O que descobri quando tentei criar meu próprio modelo para investir

História do cliente João Paulo Albuquerque

Cada pessoa que hoje investe com a Vérios viveu uma trajetória única de descobertas. Abrimos este espaço para que elas possam narrar suas histórias de superação e aprendizado com as próprias palavras. Boa leitura e… senta que lá vem história!  

Sou engenheiro, portanto com boa formação em matemática. Nos cursos de engenharia, somos treinados a abordar problemas usando a matemática, essa é uma maneira de encontrar as soluções. O fato é que procuro racionalizar as situações antes de tomar decisões. Independentemente da minha profissão, isso já faz parte da minha personalidade.

Em relação à gestão do meu salário, sou servidor público e estava acostumado a apenas assegurar que meu orçamento não estourasse no final do mês. Meu risco de perder emprego é praticamente nulo, então até pouco tempo eu não tinha a preocupação sequer de fazer uma reserva de emergência. Como não sobrava dinheiro para investir, eu não tinha muito com o que me preocupar, pois boa parte dos bons investimentos que eu conhecia exigiam um valor mínimo de que na maioria das vezes eu não dispunha.

De repente, por várias razões (as quais não vale pena me alongar), passei a dispor de um valor minimamente razoável para investir. Nem é muito, mas eu poderia perder esse pouquinho se investisse mal. Quando falo perder, digo que se um investimento não ganha minimamente da inflação é como se fosse uma perda, porque o poder de compra daquela quantia fica pior com o passar do tempo.

Meu problema então passou a ser outro: como otimizar os rendimentos dentro do meu padrão de investidor, que eu considero moderado? Como ganhar mais arriscando menos?

Na minha cabeça de engenheiro, ficou claro que eu precisava desenvolver um modelo matemático para otimizar esta carteira de investimentos

Eu gosto muito de matemática e sei que investimentos basicamente se baseiam em juros compostos. Por isso, achei que com um pouco de estudo seria possível escolher os melhores produtos para mim. Imaginei que seria simples encontrar as melhores opções.

Quando comecei a pesquisar, deparei-me com uma grande diversidade de de produtos financeiros. Cada um deles tinha um ganho prometido, uma determinada condição de liquidez (o tempo em que o dinheiro fica “preso”) e um risco devido às flutuações do mercado e várias outras razões. Para ganhar mais com menos risco eu precisava combinar todos estes produtos.

Na minha cabeça de engenheiro, ficou claro que eu precisava desenvolver um modelo matemático para otimizar esta carteira de investimentos. Estudando mais um pouquinho, eu descobri que este tipo de modelo até já havia sido inventado — aliás, um modelo não, vários (Há, há! Eu não estava inventando a roda!). Mesmo assim, eu deveria conhecê-los bem para poder escolher o melhor para o meu caso e adaptá-los às condições e produtos financeiros existentes no Brasil.

Eu também já havia percebido que este meu modelo teria muitas variáveis a controlar. A expressão “variáveis” aqui pode ser entendida simplesmente como algo que não controlamos. No mercado financeiro quase tudo é assim, tipo taxas de juros, inflação, índices de bolsas de valores etc. Isso aumenta a complexidade da coisa.

Bem, para desenvolver esta minha carteira, seria preciso muito estudo também, o que não seria problema, pois gosto de estudar.

Também necessitaria de tempo: tempo para estudar, para acompanhar os índices do mercado que influenciariam a minha carteira, para determinar quais variáveis do meu modelo eu deveria controlar, para montar uma base de dados com os índices passados relativos a cada produto que eu desejasse colocar na minha carteira… e por aí vai.

Além de tempo, eu percebi que isso também tem custos. Há o custo de obter as informações que preciso, de colher os dados dos índices, de colher informações sobre centenas de produtos financeiros etc. Também há custos quando tenho que comprar livros ou pagar cursos sobre investimentos. Mesmo quando as informações estão disponíveis na internet gratuitamente — e não seria o caso para todo o material que eu precisaria — há o custo do tempo que se passa para entender e analisar as informações recebidas.

Nesse tempo todo eu poderia estar fazendo outras atividades, seja um lazer ou mesmo uma atividade produtiva

E olha que na internet estamos inundados de informação de boa e de má qualidade. Seria necessário também separar as informações boas das ruins, ou seja, mais tempo requerido.

Nesse tempo todo eu poderia estar fazendo outras atividades, seja um lazer ou mesmo uma atividade produtiva. Caso eu tivesse aplicado o meu tempo ganhando dinheiro, poderia ter ainda mais recursos para investir ou para usufruir algo do meu agrado.

Ainda sobre custos, eu cheguei mesmo avaliar quanto eu pagaria para aumentar meus conhecimentos sobre o mercado financeiro, fosse em cursos, treinamentos ou livros que existem por aí. Alguns treinamentos custam tão caro que eu precisaria ganhar muito dinheiro com os investimentos para recuperar o valor investido. Quando você tem bastante dinheiro para investir, você ganha muito em termos de valor e recupera rapidamente este “investimento”. Esse não era o meu caso.

Sobre livros, sabemos que os melhores custam caro, seja em que área de conhecimento for, e não seria apenas com um único livro que eu obteria todo o conhecimento necessário.

Eu não faço juízo de valor sobre os preços dos livros e dos cursos. Cada um sabe quanto acha que o seu produto vale e o esforço que empreendeu para disponibilizá-lo. Eu apenas usava a razão, mais uma vez, para calcular o quanto eu teria que ganhar nas aplicações financeiras apenas para recuperar o que gastasse para aprender.

Os custos existem até para realizar os investimentos, pois diversos tipos de taxas são cobrados nos ativos: taxas de custódia, emolumentos, taxas de administração etc.

Os impostos que incidem sobre a carteira também variam de acordo com o produto financeiro e o tempo de investimento. Isso deveria estar igualmente presente nos meus cálculos.

Fui aos poucos descobrindo todas essas informações. O meu modelo matemático teria que levá-las em conta também.

Tudo que relatei até agora me deixou bem ciente do esforço que eu teria que empreender para montar e gerenciar minha carteira e fazê-la render o máximo possível dentro do meu padrão de comportamento como investidor.

Foi aí que encontrei a opção dos robo-advisors, que fazem para mim exatamente o que eu precisava. Estes robôs já tem os modelos matemáticos desenvolvidos e adaptados ao Brasil, acompanham o mercado diariamente e se adaptam aos perfis de diversos tipos de investidores. Neles eu encontrei alternativas de carteiras para investidores moderados como eu, mas outros investidores agressivos ou conservadores também encontram alternativas para seus investimentos.

Faltava agora comparar os robôs disponíveis no mercado para ver qual se aplicava melhor ao meu caso.

Eu escolhi a Vérios por razões distintas. Em primeiro lugar, porque os contatos com os seus colaboradores foram francos e diretos. Gosto de ter respostas rápidas e sem rodeios. Perguntei bastante antes de decidir e sempre me responderam rapidamente e com clareza.

Outra razão foram as cláusulas do contrato de adesão, que me pareceram claras e sem “pegadinhas”. Sim, eu leio integralmente tudo antes de assinar, ainda que tenha 50 ou 500 páginas.

A Vérios me deixa livre para sair quando quiser. Isto demonstra para mim que a empresa confia no seu produto e não tem medo de perder o cliente

Também gostei do fato de não haver uma carência mínima para utilização do serviço. Em outras palavras, a Vérios me deixa livre para sair quando quiser. Isso demonstra para mim que a empresa confia no seu produto e não tem medo de perder o cliente. Contratos de fidelidade me desagradam. Vai que aquele serviço, até agora muito bom, cai de qualidade com o passar do tempo? Eu não quero ficar preso a ele. Pensando como consumidor, isso é a garantia de que a Vérios sempre estará tentando fazer o seu melhor para mim. Até nessa hora fui bastante pragmático.

Por fim, eu gostei bastante de ter os custos do serviço claramente definidos e controlados. Com a Vérios eu sei exatamente quanto o investimento vai me custar, independentemente do tempo que eu permanecer ou do valor aplicado.

E é isso! Essa é a minha história de como cheguei até a Vérios.

*O nome do nosso cliente foi alterado, a seu pedido, para preservar sua identidade.

simulação do investimento

Categorias: Avançado, Carteira inteligente, Iniciante, Intermediário, Planejamento pessoal, Plano de investimento, Por dentro da Vérios
  • É bem por ai que eu também escolhi a Vérios, só que eu nem fiquei muito tempo tentando estudar, enrolei tanto que vi que a melhor opção era continuar a investir meu tempo com o que eu realmente gosto e ter a vérios como parceira pra cuidar do resto. Muito satisfeito.

    • Obrigado, Maximo!!
      Muitas vezes, a decisão mais inteligente e rentável é investir o seu tempo pra ganhar mais $$ com o trabalho mesmo.
      Abraço!