Postado em: Destaques, Por dentro da VériosPor:
26 de setembro de 2018 Ultima atualização: 18 de outubro de 2018

Na Semana de Finanças da FGV, Vérios fala sobre Robótica em Investimentos

Felipe Sotto-Maior, CEO da Vérios, foi convidado a participar do primeiro dia de palestras da Semana de Finanças da FGV, para falar sobre Robótica em Finanças. Confira os destaques do evento que separamos para você:

26 de setembro de 2018

Entre os dias 24 e 27 de setembro de 2018, a Escola de Administração de Empresas de São Paulo promove a Semana de Finanças da FGV. O CEO da Vérios, Felipe Sotto-Maior, foi convidado pelos professores William Eid Junior e Claudia Emiko Yoshinaga a participar do primeiro dia do evento para falar sobre Robótica em Investimentos, representando a única fintech convidada.

A Semana de Finanças da FGV é um evento promovido pela instituição periodicamente, com o objetivo de abordar temas atuais que estejam impactando o mercado financeiro de alguma forma. A edição de setembro é patrocinada pelo Banco Alfa e pela PwC e tem como tema a Disrupção em Finanças.

Disrupção é um termo utilizado para definir alguma inovação que transforma um determinado setor, na maioria das vezes ligado à tecnologia. Com o evento, a FGV tem o propósito de debater inovações na área de finanças que causam esse efeito na área. Por isso, a Semana de Finanças traz os seguintes assuntos:

24/09: Robótica em finanças

25/09: Customer Intelligence / Digital como padrão

26/09: Compartilhamento na nuvem: a nova tendência

27/09: Tecnologia e regulação

Vérios na FGV - Robótica em Investimentos
Fonte: Divulgação FGV

Robótica em finanças e o uso de robo-advisor

Esse foi o tema da palestra da segunda-feira, 24/09, para a qual foram convidados Viviane Oliveira, Data & Analytics Director na PwC Brasil, e Luiz Carvalho, sócio da XP Investimentos e Head of Data Science, CRM and Customer Acquisition, além da Vérios Investimentos.

A PwC Brasil abriu a palestra, abordando RPA, sigla em inglês para Robotic Process Automation, casos nos quais são utilizados softwares para automatizar processos realizados por humanos, como tarefas repetitivas, fazendo com que o profissional tenha mais tempo para se dedicar a tarefas mais complexas, além de contribuir também para a redução de custos operacionais. Um bom exemplo da utilização de RPA que a empresa trouxe para a apresentação no painel foi para recrutamento e seleção, voltada para as áreas de Recursos Humanos.

Vérios na FGV - Robótica em Investimentos
Fonte: Divulgação FGV

No exemplo, o robô foi configurado para buscar currículos em sites e redes sociais voltadas a esse propósito. Por meio de comandos configurados previamente, o robô buscou candidatos que se encaixassem no perfil da vaga, identificando habilidades específicas necessárias para a função, montou uma planilha com os dados de cada perfil e eliminou os que não se encaixavam na oportunidade.

O resultado foi um número bastante reduzido de candidatos pré-selecionados, o que facilitou o trabalho do profissional na hora de entrar em contato com cada um a fim de dar continuidade ao processo. Um trabalho repetitivo que foi poupado e, ainda, minimizou o tempo que a pessoa precisou se dedicar para a tarefa.

Em seguida, Luiz explicou como a XP Investimentos utiliza um chatbot, apelidado de Max, para fazer a entrevista de perfil de risco com os clientes da empresa. Ao invés de obrigar os usuários do site a preencher um formulário, Max apresenta as perguntas no formato de bate-papo, que substitui o formulário de suitability. 
 
O robô faz aos clientes algumas perguntas de respostas objetivas (números ou múltipla escolha) e, de acordo com as opções selecionadas, apresenta uma recomendação de carteira de investimentos preparada pela equipe da XP. Uma vantagem interessante é que o Max pode fazer as mesmas perguntas usando linguagem diferente, de acordo com o perfil do cliente. Ele pode ser mais descolado com um cliente jovem ou mais formal com um cliente mais velho. Além disso, uma possibilidade interessante é imaginar que a conversa poderá, no futuro, acontecer em diferentes plataformas, como o Messenger do Facebook ou o WhatsApp.
Vérios na FGV - Robótica em Investimentos
Fonte: Divulgação FGV

Depois, Felipe apresentou um pouco da tecnologia por trás do funcionamento do Ueslei, o robô de investimento que cuida do monitoramento e operação das contas de todos os clientes da Vérios (por aqui, nós os chamamos de Amigos do Ueslei). Conhecido como robo-advisor, o robô de investimentos da Vérios é um conjunto de algoritmos programados para cuidar das carteiras de investimentos.

A parte que mais chamou atenção do público e também dos outros painelistas foi a explicação sobre como o Ueslei compara, para cada cliente, a realidade atual da conta de investimento contra a alocação ideal escolhida e consegue calcular (e efetuar) os ajustes necessários na carteira dele.

Vérios na FGV - Robótica em Investimentos
Fonte: Divulgação FGV

Por fim, a noite de apresentações encerrou com uma troca de informações entre os painelistas, o professor William e os inscritos na palestra, por meio de algumas questões levantadas que envolvem o setor de finanças, investimentos, o comportamento do brasileiro ao investir e a utilização dos robôs nessa disrupção, entre outras dúvidas.

Agradecemos à FGV, aos demais painelistas e aos patrocinadores que proporcionaram essa noite com uma enriquecedora troca de conhecimentos sobre o tema.

Quer entender como funciona investir com a Vérios? Confira os depoimentos de quem já investe com a gente, os Amigos do Ueslei:

Este artigo foi útil para você?
Na Semana de Finanças da FGV, Vérios fala sobre Robótica em Investimentos
4 (80%) 4 votes

Compartilhe:
26 de setembro de 2018
Ultima atualização: 18 de outubro de 2018

Comentários