Qual é o robô de investimento com a pior performance?

Robô Quebrado

Recentemente, uma agência independente de pesquisa em inovação no setor financeiro publicou um artigo com o título Qual é o robô de investimento com a pior performance?” (no original: Who is the Worst Performing Roboadvisor?). O artigo, bem curto, avalia os dados divulgados por outra pesquisa independente, mas a conclusão do analista chama mais atenção que os dados em si. Veja o que você acha.

A agência em questão é Autonomous Research, fundada em 2009. O artigo foi publicado pela Autonomous NEXT, o braço de fintech da agência, sediado em Londres, que explora e avalia o impacto da tecnologia no futuro das finanças. O papel deles é abastecer os investidores institucionais (como grandes bancos, corporações e fundos de venture capital e private equity) com informação relevante para ajudar na tomada de decisão de investimento em fintechs.

Nós traduzimos o artigo, adaptando levemente para funcionar melhor em português. Esperamos que goste!

– – –

A firma de pesquisa BackEnd Benchmarking abriu contas e investiu com diversos serviços de investimento automatizados nos Estados Unidos, para ver qual seria a performance dos seus portfólios ao longo de 12 meses. As carteiras foram ajustadas para ter nível de risco moderado, com cerca de 60% em ações e 40% em renda fixa1, e os resultados podem ser vistos no gráfico abaixo. A rentabilidade média foi 10,6% no ano, com o serviço da Charles Schwab atingindo 11,9% e Acorns ficando em último lugar com 7,4% no ano. Betterment teve rentabilidade acima do Wealthfront, e Vanguard superou a rentabilidade do Personal Capital.

Rentabilidade dos Robôs de Investimento
Fontes: BackEnd Benchmarking, WealthManagement.com, Autonomous NEXT

Legenda do gráfico:
QTD = Quarter To Date (resultado no trimestre)
YTD = Year To Date (resultado no ano)
Trailing Year Return = Resultado dos últimos 12 meses

Mais importante que a rentabilidade, o que vale é olhar os índices de eficiência entre risco e retorno — qual quantidade de risco os investidores correram para conseguir cada unidade de retorno? Parece complicado, mas é apenas o Índice de Sharpe. Nesse quesito, o Acorns tem um resultado horrível, com um índice que é praticamente a metade do melhor colocado, E*Trade. A FutureAdvisor também apresentou um Sharpe fraco, o que é surpreendente devido à sua relação com a BlackRock.

Sharpe dos Robôs de Investimento
Fonte: Autonomous NEXT

Então, os números dessa comparação servem para alguma coisa? Na verdade, não. Essa é a forma errada de avaliar o trabalho das empresas de gestão automática de investimento. Num mundo onde corretoras e assessores vendem produtos de investimento, esse tipo de comparação pelos números, brigando por qual carteira teve o melhor desempenho no ano, talvez fizesse sentido. Mas esse mundo é coisa do passado.

Essa é a forma errada de avaliar os serviços de investimento automatizado

Para os humanos que utilizam robo-advisors, o mais importante é alcançar seus objetivos financeiros pessoais e ter uma experiência de investimento fácil e sem stress. Para essa finalidade, as métricas mais importantes desses serviços deveriam ser sobre satisfação dos clientes, captação líquida, engajamento dos clientes com o serviço e com conteúdo educacional, retenção dos clientes durante crises (baixo risco!), e capacidade de evitar erros comportamentais pelos clientes. Comparar os serviços de investimento automatizados somente pela rentabilidade pode prejudicar essas empresas inovadoras, forçando-as a otimizar seus esforços em direção a métricas que não são o principal fator de decisão para os consumidores desse tipo de serviço.

– – –

E aí, você concorda? Nós achamos que esse comentário do autor faz sentido. Pense no investidor brasileiro. Onde está a maior parte do dinheiro? Nos bancos, onde a experiência é fácil e segura, apesar do investimento ser muito caro e ruim.

Quem deu o salto para as corretoras pode estar com rentabilidade mais alta, mas uma experiência trabalhosa, chata, e correndo altos riscos.

Nós queremos oferecer o melhor dos dois mundos: investimentos mais inteligentes, para mais pessoas, de forma fácil, rentável e segura.

Trabalhamos para que você tenha uma boa rentabilidade, mas com foco total na segurança. Segurança é saber que seu dinheiro está disponível se você precisar, que não vai sumir durante uma crise, e que você pode confiar na gente para cuidar dele com total transparência e alinhamento, sem taxas escondidas, sem pegadinhas.

Se é isso que você busca, faça um teste. Comece com um valor pequeno. Seja Vérios. Pode confiar.

Esse perfil com 60% em ações e 40% em renda fixa seria seria considerado altamente agressivo no Brasil. Porém, nos Estados Unidos é comum que as pessoas invistam grandes percentuais em ações. Isso se deve principalmente ao fato de que a taxa de juros americana é muito inferior à brasileira, e o mercado de ações, mais maduro.

Qual é o robô de investimento com a pior performance?
4.84 (96.74%) 43 votos

Categorias: Avançado, Serviço de investimento automatizado, Planejamento pessoal, Por dentro da Vérios
  • Visitante

    Vejo diariamente informações e serviços de péssimas qualidades sobre o mercado de investimentos, sendo jogados na mídia (principalmente a virtual). O conflito de interesses está presente em boa parte do que é apresentado, fazendo com que se perca a essência da informação, pois acabam sendo direcionadas para algum objetivo remuneratório. Não estou nem considerando que na maioria das vezes “quem” divulga a informação, sabe que o resultado da estratégia é inexistente ou meramente ao acaso.

    Em se tratando das informações disponibilizadas no Blog da Vérios, a situação é diferente. Os temas tratados, a profundidade apresentada e a didática utilizada, realmente tornam o material de altíssima qualidade.
    A postagem acima considero uma das melhores, pois apresenta questões mediante a eficiência da exposição ao risco (sharpe)…..desvinculado a qualidade de um robô apenas pela performance (pontual).

    Além disso, robôs de algumas empresas concorrentes, simplesmente efetuam alocação estipulando ativos com carência e nem sempre de boa qualidade, exemplo dos fundos sugeridos nas simulações de carteira…..sabemos que existem fundos de melhores qualidades. Existirá um conflito de interesse por trás dessas empresas? Talvez!

    A essência da estratégia utilizada por vcs, onde são selecionados ativos sem risco de crédito, líquidos, utilizando rebalanceamento de carteira e buscando utilizar a barreira mais eficiente do portfólio, particularmente considero a mais racional. Dessa forma mitigam o risco e trabalham como eu denomino: “Carteira Zen”, pois retira a interferência emocional do investidor.

    Sou proprietário de um escritório de investimentos e estudioso do mercado, por isto, essa consideração acima tem certa propriedade.

    Parabéns pela filosofia e qualidade apresentadas.

    Sucesso!

    • Olá, Visitante!
      Muito obrigado pelo feedback!

      Nós temos muita certeza de que essa é a forma mais correta de oferecer investimentos de qualidade, de forma inteligente, a milhares de pessoas. Não dá pra democratizar ou “massificar” estratégias baseadas em ficar pulando de galho em galho, sem respaldo de uma metodologia sólida, porque o cliente está delegando totalmente à empresa de investimento automatizado essas decisões. O mercado todo procura influenciar as decisões, mas deixa o cliente final com toda a responsabilidade pela compreensão dos riscos e tomada de decisão. É irreal e injusto, beirando o antiético, presumir que as pessoas entendem o risco que estão tomando.

      O nosso modelo foi baseado em ficar livre dos conflitos de interesses, e em oferecer uma solução fácil, muito segura, e com boa rentabilidade. Ficar correndo atrás de ter “a melhor rentabilidade” em um período ou em outro, além de ser uma estratégia insustentável, coloca o dinheiro dos clientes em risco desnecessário. E a mídia especializada deveria começar a entender isso. Essa foi a provocação da agência de pesquisa em fintech.

      O grande contraponto aqui é: é muito difícil ser uma voz isolada. Vender uma coisa que acreditamos ser mais correta com o cliente e justa, até mesmo “mais certa” como estratégia, é difícil enquanto todos os outros “especialistas” estão dizendo o contrário. O bom investimento deveria ter baixos custos, mas baixos custos não pagam a conta das corretoras, bancos e assessores, por isso os estímulos da “pornogafia financeira” são para mudança constante (falamos iddo aqui: https://goo.gl/DfBFUA). E é por isso que é muito bom encontrar estudiosos do assunto que concordam com essa visão. Dá um ânimo a mais!

      Obrigado pelo apoio e motivação!

  • Maxwel De Oliveira Figueiredo

    Acredito que as empresas que trabalham com robôs de investimentos realmente fazem o papel de facilitar a experiência do investidor, talvez ainda haja um longo caminho a ser percorrido para Florescer ainda mais.
    O que mais me chamou atenção foi saber que no mercado norte-americano uma carteira com 60% de ações e 40% em renda fixa não é considerada agressiva muito interessante.
    Será que existe uma chance do Brasil se tornar um mercado tão desenvolvido a este ponto? e qual os passos a serem percorridos para Que tal Façanha seja feita?

    • Se existe uma chance, não sei te dizer. Seria um exercício de futurologia que não é muito a minha praia. Mas uma das primeiras coisas que precisa acontecer é a taxa de juros cair. Enquanto for fácil ganhar dinheiro na renda fixa, sendo rentista, as reservas das pessoas ficarão em renda fixa. A taxa de juros americana (Fed Rate, equivalente à nossa Taxa Selic) chegou a ser 0,25% ao ano. Aqui, a Selic chega perto de 8,00% e as pessoas já se assustam. Com a taxa realmente baixa, quem ficar em renda fixa não vai ganhar quase nada. E aí as pessoas começam a investir no capital produtivo. Por outro lado, nosso mercado de capitais também ainda precisa comer muito arroz com feijão e se desenvolver. Empresas maiores, mais maduras, mais concorrência, etc. A abundância de capital causada por uma possível queda da Selic a patamares muito menores que os de hoje pode ajudar a impulsionar essa mudança. Para isso, a inflação precisa ficar sob controle, e para controlar a inflação sem subir os juros, o Governo precisa controlar os gastos e equilibrar as contas. A economia é um grande ato de equilibrismo, tudo depende de tudo…

      Veja que essa carteira de 60% em ações e 40% em renda fixa teve um risco mais alto e uma rentabilidade menor que as carteiras da Vérios nos últimos 12 meses. Conforme o mercado amadurece, vai ficando mais difícil ganhar dinheiro só pela rentabilidade.

      Abraço!

  • f89

    A satisfação do investidor deveria ser mesmo a preocupação final das facilitadoras de investimentos, mas mesmo assim, se você me diz que se eu der as minhas mesmas preferências (prazo, aversão ao risco…) aos diferentes robôs e algum vai me dar mais retorno do que outro, eu gostaria de saber. Então, comparação não é de todo ruim. Mas lendo o texto deu a entender que não foi isso que foi feito, aí realmente fica difícil entender a utilidade da comparação.