O que é o CDI?

Explicamos o que é o CDI e a taxa DI!

Quem pesquisa sobre investimentos topa com essa bendita sigla o tempo todo! Mas você já parou para pensar sobre o que é o CDI?

CDI significa Certificado de Depósito Interbancário e nada mais é que a taxa de juros pela qual os bancos e demais instituições financeiras emprestam dinheiro uns aos outros. O CDI é definido diariamente e está sempre bem próximo da taxa Selic, a taxa básica de juros da economia.

Foi fácil de entender? Que bom! Então saiba que essa explicação está um pouquinho errada… Mas calma, não precisa se desesperar! É só uma questão de nomenclaturas:

O CDI, tal qual o explicamos, na verdade se chama taxa DI.

É muito comum, no mercado financeiro, usarem o termo CDI para se referir à taxa DI. Ou seja, tecnicamente, a taxa pela qual os bancos emprestam dinheiro uns aos outros é a taxa DI! Já CDI é o nome dos títulos (certificados) pelo qual eles mandam dinheiro para lá e para cá todos os dias, são os boletos que os bancos trocam todos os dias entre si!

Bom, então combinemos uma coisa: você sabe que o correto é taxa DI, mas não tem problema falar CDI porque… é assim que todo mundo fala!

Mas, peraí, vamos voltar um pouco… Talvez você esteja se perguntando: por que cargas d’água os bancos emprestam dinheiro uns aos outros? Eles já não são todos rycos, ostentação, verdadeiras máquinas de fazer dinheiro?

CDI: empréstimos que os bancos fazem entre si

Pensa assim: todos os dias a movimentação de dinheiro nos bancos é imensa. Eles oferecem crédito, pagam juros para quem aplica no banco, recebem juros de quem está pagando empréstimos, liberam cédulas para você no caixa eletrônico, dentre muitas outras operações financeiras.

Só que, no final do dia, os bancos devem estar com os saldos zerados em suas tesourarias. Essa é a regra do nosso sistema de compensação bancária. Sendo assim, alguns bancos vão precisar obter dinheiro — porque saiu mais dinheiro do que entrou, o que faz com que eles fiquem “no vermelho” — e outros vão ter que emprestar dinheiro — esses estão “no azul”, mas a regra é ficar zerado.

É por isso que os bancos ficam fazendo empréstimos entre si todos os dias úteis. Para não ficar uma bagunça danada esse “mercado dos bancos”, convencionou-se uma taxa para os empréstimos que são feitos e tomados, a taxa DI.

De onde vem o CDI? Quem decide em quanto fixá-lo?

Nesse momento entra na história a Cetip, instituição que registra todas essas transações feitas pelos bancos. É ela que calcula, a partir de todas as transações feitas, quanto está valendo o CDI.

Note que a taxa está sempre ancorada na Selic, a qual atualmente encontra-se em 12,25% ao ano. Em nenhum lugar está escrito que tem que ser assim, mas esse é um fenômeno de arbitragem na fixação de taxas bem comum no mercado financeiro. Um bom assunto para outro artigo!

Onde consultar o CDI atual

Para saber qual é a taxa DI do dia basta só entrar no site da Cetip e você encontrará essa informação em destaque:

Taxa DI divulgada no site da Cetip
www.cetip.com.br

Observe que a taxa DI, assim como a taxa Selic, tem base anual. Hoje a taxa DI está em 12,13% ao ano. Nas transações entre os bancos, essa taxa é calculada ao dia.

O que o CDI tem a ver com os investimentos?

No mundo dos investimentos, o CDI pode desempenhar ao mesmo tempo alguns papéis, como ser o indexador de algumas aplicações e também uma referência (ou benchmark, no financês) para comparar rentabilidades.

Por exemplo, pense em produtos de renda fixa pós-fixada como CDB, LCI e LCA. Quando você aplica nesses ativos, a rentabilidade costuma ser atrelada ao CDI. Alguns exemplos:

  • CDB do banco XYZ que rende 85% do CDI
  • LCI do banco Pinheirinho que rende 90% do CDI

Você sabe que, no prazo combinado, receberá como rendimento um percentual da taxa DI ou CDI. Ou seja, o CDI funciona como indexador da sua aplicação. Se a taxa DI está em 12,13% ao ano, a aplicação do banco XYZ vai render 85% de 12,13%, que é 10,31% ao ano.

Aliás, quer ter uma ideia bem genérica da margem de lucro de um banco? É só ver a diferença entre a taxa de juros que ele cobra ao oferecer um empréstimo e o rendimento que ele paga ao disponibilizar aplicações atreladas ao CDI. É o famoso spread bancário.

Outro uso comum do CDI é na comparação de rentabilidade das aplicações. Por exemplo, suponha que um título do Tesouro Direto rende 11,85% ao ano. Se o CDI estiver em 12,13% ao ano, podemos dizer que o título está rendendo 97,69% do CDI.

Em geral, quando mais próximo de 100% do CDI, ou acima desse patamar, melhor é a rentabilidade do investimento, pois significa que sua remuneração está alinhada ou superior à taxa de juros da economia. Mas tome cuidado para não analisar apenas a rentabilidade ao decidir onde investir. Fique atento aos riscos. Aplicações de alto risco são as que têm maior retorno esperado.

Esperamos que tenha ficado claro o que é o CDI (e a taxa DI) e sua aplicação no universo dos investimentos!

O que é o CDI?
4.87 (97.33%) 15 votos

Categorias: Iniciante, Indicadores econômicos, CDB, LCI e LCA