Pátria Credit Feeder I reabre para aplicações em 24 de novembro

O fundo Pátria Credit Feeder I FIC FIM Crédito Privado será reaberto no dia 24 de novembro. Da última vez em que abriu para aplicações, em junho passado, o fundo surpreendeu pela grande procura e foi fechado em menos de oito horas. Na ocasião, o volume de investimentos aportados superou o objetivo da gestora, com a entrada de pouco mais R$ 55 milhões no fundo master.

Em setembro, o Pátria Investimentos, gestor do fundo, nos informou que a expectativa desta vez é captar mais R$ 50 milhões, e que uma boa parte desse total está reservado para um cliente grande.

O Pátria Credit Feeder I foi lançado em 2009 e apresenta rentabilidade histórica de 146% do CDI. Até o fechamento de julho, o fundo possui 53 meses acima do CDI e apenas 3 meses abaixo.

A estratégia do fundo

O processo de estudo e conhecimento de diversas empresas, decorrente da forte atuação do Pátria em private equity, permitiu uma posição privilegiada à gestora, que conhece as operações e as demandas dos empresários. Diante da necessidade recorrente de crédito pelas empresas avaliadas, o Pátria identificou uma oportunidade de negócio: oferecer crédito para operações de capital de giro ou mesmo para projetos de expansão, com um criterioso processo de seleção.

O prazo médio das operações do fundo é de 24 meses para amortização do principal e dos juros. A concentração média por empresa tomadora é de 2,6%. São 28 relacionamentos que integram hoje o portfólio do Pátria Credit Feeder I, havendo apenas um caso de exposição elevada, uma vez que o tomador DMCard responde por aproximadamente 17% da carteira do fundo.

A gestora

O Pátria Investimentos já possui 26 anos de operação no mercado, um histórico bastante significativo no contexto brasileiro. De acordo com a gestora, o total de ativos sob gestão nas áreas de Private Equity, Infraestrutura, Real Estate e Capital Management soma R$ 19,5 bilhões (dados do fechamento de junho de 2014). Desde 2010, a gigante norte-americana Blackstone tem participação de 40% na Pátria.

Reconhecido no mercado de investimentos brasileiro por se tornar sócio de médias empresas, o Pátria atua na melhoria dos processos internos, governança e gestão. Os resultados da intervenção da gestora nos indicadores e no crescimento da empresa permitem realizar a abertura do capital em bolsa de valores, conhecida como IPO (oferta pública inicial, da sigla em inglês: initial public offering). Dois casos conhecidos foram os investimentos na rede Delboni Auriemo e na Drogasil. 

Antes de investir, recomenda-se a leitura da lâmina, prospecto (quando houver) e regulamento do fundo. Os documentos do estão disponíveis por meio do link “Saiba mais sobre o fundo”, neste comunicado.

Todas as informações deste artigo foram obtidas em documentos oficiais do fundo, no website da gestora e/ou em conversa com a equipe da gestora.

Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+

Ávila é cofundador da Vérios e consultor de investimentos com a certificação CFP®