Postado em: Avançado, Intermediário, Planejamento pessoal>Plano de investimento, Sem categoria, Tipos de investimentos>CDB, Tipos de investimentos>LCI e LCA, Tipos de investimentos>Títulos públicosPor:
10 de agosto de 2016 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

LCI ou Tesouro Selic? LCA ou CDB? Use o comparativo de rentabilidade

10 de agosto de 2016

Qual investimento é melhor: LCI ou Tesouro Selic? Uma LCI que paga 80% do CDI ou o título do Tesouro Direto que rende de acordo com a taxa básica de juros? Um CDB ou uma LCA?

Recebemos questionamentos como esses frequentemente. Quem faz a pergunta geralmente leva em conta apenas a rentabilidade dos títulos.

A comparação que podemos fazer é “qual investimento rende mais?”, mas nem sempre a maior rentabilidade significa que seja o investimento mais adequado para a sua necessidade, concorda?

Leia também: O que investir e plantar uma árvore têm em comum?

Se você não possui outros investimentos em renda fixa, aplicar seu dinheiro em um título que fica “preso” por pelo menos 90 dias, como é o caso das LCI e LCA e alguns CDBs, pode ser uma furada. Nesse caso, a grande diferença de liquidez é mais importante do que uma pequena diferença de rentabilidade.

De qualquer maneira, ao comparar rentabilidades, é importante notar uma coisa: nem sempre o investimento que oferece a maior taxa de rentabilidade é o que vai de fato render mais. É preciso considerar outros fatores, como o período do investimento, que influencia na alíquota de tributação.

São muitas opções! LCI ou Tesouro Selic? CDB ou LCA? Para te ajudar nisso, construímos uma planilha que compara a rentabilidade dos principais títulos de renda fixa pós-fixados:

  • Tesouro Selic (LFT), título público do Tesouro Direto que rende juros indexados à taxa Selic;
  • LCI e LCA, letras de crédito imobiliário e do agronegócio; e
  • CDB, certificado de depósito bancário. 

>> Download da planilha de comparação de rentabilidade

Importante! Tomar decisões de investimento com base apenas na rentabilidade é um comportamento que não recomendamos. Afinal, para fazer uma boa escolha é preciso considerar outros fatores além da rentabilidade, tais como liquidez, riscos, custos e principalmente qual o seu perfil e objetivo ao investir em determinado produto financeiro.

LCI ou Tesouro Selic? A isenção de Imposto de Renda vale a pena?

Uma dificuldade na comparação desses ativos de renda fixa é que LCI e LCA atualmente possuem isenção fiscal (não incide Imposto de Renda), e os demais, não. Levando isso em conta, como saber qual investimento renderá mais?

Nesse caso, um fator essencial para realizar a comparação é conhecer a liquidez dos investimentos. Assim, você saberá qual alíquota de desconto de IR deverá ser aplicada na comparação.

Aplicações como CDB e Tesouro Selic possuem tributação regressiva. Quanto mais tempo você mantém o investimento, menor será a alíquota de imposto sobre o rendimento. Confira:

Período do investimento

 

 

 

 

 

Alíquota de IR

Até 6 meses
 
   
 
22,5%
De 6 meses a 1 ano
 
   
 
20%
De 1 a 2 anos
 
   
 
17,5%
Mais de 2 anos
 
   
 
15%

 

Atenção: As alíquotas já são aplicadas automaticamente na planilha de acordo com o período do investimento! 😉

Taxa Selic e CDI: entenda a diferença

Na dúvida entre LCI ou Tesouro Selic, outro aspecto que precisa ser levado em conta na comparação é o indexador do investimento, ou seja, o fator que irá definir a rentabilidade da aplicação.

Enquanto o Tesouro Selic é remunerado com base na Selic, os CDBs e as letras de crédito são indexados ao CDI, ou taxa DI.

Apesar de a taxa DI estar diretamente relacionada à Selic, cada um é calculado de uma forma, e por isso seus valores são ligeiramente diferentes. Por exemplo, em maio de 2018 a Selic estava em 6,50% ao ano e a taxa DI, em 6,39% ao ano.

Resumindo:

Taxa Selic

A taxa básica de juros da economia é determinada pelas transferências de recursos realizadas entre as instituições financeiras e o Banco Central, que têm como referência a meta da Selic estabelecida pelo Comitê de Política Monetária, o Copom (é aquela taxa que é divulgada a cada 45 dias).

CDI ou taxa DI

O Certificado de Depósito Interbancário é um instrumento financeiro de captação de recursos entre instituições financeiras, e a taxa de juros que vale nessas operações é a taxa DI.

Você pode consultar a taxa DI no site da CETIP. Aliás, o site tem uma ferramenta bem útil para que você consiga acumular a Taxa DI entre períodos. Por exemplo, se você sabe que um investimento rendeu 80% do CDI durante 3 meses, quanto foi a rentabilidade total?

A taxa Selic, por sua vez, pode ser consultada no site do Banco Central.

Comparando rentabilidades na planilha

A planilha de comparação de ativos pós-fixados já considera todas essas diferenças que comentamos — tributação, liquidez e indexador — para que você possa comparar a rentabilidade da LCI ou Tesouro Selic, CDB e LCA jeito certo.

LCI ou Tesouro Selic? Compare na planilha!

Você só precisa incluir os dados de vencimento dos títulos e a taxa de remuneração pactuada (informações que você obtém com seu banco ou na corretora onde pretende fazer a aplicação).

Lembre-se de atualizar os valores da taxa DI e da taxa Selic! E considere que, como o investimento é pós-fixado, futuras alterações na taxa Selic e CDI serão refletidas no seu ganho.

Custos já estão descontados?

No caso do Tesouro Selic, a taxa de custódia do Tesouro Direto (0,30% ao ano) já é descontada automaticamente na planilha! As corretoras cobram também uma taxa de corretagem, que varia de uma instituição para outra, por isso não foi incluída.

Já no caso do CDB, LCI e LCA, as aplicações são líquidas de custos. Mas atenção! Isso não significa que são investimentos sem custos, e sim que eles vêm na forma de spread bancário, e você não tem como saber quanto é. 🙁

Esperamos que a planilha seja útil para você decidir se vai investir na LCI ou Tesouro Selic, no CDB ou LCA! Se ficou alguma dúvida, pode deixar aqui nos comentários.

***

Uma dica de amigo: Aprecie a rentabilidade com moderação. Lembre que seu perfil e objetivo, além dos custos, liquidez e riscos dos ativos são fatores igualmente importantes na construção de um bom plano de investimento. Estudos mostram que reduzir os custos da sua carteira de investimentos é a única forma garantida de aumentar sua rentabilidade no longo prazo. Já em relação aos riscos, é preciso estar ciente que ativos de renda fixa também têm riscos.

Dentre os investimentos que listamos neste artigo, a Vérios indica o Tesouro Selic como o ativo mais apropriado para representar sua parcela de investimento em renda fixa, por ter o menor risco de crédito do país, com uma rentabilidade muito próxima dos ativos mais arriscados. Descubra o percentual que recomendamos alocar em Tesouro Selic em uma carteira diversificada, de acordo com seu perfil de investidor.

Este artigo foi útil para você?
LCI ou Tesouro Selic? LCA ou CDB? Use o comparativo de rentabilidade
4.7 (94.29%) 35 votes

Compartilhe:
10 de agosto de 2016
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

15943013 min de leitura

Títulos públicos: o que são e como funcionam

Os títulos públicos são ativos de renda fixa emitidos pelo Tesouro Nacional para financiar a dívida pública nacional. Eles possuem diversas características que o in...

Continue lendo
1341468 min de leitura

Diversificação de investimentos: o que você precisa saber

“Tenha uma carteira de investimentos diversificada.” Esse é um mantra muito utilizado por profissionais sérios do mercado financeiro. Afinal, a diversificação de ...

Continue lendo
492247 min de leitura

Como é investir com a Vérios? Saiba tudo sobre a carteira inteligente

A Vérios criou uma maneira inovadora de ajudar você a investir seu dinheiro: a carteira inteligente. Ajudamos você a investir como um profissional, só que sem a compl...

Continue lendo
28237 min de leitura

É seguro investir no Tesouro Direto?

Com o retorno minguado da poupança, os brasileiros têm buscado alternativas para fazer o dinheiro render mais. Entre tantas opções disponíveis no mercado, os título...

Continue lendo

Autores

Economista pela Unicamp com Certificação de Gestores Anbima (CGA) e programadora nas horas vagas, Aninha foi Head de Customer Experience na Vérios e ajudou a construir nosso modelo de atendimento próximo e eficiente, que se tornou referência no mercado financeiro

Marcelo estuda Administração na USP e integra a equipe de Estratégia de Investimento da Vérios

Comentários