Por que você ainda não investe no Tesouro Direto?

As alterações nos nomes dos títulos públicos e o estabelecimento da liquidez diária parecem ter dado uma força para derrubar os obstáculos que desestimulam os brasileiros a investir no Tesouro Direto. É o que indica a matéria publicada pelo Valor Econômico em 27/5/2015, assinada pela repórter Beatriz Cutait.

A reportagem Tesouro mais direto, do Valor Econômico, contou com a colaboração da Vérios. Em julho de 2016, ela foi reconhecida em com o Prêmio Imprensa de Educação ao Investidor da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Pelo terceiro ano consecutivo, a matéria que ganhou o prêmio na categoria jornal/cobertura nacional contou com a colaboração da Vérios. A educação financeira está no nosso DNA 🙂

De acordo com o jornal, o estoque de títulos em abril de 2015 chegou a R$ 17,6 bilhões, um aumento de 38% em um ano. Em março do mesmo ano, os novos investimentos alcançaram R$ 1 bilhão, e 12.570 novos investidores foram cadastrados – dois recordes na história do Tesouro Direto. A onda de crescimento continuou e o Tesouro Direto chegou a maio de 2016 com estoque de títulos de R$ 31,7 bilhões, praticamente o dobro do estoque da época em que a reportagem foi escrita.

Apesar desse crescimento recente, ainda é pequeno o número de investidores que atualmente investem em títulos públicos por meio do Tesouro Direto: apenas 294.396 (de acordo com o balanço de maio de 2016). Por quê?

Seu gerente ou assessor não vai apresentar essa opção

Mesmo com as mudanças na nomenclatura dos títulos, ainda é difícil para muitos investidores compreender as diferenças entre eles e tomar a decisão de investimento. Qual é a diferença entre investir no Tesouro Prefixado, Tesouro Selic ou Tesouro IPCA+? A resposta a essa pergunta cabe ao consultor, assessor ou gerente que cuida dos seus investimentos.

O problema, como pontuamos na entrevista ao Valor Econômico, é que eles provavelmente não vão apresentar a você os benefícios do Tesouro. O investimento direto em títulos públicos é um dos muitos pontos onde o conflito de interesses no mercado financeiro prejudica o cliente. Isso porque os títulos são pouco rentáveis para as instituições financeiras.

Como investir em títulos públicos sem complicação

Você quer investir no Tesouro Direto, mas não sabe como. Em quais títulos investir? Em que proporções? Como aplicar e resgatar? A Vérios desenvolveu um modelo de investimento pioneiro no Brasil que soluciona essa dificuldade. Deixe seu e-mail se quiser receber mais informações:

Se você deixar nas mãos do seu gerente do banco as decisões sobre sua carteira de investimentos, ela poderá até ter títulos públicos, mas dentro de fundos de investimento de renda fixa do próprio banco – às vezes, cobrando um custo injustificável de tão alto.

Em entrevista ao Valor, um gerente de banco informou que a aplicação em títulos públicos prejudica a meta dos gerentes, que ganham mais se conseguirem vender produtos mais lucrativos para o banco, como LCI, LCA e CDB. Confira a matéria completa.

Além de não indicarem títulos públicos a seus clientes, os bancos costumam cobrar taxas altas para intermediar o seu investimento. De acordo com informações do Valor Econômico, Itaú e Bradesco cobram taxas de administração de 0,5% a.a., enquanto há grandes corretoras cobrando até 0,10%. É possível conferir essas taxas no site do Tesouro Direto

Tesouro Direto: títulos públicos em evidência
Infográfico publicado pelo Valor Econômico, com informações do Tesouro Nacional e Vérios Investimentos (clique na imagem para ampliar)

 

Saiba mais sobre o investimento no Tesouro Direto

Entenda as características do Tesouro Direto (como a grande previsibilidade de retorno, liquidez diária, baixo custo e baixíssimo risco de crédito), suas vantagens e desvantagens e conheça cada um dos títulos oferecidos no artigo Títulos públicos: o que são e como funcionam.

Invista em Tesouro Direto com a Vérios

Ao contrário dos bancos e assessorias que não informam seus clientes sobre as vantagens de investir nos títulos públicos, aqui na Vérios fazemos diferente.

Devido aos seus comportamentos distintos uns dos outros, os títulos podem ser usados para representar pelo menos três classes de ativos, com baixo custo e o menor risco. Por isso, estamos convictos do papel central que eles devem desempenhar em uma carteira diversificada. Descubra a carteira que recomendamos para o seu perfil.

Artigo atualizado em 4 de julho de 2016

Referências

Valor Econômico: “Tesouro mais direto”, 27/05/2015 (acessar no site do jornal ou fazer download em PDF

Balanço do Tesouro Direto – Maio de 2016

Por que você ainda não investe no Tesouro Direto?
5 (100%) 1 voto

Categorias: Iniciante, Plano de investimento, Títulos públicos
  • Tiago

    Caros, como avaliar se vale mais a pena investir em CDB, fundo RF ou no tesouro Direto? Levando em consideração que consigo 100% do CDI em um CDB no meu banco. Também tenho acesso a fundo que rende 101% do CDI (resgate em D+1)e outro que rende 104% do CDI (resgate em D+20). Obrigado!

    • Daniel Ávila Thiers Vieira

      Tiago, sua pergunta pode parecer simples, mas ela possui inúmeras implicações bastante complexas. Para esta tomada de decisão, é preciso que avalie a instituição emissora do CDB e os gestores dos fundos e forma de tributação de cada um destes ativos. Neste caso, você está “comprando um produto”. É muito diferente de ter um serviço de investimento. E isto está relacionado ao seu objetivo, prazo de investimento e ao risco e expectativa de retorno de cada uma das opções relacionadas. Já te mandei mais informações por e-mail. Se você precisar enviar outras infos pra nós, pode usar o contato@verios.com.br.

      Abs
      Daniel Ávila

  • Daniel Ávila Thiers Vieira

    Tiago, sua pergunta pode parecer simples, para ela possui inúmeras implicações bastante complexas. Para esta tomada de decisão, é preciso que avalie a instituição emissora do CDB e os gestores dos fundos e forma de tributação de cada um destes ativos. Neste caso, você está “comprando um produto”. É muito diferente de ter um serviço de investimento. E isto está relacionado ao seu objetivo, prazo de investimento e ao risco e expectativa de retorno de cada uma das opções relacionadas. Posso te mandar mais informações por e-mail. Se você precisar enviar outras infos pra nós, pode usar o contato@verios.com.br.

    Abs

    Daniel Ávila

  • marcos

    Wow!!! Estou encantado com o excelente blog de voces e gostaria de parabeniza-los. Gostaria de tirar uma duvida se possivel for. Me foi Informado que investir atraves de titulos privados como Cdbs, Lcs, Lcis, Lcas obteria um maior retorno aos meus investimentos devido ao risco maior. Li tambem que poderia obter ganhos acima da media investindo atraves de marcacao a mercado em titulos do Governo, leia-se Tesouro direto. Gostaria de ouvir a opiniao sincera de voces sobre este assunto e se voces prestam assessoria com relacao a estas tomadas de decisoes. Obrigado.

    • Marcos, bom dia. Obrigado pelo entusiasmo! =)
      Antigamente, os títulos prefixados podiam ser “marcados na curva”, o que significa que o valor do investimento informado pelo banco ao cliente era o valor da curva original de juros projetados. A marcação a mercado é a regra atualmente, e significa precificar os títulos de acordo com a taxa de juros atual e valor de mercado. Isso significa que o cliente agora vê a oscilação de preços que explicamos no artigo https://verios.com.br/blog/perder-dinheiro-tesouro-direto-tesouro-prefixado-ltn. Qualquer investimento em Tesouro Direto será marcado a mercado.
      Sobre os CBDs, LCIs, LCAs, a informação que te passaram está correta. Você pode obter maior rentabilidade devido ao maior risco de calote. Em geral, quanto maior a rentabilidade, maior o risco. Escrevemos sobre isso no artigo https://verios.com.br/blog/alta-dos-juros-os-dois-lados-da-moeda/
      Temporariamente nós não estamos aceitando novos clientes para assessoria de investimento, mas em breve reabriremos com o lançamento do nosso novo serviço: https://verios.com.br/blog/servico-de-investimento-automatizado-o-que-e-e-como-funciona/

      Abs!

      • marcos

        Obrigado pelas informacoes. Acompanharei o blog de voces. Parabens mais uma vez.

        • Pra não perder nenhum artigo, o melhor caminho é inscrever-se na newsletter. São apenas dois envios por mês. =)

          • marcos

            Obrigado Felipe, Ja me inscrevi. Abs.