O melhor lugar para o seu dinheiro… pode não ser o banco

Felipe Sotto-Maior e outros empreendedores no Cubo

Você faz investimentos no banco onde tem conta corrente? Talvez já tenha se incomodado com algumas coisas. De um lado, a dificuldade de decidir onde investir: são produtos financeiros diversos, nenhuma solução pensada para as suas necessidades. Do outro, as taxas altas, muitas vezes escondidas, que minguam a rentabilidade das suas aplicações. Sem falar em falta de transparência, burocracia, conflito de interesses…

Graças à tecnologia, estão surgindo no mercado brasileiro startups dedicadas a oferecer serviços que resolvam melhor os seus problemas, de forma mais prática, com mais qualidade e menos custos. Essas empresas são chamadas de fintechs – a Vérios é uma delas.

Duas reportagens publicadas nesta semana abordam o cenário de mudanças provocadas pelas fintechs.

Exame: “Startups versus bancões”

A revista Exame (edição 1106, 03/02/2016) traz um panorama das startups de tecnologia atuando no mercado financeiro brasileiro, citando a Vérios na área de gestão de investimentos. “O que as startups têm de tão bom? Em geral, produtos e serviços mais baratos, mais fáceis de ser usados ou simplesmente inéditos”, afirma a reportagem assinada por Patrícia Valle, ponderando também os desafios que as empresas têm pela frente no desenvolvimento de novos mercados.

Até o momento em que publicamos este artigo, a matéria estava disponível nas edições impressa e digital da Exame, mas ainda não havia sido publicada no site da revista.

Projeto Draft: “Os bancos mudaram – ou terão que mudar”

A segunda reportagem é do Projeto Draft, dedicado à cobertura da expansão da inovação disruptiva no Brasil. “A principal vantagem destas startups ante os bancos tradicionais está na transparência e na obsessão pela desburocratização”, reporta Giovanna Riato.

Os bancos ganham tanto mais dinheiro quanto menos o cliente sabe em que está investindo

Em entrevista ao Draft, comentamos sobre as estruturas arcaicas do mercado financeiro brasileiro, cujo modelo de negócio carrega em sua essência o conflito de interesses.

A realidade é que os bancos ganham mais dinheiro quanto menos o cliente sabe o que está comprando. Por isso, as instituições tradicionais insistem em oferecer produtos e serviços com o lucro em primeiro plano, sem considerar a solução ao real problema que as pessoas enfrentam.

Só que – felizmente para você, e não tanto para o seu banco – essa era de desinformação está chegando ao fim.

Recomendamos a leitura de ambas as reportagens. Você vai conhecer outras startups que, como a Vérios, estão trabalhando em soluções mais inteligentes para você lidar com seu dinheiro.

Crédito da imagem: Revista Exame

 

Seja o primeiro a avaliar!

Categorias: Vérios na mídia, Planejamento pessoal, Por dentro da Vérios
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Felipe é cofundador e CEO da Vérios. Atuou por 7 anos como agente de investimento credenciado pela CVM e Ancord e cofundou o site Comparação de Fundos, primeiro a dar transparência a mais de 15 mil fundos de investimento. Felipe é advogado pela USP e especialista pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA.