

Como declarar os investimentos no Imposto de Renda

Como qualquer outro tipo de renda que entra no seu bolso, os investimentos também devem estar presentes na declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física. Dependendo do investimento e da existência de lucros, é preciso pagar à Receita um valor sobre seus rendimentos.

Mas você sabe quanto deve pagar de impostos ao investir? Ou quando a Receita te deixa isento dessa obrigação?

Esclarecemos as principais dúvidas sobre Imposto de Renda e investimentos para que você entenda como isso funciona e planeje melhor seus objetivos considerando os ganhos com investimentos já líquidos de impostos.

Como declarar investimentos no Imposto de Renda?

Para cada tipo de investimento, há informações específicas que devem ser declaradas. E todo o cuidado no preenchimento desses dados é pouco! Em caso de erro, mesmo que sem intenção, o investidor pode cair na malha fina e pagar multas.

Confira abaixo quando e como fazer a declaração do Imposto de Renda das principais aplicações financeiras.

Investimentos de renda fixa

– CDBs

Os CDBs devem ser declarados se os ganhos com essas aplicações forem maiores que R$ 140,00.

– Fundos de investimento

Assim como os CDBs, as aplicações em fundos devem ser declaradas se os ganhos forem maiores que R$ 140,00.

– Títulos públicos do Tesouro Direto

É preciso informar o valor investido e os rendimentos obtidos já com o IR descontado (o imposto é retido na fonte, como explicaremos a seguir). Veja aqui um guia para declarar os títulos do Tesouro Direto.

Previdência privada

Deve ser declarado o valor contribuído ao longo do ano. Apenas a modalidade PGBL é dedutível na declaração do IR, e só se for feita a declaração completa.

Investimentos em renda variável

– Ações

O investimento em ações deve ser declarado quando for maior que R$ 1.000,00 em carteira. Cada compra ou venda de lote de ações realizada pelo investidor gera uma nota fiscal de corretagem, a qual será usada para fazer a declaração.

Quem faz movimentações de ações no período de um mês, em vez de segurá-las em carteira, precisa gerar a DARF mensal, útil para declarar e já pagar o imposto de forma recorrente.

Para quem é trader, investidor que realiza muitas compras e vendas para ganhar nas diferenças de preço de um ativo no curto prazo, o ideal é fazer isso de forma automatizada, afinal, quanto mais operações forem feitas, mais itens será preciso para declarar. O artigo Imposto de Renda na Bolsa (do site Bússola do Investidor) explica de forma detalhada as regras e maneiras de compensação de prejuízos.

– ETFs

A lógica da declaração é bem parecida com as ações. Acesse aqui um guia completo para a declaração de ETFs. 

Alíquota de IR sobre os investimentos

Aplicações isentas

A caderneta de poupança, alguns tipos de previdência privada e as Letras de Crédito Imobiliário e do Agronegócio (LCI e LCA) são aplicações que não têm incidência de Imposto de Renda. O investimento em ações é isento dentro de certos limites, como veremos mais adiante.

Atenção! O fato de uma aplicação contar com o benefício fiscal da isenção de Imposto de Renda não libera você de incluí-la em sua declaração anual.

Renda fixa: títulos públicos, CDBs, letras de câmbio (LCs) e debêntures

A alíquota do IR é aplicada sobre os ganhos que você obtiver com o investimento. Na renda fixa, ocorre a retenção na fonte: o imposto é descontado diretamente pela instituição por onde você fez o investimento, a corretora ou o banco. Isso significa que os resgates que você fizer já virão líquidos da mordida do Leão.

A alíquota de Imposto de Renda varia conforme o tempo em que o dinheiro fica aplicado. Quanto mais tempo você mantiver o investimento, menos você pagará de imposto, como mostramos a seguir:

  • Até 180 dias: 22,5% dos ganhos
  • Entre 181 e 360 dias: 20% dos ganhos
  • Entre 361 e 720 dias: 17,5% dos ganhos
  • Acima de 720 dias: 15% dos ganhos

É preciso atentar também ao IOF, o Imposto sobre Operações Financeiras, que, assim como o IR, é aplicado de forma regressiva. A alíquota do IOF varia de 96% a 0% dos ganhos, dependendo do número de dias decorridos entre a aplicação e o resgate. A partir do 30º dia, não ocorre mais a incidência desse imposto!

Renda variável: ações, ETFs e opções

No investimento direto em ações, existe a isenção de Imposto de Renda caso o total em ações vendidas no período de um mês não ultrapasse R$ 20 mil. Mas atenção, isso vale apenas para operações normais (não vale para o day trade, onde há compra e venda no mesmo dia). O alíquota de IR sobre os ganhos com ações fica assim:

  • 15% sobre o lucro obtido com a venda de ações em valor superior a R$ 20 mil no mês
  • 20% sobre o lucro obtido com operações de day trade

Opções e ETFs não contam com a isenção de IR até o limite de R$ 20 mil. A alíquota é sempre de 20% sobre os ganhos obtidos com essas aplicações.

Para saber sobre os impostos cobrados ao investir em fundos de investimento, recomendamos estes artigos:

Tributação dos fundos de investimento: IR e IOF
Quem mexeu nas minhas cotas? Saiba tudo sobre o come-cotas

Há alguma forma de pagar menos impostos?

A forma de pagar menos impostos, ou melhor, de evitar pagar a mais, é declarar corretamente para não cair nas garras do Leão. Bons investimentos e atenção aos impostos!

***

Quem investe com a Vérios recebe um informe de rendimentos que facilita — e muito! — o preenchimento da declaração de Imposto de Renda. Quer essa comodidade? Comece criando seu plano de investimento conosco.

Imposto de Renda e investimentos: entenda como funciona
5 (100%) 6 votos

Categorias: Iniciante, Intermediário, Planejamento pessoal
  • Renan Mazzarolo

    A Aninha comentou que a Vérios entregará a cada cliente as informações mastigadas para preenchermos o IR, qual seria a data da liberação destas informações?
    Já li os outros dois artigos sobre como declarar o IR do tesouro direto e os ETF’s.

    • Isabella Paschuini

      Oi, Renan!

      Estamos preparando tudo por aqui para gerar os informes da forma mais conveniente para os clientes. Ainda não temos uma data, mas em breve você será avisado. Pode ficar tranquilo que estamos atentos ao prazo da Receita para a declaração do IR!

      Um abraço!
      Isa