Postado em: Intermediário, Tipos de investimentos>Fundos de investimento>Fundos de ações, Tipos de investimentos>Fundos de investimento>Fundos de curto prazo, Tipos de investimentos>Fundos de investimento>Fundos multimercados, Tipos de investimentos>Fundos de investimento>Fundos referenciados, Tipos de investimentos>Fundos de investimento>Outros fundos Por:
28 de Maio de 2014 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Quem mexeu nas minhas cotas? Saiba tudo sobre o come-cotas

28 de Maio de 2014

Certa vez, um cliente com aplicações em fundos perguntou-nos sobre quando ele “perderia um pouco do dinheiro para o papa-cotas”. O comentário, engraçado pela confusão do nome, nos lembrou que esse é um tema que ainda confunde muitas pessoas que aplicam em fundos de investimento.

Por isso, reunimos e respondemos às principais dúvidas sobre o come-cotas, que é cobrado no fechamento dos meses de maio e novembro.

1. O que é o come-cotas?

O come-cotas ocorre quando o Governo recolhe antecipadamente uma parte do imposto de renda sobre os seus ganhos

A confusão começa na cobrança, pois o registro do come-cotas no extrato dos fundos de investimento é muito semelhante ao registro de um resgate. O valor das cotas permanece inalterado, mas o investidor sofre uma redução no número de cotas. É como se a Receita Federal realizasse um “resgate compulsório” do imposto devido.

Na verdade, o come-cotas é o recolhimento semestral do Imposto de Renda (IR) incidente sobre os rendimentos obtidos nas aplicações em fundos de investimento com classificação tributária de Longo Prazo e Curto Prazo.

Em palavras mais fáceis, o come-cotas ocorre quando o Governo recolhe antecipadamente uma parte do imposto de renda sobre os seus ganhos.

No caso dos fundos de investimento em ações, não há come-cotas e o IR é recolhido somente quando o investidor realiza um resgate.

2. Quando ocorre o come-cotas?

A cada 6 meses, no último dia útil dos meses de maio e novembro de cada ano.

3. Quais as alíquotas do come-cotas?

Para os fundos de Investimento de Longo Prazo, a alíquota do come-cotas é 15% e para os Fundos de Curto Prazo, a alíquota é de 20%. Para saber a classificação dos fundos no qual você investe, basta verificar o regulamento ou a lâmina preparada pela gestora.

4. Quais são as alíquotas de IR nos fundos de investimento?

A tributação dos cotistas depende do prazo de permanência de cada aplicação no fundo. As alíquotas vão diminuindo conforme o tempo de permanência, por isso a tabela é conhecida como “tabela regressiva”. As alíquotas no resgate das cotas são as seguintes:

Fundos classificados como Curto Prazo:

  • 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias
  • 20,0% em aplicações que permanecem 181 dias ou mais 

Fundos classificados como Longo Prazo:

  • 22,5% em aplicações que permanecem por até 180 dias
  • 20,0% em aplicações que permanecem de 181 dias a 360 dias
  • 17,5% em aplicações que permanecem de 361 dias a 720 dias
  • 15,0% em aplicações que permanecem por 721 dias ou mais 

Fundos de Investimento em Ações:

  • 15,0% em quaisquer aplicações, independentemente do prazo 

5. Como funciona o come-cotas?

 A rentabilidade obtida em fundos de investimento está sujeita ao IR retido na fonte. Todos os dias, o administrador do fundo apura quanto foi o ganho financeiro de cada investidor e cria uma provisão de IR na sua conta. É como se fosse uma reserva para pagamento do seu IR.

É por isso que o seu saldo pode ser apresentado de duas maneiras: saldo bruto (total) e saldo líquido (saldo após desconto da provisão de IR). O saldo líquido é quanto dinheiro você efetivamente tem disponível. Quando você pede um resgate, a provisão de IR vai direto para a Receita Federal.

banner-blog-lancamento

A cada 6 meses, em maio e novembro, são aplicadas as menores alíquotas da tabela regressiva de IR de cada tipo de fundo sobre o rendimento obtido pelo investidor. A diferença desses percentuais com aqueles da tabela regressiva que explicamos acima é provisionada como um valor complementar a pagar (diferença de alíquota).

Vale lembrar que, após completados 2 anos da aplicação, quando são atingidas as alíquotas mínimas, a diferença de alíquota deixa de existir.

6. O come-cotas faz com que o IR seja recolhido em dobro?

Não. O come-cotas é cobrado sempre pela menor alíquota aplicável. Se a sua aplicação permanecer investida por tempo suficiente para atingir a menor alíquota, não haverá cobrança de IR no resgate. Por outro lado, se você resgatar antes de atingir a menor alíquota, pagará apenas a diferença restante.

Por exemplo, nos fundos com tributação de Longo Prazo, o come-cotas será recolhido sempre com alíquota de 15%. Se você resgatar sua aplicação com um prazo correspondente à alíquota de 17,5%, será cobrada no resgate apenas a diferença, ou seja, 2,5%.

7. Quem é isento de come-cotas?

Investidores isentos ou imunes à tributação de IR por força de legislação específica não estão sujeitos ao come-cotas. Fundos de Investimento com classificação tributária de Ações e alguns fundos estruturados também não estão sujeitos ao come-cotas, sendo o IR recolhido somente no resgate da aplicação pelo investidor.

Esperamos ter esclarecido algumas dúvidas frequentes.

banner-ebook-fundos

Sem paciência para a complicação dos fundos?

Na Vérios, você pode ter uma carteira administrada. Você vai investir com uma estratégia profissional, com a mesma praticidade de enviar dinheiro para a poupança.

 

Clique para simular a carteira recomendada para o seu perfil

Este artigo foi útil para você?
Quem mexeu nas minhas cotas? Saiba tudo sobre o come-cotas
4.7 (93.68%) 19 votes

28 de Maio de 2014
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

132 5 2 min de leitura

O impacto do come-cotas nos seus investimentos

Quem investe em fundos já sabe: nos meses de maio e novembro o come-cotas entra em ação. Trata-se da incidência “antecipada” do Imposto de Renda sobre o rendiment...

Continue lendo
462 52 2 min de leitura

Curso de investimentos para iniciantes: inscreva-se para videoaulas gratuitas

Aqui na Vérios temos uma grande preocupação com educação financeira. Sim, queremos que as pessoas invistam conosco, mas, antes disso, queremos que elas entendam por...

Continue lendo
343 21 3 min de leitura

Tipos de investimentos: o guia completo

Existem diversos tipos de investimentos onde você pode aplicar seu dinheiro, seja por meio do seu banco ou da sua conta na corretora.  Mesmo pessoas que já têm experi...

Continue lendo

Autores

CEO da Vérios, a fintech que te ajuda a fazer investimentos inteligentes, de forma fácil, rentável e segura. Pode confiar. Felipe conta com mais de 10 anos de atuação no mercado financeiro, e em 2011 cofundou o site Comparação de Fundos, primeiro a dar transparência a mais de 15 mil fundos de investimento. É advogado pela USP e pós-graduado em Finanças Corporativas e Investment Banking pela FIA.

Comentários