Vale a pena investir no banco em troca da isenção da tarifa mensal?

“Só existe uma coisa mais cara do que pagar taxas: não pagar taxas”, já dizia o Irineu, pai do cofundador da Vérios Daniel Resende.

Essa frase pode parecer confusa, mas vou te mostrar que em certas situações ela faz bastante sentido – é o caso da tarifa de pacote de serviços cobrada mensalmente pelos bancos.

Recentemente, um levantamento da Proteste Associação de Consumidores apontou um aumento de até 25,56% nos pacotes de tarifas das contas correntes. Aquela taxa descontada todos os meses da sua conta, que sempre pareceu alta e um tanto incômoda, subiu ainda mais.

Antes de migrar para uma conta digital sem custos, eu também sofria com esses aumentos inesperados da tarifa bancária (uma dica: eles podem aumentar a cada seis meses, preste atenção). Minha primeira reação foi conversar com meu gerente para tentar diminuir o preço da tarifa, que parecia abusivo. A resposta que eu tive, e acredito que seja a mesma dada a muitas pessoas, foi: “Se você investir R$ 100.000,00 conosco, podemos zerar essa taxa”.

Minha primeira reação foi conversar com meu gerente para tentar diminuir o preço da tarifa, que parecia abusivo. A resposta que eu tive foi: “Se você investir R$ 100.000,00 conosco, podemos zerar essa taxa”

Deixo o meu dinheiro investido e ainda me isentam da tarifa mensal. Parece um bom negócio. Mas será que é mesmo?

Neste artigo, não vou nem entrar no mérito da avaliação dos produtos disponíveis na página principal do internet banking. Vou olhar apenas para quanto o banco está ganhando. Primeiro com as tarifas mensais, e em seguida com as taxas cobradas pelo investimento.

Vamos usar um exemplo dado pela própria associação Proteste. A partir de outubro deste ano, a cesta de serviços Exclusive Fácil do Bradesco (antiga Conta Fácil Bradesco Super) passará a custar R$ 61,90 ao mês. Isso significa R$ 742,80 por ano! Parece bastante dinheiro, não?

Avaliando se proposta do gerente vale a pena

Agora, vamos ver o que o banco ganha quando o gerente faz a proposta de te isentar da tarifa mensal em troca da aplicação em produtos do banco.

Vou usar para o exemplo um dos fundos de investimento com maior adesão entre os correntistas do Bradesco, o Hiperfundo Bradesco. Hoje, ele tem cerca de R$ 4,7 bilhões sob gestão, que pertencem a mais de 275 mil clientes. A sua taxa de administração é de 2,5% ao ano.

Sem entrarmos no âmbito de analisar a rentabilidade do fundo, é fácil calcular que o custo anual de uma aplicação de R$ 100.000,00 no Hiperfundo Bradesco é de R$ 2.500,00 por ano. Parece que aceitar a sugestão do gerente não teria sido uma boa troca, não é mesmo?

Banner 2

Você podem até questionar: “E e se o meu gerente exigir ‘apenas’ R$ 50.000,00 investidos?”. Ainda assim, seriam R$ 1.250,00 anuais!

Se você aplicar exatos R$ 29.712,00, o custo será o mesmo da anualidade da conta corrente, mas agora eu pergunto: você acha que o seu gerente iria te isentar da anualidade com um investimento de menos de R$ 30.000,00?

O conselho que eu te dou é: sempre desconfie das bondades vindas do seu gerente. Eles garantem o bônus deles a partir de comissões. Entender os custos envolvidos em cada serviço bancário, desde os produtos de investimento até a tarifa da sua conta corrente, é a melhor forma de proteger seu dinheiro.

Você realmente usa o pacote de serviços?

Quer mais uma dica? Existem alguns benefícios que não possuem custo na sua conta corrente, porque são o mínimo exigido pelo Banco Central para o pacote de serviços dos bancos.

De acordo com a Proteste, “os serviços essenciais garantidos pelo Banco Central são limitados a cartão de débito, 10 folhas de cheques por mês, segunda via do cartão de débito, até quatro saques por mês, consultas pela internet, duas transferências por mês entre contas na própria instituição e compensação de cheques.”

Se o gerente do banco te oferecer a isenção da tarifa em troca de um “bom investimento”, analise se você não está trocando seis por meia dúzia

Sendo assim, se você utiliza apenas esses serviços e ainda paga a tarifa, saiba que você tem direito a um pacote que não te cobre pelo que você não utiliza. E lembre: ao conversar com o gerente, se ele te oferecer a isenção da tarifa por um “bom investimento”, analise se você não está trocando seis por meia dúzia.

Você também já passou por uma situação parecida? Conte pra gente aqui nos comentários!
E se você está cansado da falta de transparência dos bancos e quer investir de um jeito inteligente, sem comissões e com custos bem menores, conheça a carteira inteligente da Vérios. Clique aqui e simule a carteira recomendada para o seu perfil.

Vale a pena investir no banco em troca da isenção da tarifa mensal?
3.75 (75%) 8 votos

Categorias: Iniciante, Fundos de investimento