Postado em: Intermediário, Tipos de investimentos>Títulos públicosPor:
5 de Janeiro de 2016 Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Tesouro IPCA com juros semestrais: o que é? Posso perder dinheiro?

5 de Janeiro de 2016

O Tesouro IPCA é um dos tipos de títulos públicos oferecidos pelo Tesouro Direto. Ele funciona como uma garantia da proteção do poder de compra do seu patrimônio (correção pela inflação), com um ganho adicional (juros).

Entretanto, é comum ter dúvidas sobre a dinâmica de precificação e rentabilidade desses títulos de inflação. Se o título é indexado à inflação, como pode a inflação medida pelo IPCA subir e o valor dos títulos cair?

Assim como no caso no Tesouro Prefixado (LTN), que explicamos em um artigo anterior, é possível, sim, perder dinheiro no Tesouro IPCA+, bem como é possível ganhar acima da rentabilidade definida no momento da aplicação.

Isso acontece tanto para o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTNB) quanto para o Tesouro IPCA+ (NTNB Principal). Os dois títulos possuem dinâmicas de funcionamento diferentes, e hoje vou explicar utilizando o exemplo do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTNB).

Gravei um vídeo que vai direto ao ponto, mas se você não estiver familiarizado com os termos do Tesouro Direto, recomendo continuar lendo. 

Rentabilidade do Tesouro IPCA com Juros Semestrais (NTNB)

O Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais (NTNB) é o título público do Tesouro Direto cuja remuneração é dada pela inflação mais um percentual fixo predeterminado, os juros. Por isso, esse título é considerado híbrido: uma parte da rentabilidade é pós-fixada (inflação) e outra parte é prefixada (juros). O resultado disso é que o investidor consegue garantir um rendimento acima da inflação, desde que segure os títulos até o vencimento.

A inflação utilizada nesse título é a apurada pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), do IBGE.

Leia também: O que é o IPCA? Conheça o principal indicador da inflação

Vamos a um exemplo prático?

O gráfico abaixo mostra a evolução do preço de mercado do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 (NTNB). O título foi lançado em 2009 e vencerá em 2020, pagando juros de 6% ao ano ou 3% ao semestre1.

Gráfico da evolução dos preços do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 (NTNB)

Como se determina a rentabilidade desse título? Bem, ela depende de 3 fatores:

1. Correção pelo IPCA

Veja a linha verde no gráfico a seguir. Ela representa o valor do título corrigido mensalmente pela inflação no período. Para quem está um pouco mais habituado com as nomenclaturas do Tesouro Direto, essa linha representa o Valor Nominal Atualizado (VNA).

Gráfico da evolução dos preços e VNA do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 (NTNB)

Como é difícil prever a inflação (o Relatório Focus erra constantemente, mas isso é assunto para outro artigo), mais adiante você verá uma animação com diferentes cenários que mostram como a inflação futura pode afetar o VNA do título. Por ora vamos ao segundo fator que influencia na rentabilidade do título.

2. Juros semestrais

O título de inflação em questão realiza pagamentos semestrais de juros. O cálculo é feito pelos 3% semestrais aplicados sobre o VNA (linha verde no gráfico), ou seja, o investidor recebe um pagamento equivalente a 3% do valor do título dado pelo VNA corrigido pela inflação.

3. Preço de mercado

Como vimos, a linha preta no gráfico é a evolução do preço de mercado do título. Observe como ela é instável, com altas e baixas, por conta dos humores do mercado.

O preço de mercado é o valor pelo qual os títulos são negociados no Tesouro Direto. Quando você compra o Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020, você paga o valor indicado pela linha preta na data da compra. Quando o preço de mercado está acima da linha verde (VNA), você está pagando um valor mais alto que a referência (ou seja, fazendo uma compra com ágio) e vai ter uma rentabilidade um pouco menor. Quando o valor de mercado está abaixo do VNA, você está comprando com desconto (deságio), e terá uma rentabilidade um pouco maior até o vencimento.

Apesar desses descolamentos, a linha instável do preço de mercado sempre irá convergir com a linha verde (VNA) no vencimento do título. Ou seja, quanto mais próximo do vencimento, mais próximo o preço de mercado fica do VNA (valor inicial do título corrigido pelo IPCA). Veja abaixo uma simulação dessa convergência com inflação de 10% ao ano no período.

Gráfico da projeção da evolução do título Tesouro IPCA+ (NTNB) 2020 com inflação em 10% ao ano

Entendendo a taxa do Tesouro IPCA+

O Tesouro Direto convencionou uma forma simplificada de apresentar a rentabilidade (chamada de “taxa”) que você contrata ao comprar o título, levando em consideração os três fatores que falamos acima.

No site do Tesouro Direto, você vê uma tabela como esta:

Tabela com preços dos títulos do Tesouro Direto, com destaque para o Tesouro IPCA+ 2020 com Juros Semestrais

Note na tabela acima que a rentabilidade (taxa % a.a.) do título em questão estava em IPCA + 7,35%. O IPCA você já sabe, vai depender da inflação apurada mês a mês. E os 7,35%? Podemos decompor esse percentual em 6,00% + 1,35% (valores aproximados, para facilitar). Os 6,00% são os juros oferecidos pelo título, e o 1,35% é o percentual “extra” que você ganha de rentabilidade, correspondente ao deságio que atualmente existe no preço dos títulos.

No gráfico você pôde notar momentos, por exemplo em 2013, em que os títulos estavam sendo negociados com grande ágio, muito acima da linha verde. Naquela época, houve datas em que o título pagava IPCA + 4%. Ou seja, IPCA + 6,00% (juros sobre o VNA) – 2,00% (rentabilidade a menos devido ao ágio). Você receberia a correção de inflação, mais os juros de 6%, porém pagaria um ágio correspondente a cerca de 2% ao ano a menos, da data de compra até o vencimento.

Como podem ocorrer as perdas com as NTNBs

Se sua intenção é manter o título até o vencimento

A boa notícia é que, mantendo o título até o vencimento, você não vai perder dinheiro com o Tesouro IPCA+.

A oscilação do preço de mercado não terá impacto, porque no vencimento ele converge para o valor do título corrigido para a inflação: não há surpresas, e o único fator desconhecido é a inflação. Portanto, se sua intenção é manter o título até o vencimento, pode ficar tranquilo(a) e ignorar o sobe-e-desce do preço de mercado.

O preço de mercado só é importante no momento da compra. Sua rentabilidade será um pouco maior se você tiver comprado com deságio, e um pouco menor se você tiver comprado com ágio, mas isso não significa uma perda, e sim reflexo do momento em que o mercado estava quando você comprou o título.

Você poderá passar por épocas turbulentas e ver o preço de mercado do seu título abaixo do valor que você pagou. Quanto mais longo o título (ou quanto mais distante o vencimento), maior a possibilidade de oscilação do preço de mercado. Mas isso não muda o fato de que o valor de mercado vai convergir com o VNA no vencimento.

Se você pensa em vender o título antes do vencimento

Já se você decide se desfazer do título antes do vencimento, o preço de mercado assume o papel de protagonista na história. Ao vendê-lo, você receberá o preço de mercado. Se os títulos estiverem sendo negociados com valor abaixo do que estavam quando você comprou, é aí que você pode perder dinheiro.

Isso aconteceu, por exemplo, com quem comprou o Tesouro IPCA+ 2020 em 2013 por quase R$ 3.000 e vendeu no mês passado, com preço de mercado na faixa de R$ 2.600. Ainda assim, a perda não chegou a R$ 400, pois essa pessoa recebeu os juros semestrais.

Recentemente, um Amigo do Ueslei que havia comprado esse título em 2013 nos perguntou se valeria a pena vendê-lo e recomprar o mesmo título. O que acontece é que ele tinha comprado o título precificado em IPCA + 3% e agora estava vendo o mesmo título precificado em IPCA + 6%. O cliente queria aumentar a rentabilidade dele para IPCA + 6% também. O que você acha? Vale a pena trocar? Pare e pense antes de continuar lendo.

Meme pensativo

A verdade é que essa troca não faz nenhum sentido, porque ele iria vender seus títulos pelo mesmo preço de compra dos novos. E ainda teria que descontar o Imposto de Renda, arcar com os custos da nova compra e perder uma margem no spread entre preço de compra e preço de venda.

Leia também: Taxas do Tesouro Direto: tire suas dúvidas

Mas então ele ficou com a rentabilidade de IPCA + 3% até o final?

Sim e não. Quando os juros subiram, o valor de mercado dos papéis caíram. Esse investidor teve, da data de compra até o momento da pergunta, uma rentabilidade inferior a IPCA + 3% e, daquela data em diante, ele teria IPCA + 6%. Ou seja, a “troca” que ele queria fazer era totalmente desnecessária, os títulos dele já estavam precificados a IPCA + 6%.

E mais: somando os dois períodos (antes e depois da pergunta), a rentabilidade total seria exatamente o IPCA + 3% que ele contratou na compra.

Vale assistir ao vídeo abaixo, onde abordamos esse tema:

Os títulos de inflação vão cumprir seu papel de oferecer um ganho acima da inflação independentemente do momento em que você comprou. A inflação será apurada mês a mês, após a compra, e a rentabilidade prefixada passa a ser fixa a partir da data de compra, seguindo a mesma dinâmica que explicamos no artigo sobre Tesouro Prefixado.

Projetando diferentes cenários de inflação

No longo prazo, existem diversos cenários possíveis para a inflação medida pelo IPCA.

Como não estamos aqui tentando prever o que vai acontecer no futuro, projetamos diferentes níveis de inflação média anual para você mesmo visualizar como ficaria a evolução do valor do Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 (NTNB) corrigido pela inflação. Para exemplificar de forma didática (ou cômica?), nossa animação considera inclusive um caso de deflação.

Gráfico animado (gif) com cenários de inflação para o título Tesouro IPCA+ com Juros Semestrais 2020 (NTNB)

Espero ter ajudado a desvendar um pouco do mistério dos títulos de inflação do Tesouro Direto. Se ainda ficou alguma dúvida, é só deixar um comentário.

E se você tem interesse em conhecer a nossa carteira inteligente e descobrir o percentual de Tesouro IPCA+ (NTNB) recomendado para o seu perfil, clique aqui para simular seu investimento agora mesmo.

Na verdade, os juros matematicamente corretos são 2,96% ao semestre, o que corresponde a 6% ao ano. Utilizamos 3% para simplificar.

Este artigo foi útil para você?
Tesouro IPCA com juros semestrais: o que é? Posso perder dinheiro?
4.7 (94.76%) 42 votes

Compartilhe:
5 de Janeiro de 2016
Ultima atualização: 17 de agosto de 2018

Você pode gostar também…

942315 min de leitura

Tesouro Selic (LFT): o que é? É possível perder dinheiro?

O Tesouro Selic (LFT) é uma das opções de títulos disponíveis para investir no Tesouro Direto. Entenda melhor o comportamento, oscilações e a rentabilidade dele.

Continue lendo
1339468 min de leitura

Diversificação de investimentos: o que você precisa saber

“Tenha uma carteira de investimentos diversificada.” Esse é um mantra muito utilizado por profissionais sérios do mercado financeiro. Afinal, a diversificação de ...

Continue lendo
11478413 min de leitura

Duration: entenda esse conceito nos investimentos

O mercado financeiro é um terreno fértil e propício ao cultivo de jargões — eles pululam sem trégua só para dificultar nossa missão de traduzir o financês. ...

Continue lendo

Comentários