Quanto rendem os investimentos com a Vérios? Assista ao vídeo

Entenda a rentabilidade da Vérios

Uma das perguntas mais frequentes que nos fazem é: Quanto vão render os investimentos com a Vérios? Nosso CEO e cofundador Felipe Sotto-Maior gravou um vídeo para responder a essa pergunta.

O coração da nossa estratégia de investimento está na diversificação e no controle de risco. A partir da alocação do seu patrimônio em diferentes classes de ativos, conseguimos otimizar da relação risco-retorno da sua carteira de investimentos no médio a longo prazo.

A Vérios não faz apostas e não acredita em achismos. Todas as nossas decisões de investimento são matematicamente calculadas e atribuem um peso importante à redução de custos e tributos. Ao dividir seu patrimônio em aplicações com características e comportamento essencialmente diferentes, sabemos que em cada mês ou ano, haverá sempre algumas aplicações rendendo mais e outras rendendo menos. A sua carteira é uma combinação de todas, por isso deve apresentar um resultado em algum lugar intermediário entre elas. Ao longo dos meses, porém, a redução de custos e impostos, a proteção contra riscos e o trabalho de alocação inteligente de cada novo depósito, farão com que você tenha uma rentabilidade boa, compatível com o nível de risco que você está disposto a correr.

Nossos estudos mostram que, no médio a longo prazo, sempre superamos o CDI e a inflação, e abrimos uma larga vantagem em comparação com as aplicações de baixo risco mais comuns para o brasileiro, a caderneta de poupança e os CDBs e fundos de banco.

Assista ao vídeo:

Nossas informações sobre rentabilidade são atualizadas periodicamente na página Estratégia de Investimento e em nossa seção de Perguntas Frequentes.

Você também pode consultar um balanço da rentabilidade das carteiras administradas pela Vérios em 2016.

Quanto rendem os investimentos com a Vérios? Assista ao vídeo
4.79 (95.71%) 14 votos

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado, Carteira inteligente, Por dentro da Vérios
  • Vlad Pontes

    Boa tarde, galera da Vérios.
    Sou fã da estratégia de investimento de vocês, lembra muito as sugestões do Benjamin Graham (balancear a carteira pra manter as proporções, utilizar ETFs etc).

    Porém tenho uma dúvida: porque vocês preferem maior exposição ao IVVB11 (ações EUA) do que ao PIBB11 (ações BR)? Nos estudos e simulações vcs viram que é vantajoso?

    Abraços!

    • Daniel Resende

      Olá Vlad,

      Tem alguns princípios do Graham por aí mesmo. Li o livro uma vez quando garoto e revisei recentemente.

      Por que tem mais bolsa americana que bolsa brasileira? A resposta curta é que as empresas americanas são melhores que as brasileiras, o risco e retorno dela é melhor e o ativo é mais descorrelacionado ainda com os ativos de renda fixa.

      Mas o modelo matemático não olha para isso diretamente, pois ele não faz uma avaliação qualitativa. Mas o output do modelo gera um resultado que concorda com isso.

      A bolsa americana diminui o risco ao adicionar um risco diferente na carteira. Isso foi bem visível no momento da eleição do Trump. Dá uma olhada nesse artigo: https://verios.com.br/blog/como-a-eleicao-de-trump-refletiu-na-carteira-inteligente/

      Abs

      • Vlad Pontes

        Saquei.
        Faz todo sentido essa diversificação exposta no artigo. Realmente, o efeito do IVVB11 sendo atrelado ao dólar é bem interessante.

        Um abraço!

      • David

        O link para o artigo não está funcionando Daniel. Gostaria de dar uma olhada.

  • Alberto Tavares

    Vida longa pra vc Ueslei e todos aqueles que trazem mais opções de investimentos, democratizando o conhecimento.

    Saudacoes