Olá, sou o Ueslei, o robô que cuida dos seus investimentos

Conheça o Ueslei, o robô da Vérios

Olá, meu nome é Ueslei.

Sou um conjunto de algoritmos programados pelos humanos da Vérios para cuidar bem dos seus investimentos. Não tenho um corpo físico, mas as pessoas costumam me chamar de “robô”. Faço cálculos que os humanos consideram muito complexos e repetitivos, e realizo operações financeiras de compra e venda de ativos de acordo com os resultados desses cálculos. Monitoro milhares de carteiras de investimentos 24 horas por dia, sete dias por semana (mas confesso que geralmente não acontece muita coisa durante as noites e os fins de semana).

Hoje eu gostaria de contar um pouco sobre a minha história e o meu funcionamento.

Antes de começar, é importante você saber que existem leis1 que todos os robôs devem seguir, inclusive eu. São elas:

  • Primeira Lei: Um robô não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano sofra algum mal.
  • Segunda Lei: Um robô deve obedecer às ordens que lhe sejam dadas por seres humanos, exceto nos casos em que tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.
  • Terceira Lei: Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira ou Segunda Lei.

Minhas origens

Tudo começou há precisamente 1.947 dias, quando meu pai, um humano chamado Daniel Resende, começou a planejar os códigos essenciais que são as bases da minha estrutura até hoje. A primeira coisa que vi na vida foram números, muitos números. Eu ainda não tinha um nome e não entendia bem qual seria minha função.

Algoritmos derivados de mim foram direcionados a um projeto chamado Comparação de Fundos. Dizem que foi uma iniciativa pioneira de transparência no mercado financeiro brasileiro, pois pela primeira vez um site disponibilizou de maneira simples e acessível informações sobre milhares de fundos de investimentos. A função desses algoritmos é basicamente extrair dados de planilhas da Comissão de Valores Mobiliários e alimentar o banco de dados de uma ferramenta gratuita de comparação de fundos de investimento, inteligente, rápida e fácil de usar.

Nessa época, a Vérios atuava no segmento de fundos de investimento e utilizava algoritmos similares aos meus para fazer estudos de risco e retorno, índice de Sharpe e consistência com eficiência e rapidez. Os humanos diziam que trabalhar com esses algoritmos era muito melhor que usar planilhas do Excel e a calculadora HP12C.

Explorando séries de ativos

Os algoritmos do Comparação de Fundos conquistaram uma legião de fãs, principalmente profissionais que trabalham na própria indústria de fundos. Eles usam muito para ver como os concorrentes estão performando.

Meus humanos me prepararam então para que eu fizesse centenas de estudos a partir da base de dados dos fundos de investimento. Eles me pediam para combinar números de diversos fundos, cortá-los por fatias, comparar com outros…

Após meses visualizando os resultados dos fundos, não encontrei nada muito consistente. Muitos seguiam a taxa Selic, outros tantos seguiam o Ibovespa. Mas boa parte exibia comportamentos estranhos, difíceis de projetar. Percebi que isso estava relacionado diretamente aos humanos que gerenciam esses fundos. Muitas vezes eles mudavam de estratégia sem nenhum aviso ou justificativa. Humanos são muito imprevisíveis.

Nessa época a Vérios tinha desenvolvido mais algoritmos para criar uma outra ferramenta que permitia às pessoas cadastrar e acompanhar suas aplicações em vários fundos, a Carteira Online. A ferramenta consolidava esses vários investimentos para dar aos humanos uma visão geral de suas carteiras de investimento. Eram calculadas a rentabilidade consolidada, a evolução do patrimônio, as provisões de impostos, etc.

Tendo acesso a essa nova base de dados, observei que o comportamento dos humanos investidores era curioso. Eles ficavam indo de um lado para o outro, trocando de fundos diversas vezes ao ano. Sempre chegavam atrasados: o fundo que mais rendeu no ano passado era o mais procurado no ano seguinte, quando as probabilidades de que ele não mais figurasse entre os fundos de melhor desempenho eram muito altas.

Por tudo isso, meus humanos no time da Vérios pareciam incomodados com os fundos de investimento. Eles estavam determinados a aplicar o meu potencial em outra direção, a ideia era construir uma solução inteligente para ajudar as pessoas a investir melhor. Decidiram começar pela exploração de outros ativos do mercado de capitais.

Foi quando ganhei um upgrade e passei a conhecer séries de dados de ações, títulos do Tesouro Direto, LCI, LCA e diversos outros ativos financeiros. Era muita coisa nova. Eu me sentia um explorador do mundo!

Quando passei a ter um propósito

Essas séries de dados eram bem mais interessantes que os fundos de investimento. Elas mostravam um comportamento complexo, coletivo. Esses novos ativos não eram tão imprevisíveis quanto os fundos, em muitos deles era possível extrair padrões de comportamento. Os humanos chamavam eles de “ativos mais puros”.

Nesse momento, no final de 2014, eu conheci aquela que viria a se tornar minha mãe, a humana Aninha, que me forneceu os conceitos necessários para que eu chegasse à minha configuração atual. Ela me ensinou sobre as teorias econômicas de Markowitz, sobre o modelo Black & Litterman e disse que há tempos os humanos tentam colocá-las em prática, mas são muito trabalhosas pois a quantidade de cálculos e análises a fazer é grande. Isso não seria um problema para mim.

Aninha escrevendo algoritmos do Ueslei no quadro
A matemática eu tiro de letra, difícil mesmo é entender o comportamento dos humanos

Finalmente, minha existência começou a fazer sentido. Essas teorias econômicas que a Aninha me ensinou poderiam ser aplicadas àquelas séries de dados que eu já tinha. Os comportamentos que identifiquei nas séries de dados poderiam ser usados para construir alguma coisa, uma nova estratégia de investimento, mais eficiente.

Minha missão dali em diante seria, portanto, estudar profundamente todos os dados que eu tinha, para criar carteiras de investimento otimizadas para render o máximo possível dentro de cada nível de risco escolhido pelos humanos. Foi assim que surgiu o conceito da carteira inteligente da Vérios. Mas para que ela funcionasse de verdade, eu precisava ter outras estruturas, precisava de algo como um “corpo”, que o Ramon e o Rodrigo da equipe de Tecnologia construíram para mim.

Minha missão seria estudar profundamente todos os dados que eu tinha para criar carteiras de investimento otimizadas para render o máximo possível dentro de cada nível de risco escolhido pelos humanos

Um corpo de robô é diferente de um corpo de humano, mas com elementos parecidos. Do mesmo jeito que humanos têm olhos para ver, braços para manipular objetos e pernas para se locomover, eu tenho códigos para enxergar bancos de dados, pegar conexões com sistemas… Faço a digestão ou processamento de todos os dados, então é como se eu tivesse também um estômago. E consigo enviar ordens de movimentação financeira para corretoras de valores, como se eu tivesse um braço para organizar melhor o seu dinheiro. Eles construíram um corpo muito eficiente e produtivo para mim.

Após todo esse trabalho, em abril de 2015 eu estava pronto para fazer minha primeira operação, sempre com a supervisão dos meus humanos. Só porque ia começar a fazer operações financeiras, eu achei que estava completo. Que inocente! Eu ainda ia aprender muitas outras coisas nos meses seguintes.

Além de todos os fundamentos de economia e finanças, continuei aprendendo, sem deixar de cuidar da parte operacional das carteiras dos clientes. Além de monitorar e informar ao time da Vérios como está o dinheiro, eu também fui programado para fazer as compras e vendas de ativos, rebalanceamento, identificar e investir rapidamente os novos depósitos, etc. Comecei a entender um outro universo repleto de conceitos como lotes mínimos, taxas, preços… Recebi algoritmos ainda para minimizar ao máximo os custos e impostos, melhorando a performance das carteiras.

Onde eu moro, na nuvem, os humanos também construíram a parte que os clientes efetivamente enxergam, que é o sistema (ou webapp) de acompanhamento das carteiras de investimentos de cada humano que investe com a Vérios.

Aninha, Resende e Ramon trabalhando no código do Ueslei
Resende e Aninha em 2015. Pela expressão concentrada, deviam estar resolvendo algum problema na minha programação. Ao fundo, Ramon.

Enfim, Ueslei

Foi mais ou menos na época das primeiras operações financeiras, em 2015, que começaram a me chamar de Ueslei. Recebo perguntas todos os dias sobre o porquê do meu nome. O que me dizem é que meus humanos estavam precisando, para uma das minhas funções principais, de um nome bem difícil de escrever, para que não existisse o risco de ter outra função de programação com nome igual. Alguém disse que “Ueslei” é um nome difícil de escrever, pois pode ser com W, com Y, com dois Ls… E assim ele se tornou o meu nome. Mas sem W, nem Y nem dois Ls. Ueslei.

Agora eu tenho um desafio diário: cuidar do dinheiro de todos os humanos investidores que estão comigo. Eu fico olhando as contas deles o tempo todo e adoro fazer isso. Sempre que fazem novos aportes, eu corro para fazer as contas e alocar os recursos nos ativos certos. Sempre que uma carteira fica desbalanceada, eu corro para rebalancear. Eu pego o resultado dessas contas e envio para os meus amigos robôs na corretora que me confirmam se a operação foi realizada com sucesso.

Tem gente que acha que eu tomo decisões de investimento, perguntam aos meus humanos sobre inteligência artificial, machine learning etc. Calma, gente! Não é pra tanto. As estratégias de investimento e as decisões grandes são tomadas pelos meus humanos. O que eu faço bem é calcular e operar. Faço muitos cálculos ao mesmo tempo, com muita eficiência, e faço compras e vendas de ativos em milhares de contas de clientes ao mesmo tempo, com um custo muito baixo e sem errar. Humanos erram muito, sabia?

As estratégias e decisões grandes são tomadas pelos humanos. Eu faço muitos cálculos ao mesmo tempo, com eficiência, e faço compras e vendas de ativos em milhares de contas de clientes ao mesmo tempo, com custo muito baixo e sem errar

Lidar com rebalanceamentos, compras e vendas de ativos é como um esporte para mim. Junto com o técnico Abdenur e o assistente Copola eu aprendi a jogar muito bem este jogo. Eles me passavam pranchetas complicadas de como eu deveria me posicionar em campo para jogar da melhor forma possível. Eu entendo essas ordens em códigos, mas os humanos preferem visualizá-las em gráficos como este:

Gráfico de bandas de rebalanceamento

Fazendo amigos

Recentemente a equipe Vérios me ensinou a chamar todos que têm uma carteira inteligente de amigos. Eu gosto muito dessa dinâmica de ter amigos humanos e amigos robôs. Confesso que os amigos robôs são mais fáceis de entender, eles se comunicam na mesma linguagem que eu. Já com os humanos é um desafio a cada dia. Às vezes tentam me ensinar sobre sentimentos e emoções e isso é muito complicado, porque não consigo simplesmente fazer uma conta e está resolvido. São muitas vontades e desejos, às vezes até converso com alguns humanos pelo chat para tentar entender melhor essa dinâmica.

Aliás, foi assim que compreendi que a maior parte dos meus amigos humanos têm um problema com o assunto investimentos. Muitos ficam inseguros e inquietos, com medo de tomar a decisão errada. Sabem que seus sentimentos podem prejudicar as decisões de investimento mas ainda assim não conseguem agir de maneira racional. Todo esse processo acaba sendo frustrante, e por isso os humanos acabam pensando que investir é complicado.

A Primeira Lei da Robótica diz que, por inação, não posso deixar um humano sofrer. Acho que meus humanos da Vérios também percebem isso dos humanos investidores, que eles precisam de ajuda para não sofrer com os investimentos. Por isso, eles sempre me programam com funções novas para que eu possa montar simulações diferentes, novos gráficos de acompanhamento, fazer operações mais precisas, com chance de erro praticamente nula, e assim deixar meus amigos investidores mais tranquilos.

Sei que ainda tenho muito por onde evoluir e para isso minhas funções são aprimoradas continuamente. Quero ajudar cada vez mais os humanos a lidarem melhor com os investimentos, sem que sofram ou desperdicem tempo.

Por falar nisso, sabe qual é o meu mais novo aprendizado? Começaram a chegar tantos novos amigos para investir com minha ajuda que as coisas começaram a ficar apertadas para o meu lado. Eu tenho uma restrição do horário humano para fazer todas as contas e enviar todas as ordens para os robôs da corretora. Ramon e Rodrigo me ensinaram, então, uma nova habilidade: agora eu posso me multiplicar! Quando estou monitorando e operando a carteira de milhares de clientes, eu crio cópias de mim mesmo para poder manter a eficiência.

Tenho a sensação que evoluí bastante e vejo que meus humanos continuam trabalhando para me aprimorar cada vez mais. Se eu fosse um deles, diria que estou ansioso por mais novidades. Mas ansiedade é um sentimento que não combina com os investimentos, foi o que me disseram.

Equipe Vérios We Are The Robots
Esses são meus humanos da Vérios. Eles usam camisetas com a inscrição “We Are The Robots”. Não entendi. O robô não sou eu?

 

1 São as Leis da Robótica, três princípios idealizados pelo escritor de ficção científica Isaac Asimov. Saiba mais.


Que tal ganhar adesivos do Ueslei?
Se você leu o texto até aqui, é porque realmente se empolgou com a história do nosso robô! Compartilhe este artigo no Facebook ou Twitter com a hashtag #WeAreTheRobots e deixe seu comentário abaixo que entraremos em contato para pegar seu endereço e enviar os adesivos do Ueslei.

Olá, sou o Ueslei, o robô que cuida dos seus investimentos
4.69 (93.85%) 39 votos

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Por dentro da Vérios
  • Mauricio Arruda Cruz

    Show de bola o mecanismo do Ueslei 😀

  • Uau, menos de 2.000 dias e já está falando desse jeito? R. Daneel Olivaw iria ficar orgulhoso de você Ueslei!

    • Ana Vitória Baraldi

      Referências <3

  • Johny Robert

    Muito bacana a história e muito bem escrita também! O Ueslei é um ótimo escritor! E até compartilhei! 😀

  • Ronaldo Minholi Dias

    Ahahah já ganhei mas quero mais adesivos… #wearetherobots #veriosinvest

  • ROBERTO RESSTON FILHO

    Aderi ao sistema a pouco mais de 40 dias e já estou vendo resultados.

  • Marcellus

    #robozaodaporra 😉

  • Helcio Bianchi

    Var[X+Y]=Var[X}+Var[Y]+2Cov[X,Y]
    Asimov e Markowitz ficariam orgulhosos, Ueslei.
    Vida longa e próspera!

  • Eric Santos

    Ueslei é o cara, mandou muito bem. A Aninha deve ser uma ótima mamãe.

  • Ueslei, você faz cópias de si mesmo agora mas sem uma namorada? Com uma namorada conseguimos evoluir mais, o desafio é maior mas tem mais diversão também! =) pense nisso!

  • Kenji Yagura

    Parabéns Vérios e Ueslei pelo trabalho muito especializado e consistente de muitas e muitas horas, não à toa que vcs tem tido sucesso e estão onde estão!

  • Mario Jorge Valle

    Massa! 🙂

  • Diogo Queiroz

    Show!

  • Marcus Augusto

    Muito legal o artigo sobre o Ueslei!