Investir fora do banco é importante para garantir uma boa rentabilidade em suas aplicações. Mas a verdade é que você continuará recebendo seu salário no banco... E todas as vezes que enviar seu dinheiro para sua conta em uma corretora, para que possa aplicá-lo, poderá ter que pagar uma taxa de transferência, a tarifa de TED.

Aí que mora o perigo, pois o custo alto da tarifa de TED acaba fazendo muita gente preferir manter os recursos aplicados no banco.

“Ah, como vou ter de pagar X reais todo mês, prefiro deixar no banco mesmo”: esse é o tradicional pensamento de quem decide continuar na inércia do banco.

E assim o hábito de poupar e investir mensalmente é deixado de lado, sem que as pessoas percebam. Afinal, o simples fato de você precisar transferir uma quantia todo mês de um lugar para outro já cria uma espécie de “obrigação”, o que é salutar para quem está dando os primeiros passos no mundo dos investimentos.

Quais as tarifas de TED nos bancos?

Vamos supor que você queira investir R$ 100 por mês em um título público como o Tesouro Selic – geralmente indicado para a formação de reserva de emergência. Quem é correntista do Bradesco e não possui isenção de tarifas para transferências entre contas, por exemplo, terá de arcar com uma tarifa de TED de R$ 8,95 por operação – no Itaú, esse valor é ainda maior, de R$ 9,25. Ou seja, a cada operação desse tipo que você fizer, o Bradesco descontará essa “pequena” quantia da sua conta corrente.

Mas veja bem: se considerarmos a aplicação ao longo de um ano, ou 12 meses, ao final desse período, serão desembolsados R$ 107,40. Essa quantia representa quase 10% (8,95% para ser mais exato) dos R$ 1.200 investidos durante esse prazo.

Lembrando que, para investir em títulos públicos do Tesouro Direto, você ainda paga a taxa de custódia de 0,30% ao ano, cobrada pela BM&FBovespa. Há também a taxa de administração dos papéis, que pode ou não ser cobrada pelas corretoras. Ou seja, além de arcar com as taxas já existentes, você deixará mais de R$ 100 ir embora todo ano, dinheiro que poderia representar mais um aporte, não é?

TED sem custo

A boa notícia é que há contas bancárias sem cobrança de tarifa de TED. Como assim?

Os grandes bancos oferecem pacotes que incluem algumas operações de TED/DOC. Mas essas cestas de serviços costumam vir acompanhadas de tarifas mensais, nem sempre baratas.

Exemplo: o pacote “Padronizado II”, do Itaú Unibanco – que custa R$ 19,50 – permite que o correntista faça uma transação gratuita de TED ou DOC por mês, sendo que o valor unitário da operação é de R$ 9,25. Para ter direito a até três TEDs/DOCs, é preciso desembolsar R$ 38 mensalmente, custo do pacote “Padronizado IV”.

No Bradesco, no pacote “Padronizado IV”, que também oferece até três TEDs/DOCs, a tarifa mensal é de R$ 33,25. Já o pacote “Padronizado III” custa R$ 22,45 por mês e inclui duas transferências por TED ou DOC.

Mas será que vale a pena pagar uma tarifa de manutenção de conta apenas para ter algumas operações de TED ou DOC gratuitas? Depende do quanto você utiliza os demais serviços do banco. Quem resolve quase tudo pelo internet banking ou pelo aplicativo pode ter muito mais vantagens ao usar uma conta digital.

Leia também: Conta digital: comparamos 7 opções para você criar uma

Veja a seguir alguns exemplos e avalie a opção mais adequada ao seu caso:

Tarifa de TED nas contas digitais

Uma maneira de driblar a tarifa de TED é aderir a contas digitais, que funcionam como qualquer conta corrente, oferecendo os mesmos serviços, como DOC, TED, pagamentos, extrato e saques. A diferença em relação ao modelo tradicional de conta é que você só paga pelas operações feitas presencialmente, na “boca do caixa” das agências bancárias.

Para quem realiza as operações via internet ou caixa eletrônico, esse tipo de conta pode ser bem interessante, pois não cobra tarifa de manutenção, tampouco taxa para operações de TED e DOC, baita de uma vantagem quando o assunto é aplicação financeira.

Mas será que meu banco oferece conta digital? Hoje em dia, as principais instituições como Banco do Brasil, Bradesco e Itaú disponibilizam esse tipo de conta aos clientes. Além dos bancos tradicionais, os chamados bancos digitais – Neon e Inter (antigo Intermedium), por exemplo – também contam com alternativas mais baratas.

- TED nos grandes bancos

Atualização em 25/04/2017: Infelizmente, os bancos Bradesco e Itaú anunciaram o fim das suas modalidades de conta digital. Saiba mais.

Tarifa de TED do Bradesco

No Bradesco, por exemplo, a Digiconta oferece TED e DOC ilimitados e sem qualquer tarifa. O pacote ainda inclui extratos e saques nos caixas eletrônicos e Banco 24 Horas, além de um cartão de débito. O cadastro para início de relacionamento custa R$ 30. Confira a lista completa de serviços inclusos.

Tarifa de TED do Itaú

A iConta, do Itaú, também dispõe de TED e DOC isentos de taxa e ilimitados, assim como saques e extratos nos terminais de autoatendimento e caixas 24 horas. Para abrir a conta, o banco cobra R$ 30. Veja lista completa de serviços inclusos.

Tarifa de TED do Banco do Brasil (BB)

No Banco do Brasil, a Conta Fácil Gratuita oferece quantidade ilimitada de transferências para outras contas do banco, pelo aplicativo de celular, mas TED e DOC não estão contemplados. Veja o que está incluído nesse pacote.

Esses pacotes de contas digitais parecem mudar com certa frequência. Até pouco tempo, não era cobrada a taxa de abertura de conta, por exemplo. Se você tentou abrir uma conta digital em um banco e se deparou com condições diferentes ou custos adicionais, compartilhe conosco nos comentários.

- TED nos bancos digitais e fintechs

Novos serviços têm surgido no mercado com a promessa de tornar a vida financeira mais simples. É o caso das fintechs, empresas que se valem de tecnologia para oferecer produtos e serviços financeiros iguais aos dos bancos, mas com custo bem menor e com a vantagem de você não precisar se deslocar a uma agência para abrir conta.

Exemplo disso é o Banco Neon, uma conta digital totalmente movimentada por aplicativo de celular. Para ser cliente, basta instalar o app e fazer um depósito de R$ 100 para receber um cartão de débito. Diferentemente das contas digitais dos grandes bancos, o pacote de serviços do Neon permite apenas uma transferência para outro banco e um saque na rede 24h por mês sem cobrança de taxa. A partir da segunda operação, uma TED custa R$ 3,50 e cada saque, R$ 6,90. Veja o que é oferecido.

O Banco Inter (antigo Intermedium) também tem sua modalidade de conta digital, na qual estão incluídos TEDs sem custo e ilimitados pelo aplicativo e saques gratuitos na rede 24h. Ainda é possível fazer depósitos de cheques por imagem. Todo o processo de abertura de conta pode ser realizado pelo app.

Outra opção é a NuConta do Nubank, que não tem custo. Entre NuContas, a transferência acontece em tempo real. Também é possível fazer TEDs para outros bancos.

O mais importante: construir o hábito de poupar e investir

Agora que você conhece diversas opções para economizar com o custo da TED, não existe desculpa para não começar a aplicar. Aos poucos, o que antes era uma tarefa que demandava esforço passa a ser algo natural, assim como escovar os dentes. Ao criar o hábito de poupar e investir mensalmente, fica muito mais fácil de atingir seus objetivos. 

E se você precisa de ajuda para conseguir economizar mais dinheiro para investir, assista ao vídeo abaixo do programa Aprendo Logo Invisto do canal da Vérios no YouTube e e confira algumas dicas:


Este texto foi útil para você?

Tarifa de TED gratuita: saiba quais bancos têm esse benefício
4.8 (95.68%) 37 votes

Categorias: Avançado, Iniciante, Intermediário