Rico: conheça a corretora

Rico Corretora: conheça

Com produtos financeiros dos mais variados, as corretoras de valores ou corretoras de investimento independentes começaram a ganhar força no mercado – algumas até competindo de igual para igual com grandes bancos. Parte disso tem a ver com a ampliação do portfólio de produtos oferecidos pelas corretoras aos seus clientes.

Se antigamente eram conhecidas pela intermediação na compra e venda de ações, hoje essas instituições financeiras têm uma prateleira variada, com aplicações de renda fixa (títulos públicos do Tesouro Direto, CDB, LCI, LCA, CRI, CRA, debêntures etc.) e renda variável (ações, ETFs), além de fundos de investimento.

Conhecer melhor o histórico e a evolução das principais corretoras de valores em atuação no Brasil é fundamental na hora de tomar decisões de investimento. Por isso, o blog da Vérios dá início a um conjunto de artigos sobre algumas dessas instituições.

Para inaugurar o guia de corretoras, contaremos a trajetória da Rico, atualmente uma das maiores corretoras independentes do país. Confira!

Leia também: Easynvest: conheça a corretora

Histórico

Fundada em 2011, a Rico é uma corretora especializada em investimentos para pessoa física e que nasceu no ambiente online. Na época, os sócios Frederico Meinberg, Marcelo Mendonça de Barros, Monica Saccarelli, Norberto Giangrande e Ricardo da Costa Moraes Filho decidiram montar uma nova corretora a partir da base de 14 mil clientes pessoa física da corretora Link.

Com aposta forte em educação financeira e desenvolvimento em tecnologia, aos poucos a Rico foi ganhando espaço até se consolidar como a segunda maior corretora independente do país.

Assista ao vídeo institucional disponibilizado pela corretora:

Evolução no mercado

Entre 2014 e 2016, a Rico liderou por 17 meses consecutivos as aberturas de contas em Tesouro Direto. Atualmente, a corretora tem cerca de 120 mil investidores ativos, com um volume de R$ 10 bilhões de recursos, segundo reportagem publicada recentemente pelo Valor Econômico

Apesar de ser mais conhecida pela forte atuação em Tesouro Direto, a Rico tem uma gama de aplicações que vão desde CDB, LCI e LCA até ações, ETFs, opções e contratos futuros. No cardápio, o investidor ainda tem à disposição fundos de renda fixa, fundos multimercados e fundos de ações.

Para quem busca aprender mais sobre finanças pessoais e investimentos ou quer saber como sua carteira foi estruturada, a corretora também conta com uma equipe de especialistas em diferentes áreas, como análise fundamentalista e análise gráfica, macroeconomia, entre outras.

Aquisição pela XP

Em dezembro de 2016 a corretora teve 100% do seu capital adquirido pela XP Investimentos. O negócio já recebeu aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), mas ainda depende do aval do Banco Central (BC).

Na ocasião, o CEO da Rico, Norberto Giagrande, afirmou que a união seria a melhor maneira de perpetuar os projetos da corretora. Já o presidente do grupo XP, Guilherme Benchimol, afirmou em dezembro que a compra integra a estratégia da maior corretora independente em diversificar o portfólio, processo iniciado há três anos com a aquisição da Clear Corretora. As marcas seguirão independentes, conforme o anúncio.

Parceria com a Vérios

O serviço de gestão automática de carteiras de investimento oferecido pela Vérios é prestado em parceria com a Rico. Por meio de uma integração tecnológica com a instituição financeira, a Vérios cuida de tudo: faz a gestão inteligente das carteiras, aplicações e resgates, rebalanceamento e controle de custos e tributos. Saiba mais no vídeo:

Rico: conheça a corretora
5 (100%) 8 votos

Categorias: Iniciante, Intermediário, Avançado
  • Lavoro

    Oi Danylo, gostei da iniciativa de falar de corretoras! Mas eu pensei que vocês analisariam melhor a corretora. Por exemplo, qual o lucro da corretora e de onde ele vêm (é de ações ou renda fixa?), patrimônio, como ela está no mercado (p. ex., se ela é a segunda no ranking do Tesouro, quem é a primeira, e porque a Rico não é mais). Também seria interessante saber se a Rico ganha algo nessa parceria com a Vérios (ou não), sei lá. Enfim, acho importante uma abordagem crítica, saber as qualidades e os defeitos da corretora, os acertos e os erros, que todas as empresas possuem.
    Abraço

    • Danylo Martins

      Oi, Lavoro. Obrigado pelo comentário. Como a XP comprou a Rico e a operação ainda depende de aprovação do Banco Central, a corretora está dando poucas entrevistas. Por isso, não consegui mais detalhes sobre a empresa. Abraços.

  • Eric Santos

    A Rico já passou da hora de parar de cobrar taxa de custódia em ações e ETF’s.