Postado em: Sem categoriaPor:
21 de novembro de 2012 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Nest Arb e uma nova forma de ver o risco

21 de novembro de 2012

O Nest Arb, um dos fundos de investimento mais interessantes do mercado, irá reabrir na próxima sexta-feira (23/11/2012). O fundo se destaca de maneira impressionante em algumas avaliações do risco estatístico. Além da volatilidade, estamos desenvolvendo outros indicadores que serão disponibilizados no site, mas que já utilizamos internamente e apresentamos em primeira mão neste artigo.

A reabertura será por meio de um fundo feeder, com modificação do prazo de resgate, de 18 para 33 dias. O Nest Arb encontra-se fechado desde julho/2012 e vai reabrir para captar apenas R$ 100 milhões, o que deve ser concluído em cerca de 1 semana, de acordo com estimativas da gestora.

O Nest Arb, um dos fundos de investimento mais interessantes do mercado, vai reabrir.

Além da volatilidade, já utilizamos internamente o Underwater Curve, um gráfico destinado especialmente à visualização do risco. Ele desconsidera todos os ganhos do fundo e mostra apenas as perdas, para revelar, de maneira visual, a magnitude das perdas acumuladas e os prazos de recuperação de cada uma. Em breve, disponibilizaremos no site o underwater e a comparação de underwater.

Com esse gráfico, podemos ver que a maior perda acumulada (max drawdown) da história do Nest Arb foi de 0,4%, do topo ao fundo da curva. E o maior tempo de recuperação foi de apenas 7 dias corridos (3 dias úteis). Esses dois indicadores revelam um pouco do risco do fundo e o quanto suas perdas foram limitadas.

Esse risco pode ser observado no underwater curve abaixo. O gráfico também está presente neste relatório, que utilizamos em nossas avaliações.

O gráfico mostra as quedas em relação ao último pico de rentabilidade histórica do fundo. Se o gráfico underwater curve está sempre próximo a 0%, isso significa que o fundo supera constantemente seu último recorde de rentabilidade e possui consistência nos resultados.

Quanto menor for a área abaixo do zero, menos arriscado é o fundo, do ponto de vista estatístico e histórico.

Em termos práticos, isso significa que o investidor que aplicasse no Nest Arb no pior dia possível teria que tolerar uma perda acumulada de 0,4% do valor investido. Ou, caso aplicasse antes da perda mais longa, teria que tolerar uma perda que se prolongou por 3 dias úteis.

Para comparar, vejamos o underwater curve do Ibovespa. Notem que a escala, do lado esquerdo, é muito diferente, no Nest Arb vai até -0,5% e no Ibovespa até -80%. A queda máxima acumulada (max drawdown) foi de 65% e o maior prazo de recuperação foi de 1.634 dias.

É importante lembrar que todas as informações dos gráficos referem-se ao histórico do fundo, sem qualquer garantia de continuidade desse desempenho. Porém, até o momento, as características de risco são interessantes e do ponto de vista de rentabilidade o fundo também é consistente. Nos últimos 12 meses, a rentabilidade foi de 138% do CDI e historicamente o resultado do fundo é de 167% do CDI. Em 24 meses de operações, o Nest Arb superou o CDI em 23 deles e nunca teve um mês negativo.

O fundo não apresenta risco direcionais, ou seja não é diretamente afetado pelas altas e quedas da bolsa de valores, juros ou inflação. Ele realiza operações de arbitragem, aproveitando-se de imperfeições do mercado, principalmente decorrentes de eventos societários.

Em julho de 2011 o fundo apresentou uma alta expressiva, que é atribuída a posições de proteção contra quedas acentuadas da bolsa. Para manter estas posições, o fundo assume um custo pequeno e constante, durante boa parte do tempo. Porém, quando a bolsa caiu quase 10% em um único dia de agosto de 2011, o fundo obteve um ganho de 4,70% no mês.

O gestor do fundo é o Lucas Danicek Borges, graduado em administração de empresas pela USP.

Se você se interessar em ser cotista, entre em contato.

Este artigo foi útil para você?
Nest Arb e uma nova forma de ver o risco
Seja o primeiro a avaliar!

Compartilhe:
21 de novembro de 2012
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Autores

Um dos cofundadores da Vérios, Resende é gestor de recursos credenciado pela CVM e especialista em Data Science

Comentários